Posts Tagged ‘Santiago Andrade’

Black Blocs: Quem é a face por trás das máscaras?

14 de fevereiro de 2014
Black_Bloc18_Assassinos

Fábio Raposo e Caio da Silva Souza

Fernando Brito, via Tijolaço

A declaração do advogado dos dois acusados – e confessos – disparadores do rojão que matou o cinegrafista Santiago Andrade são por demais graves para que fiquem apenas no campo das especulações.

Se é verdade, e não simples manobra diversionista, que aqueles dois jovens estavam recebendo R$150,00 por manifestação, isso significa que há gente de poder econômico nesta história, embora seja claro que não se pode dizer que todos recebiam uma “blocada” para fazerem arruaças nas manifestações.

O fato é que tem gente com dinheiro e interesse político nisso, seja do lado da defesa dos acusados, seja financiando manifestações ou – o burro aqui é velho – de ambos os lados.

O fato é que se tem de procurar, agora, as indicações materiais destes fatos narrados pelo advogado. Comprar fogos ou alugar ônibus deixa rastros que podem ser seguidos e identificados.

Os dois guris, embora com culpa indiscutível no homicídio (até porque ninguém confessa um homicídio assim, espontaneamente), do ponto de vista da organização do conflito são evidentemente insuficientes.

Se foram explorados politicamente nas manifestações ou agora (ou ambas as coisas, repito) é que estão sendo, é dúvida que não pode permanecer.

É hora de parar com estas sandices de criar uma lei “antiterrorismo”, porque temos aqui leis suficientes para, se a polícia quiser fazer algo além de dar bordoadas – e a investigação, neste caso, finalmente, parece estar sendo séria, pela Polícia Civil – enquadrar quem esteja formando e financiando isso. Mas isso não pode parar nos dois rapazes, que foram os agentes do crime.

Seus mentores e organizadores não usam bermudas. Talvez usem até paletó e gravata.

***

Leia também:

A DR entre o PSOL e Black Blocs ou a cara de pau de Raphael Tsavkko

Gilson Caroni Filho: A definição mais clara do Black Blocs

Coxinhas e “grande mídia” conseguiram: Black Blocs têm seu primeiro cadáver. E agora?

Black Blocs afirmam que são financiados por ONGs nacionais e estrangeiras

Coxinhas e “grande mídia” conseguiram: Black Blocs têm seu primeiro cadáver. E agora?

10 de fevereiro de 2014

Black_Bloc16_Santiago_Andrade

Confirmada a morte cerebral de Santiago Andrade, atingido por um rojão na cabeça enquanto registrava manifestação contra o aumento da passagem de ônibus no Rio, na última quinta-feira, dia 6. A violência do movimento de mascarados Black Blocs traz sua primeira vítima fatal. Em entrevista no domingo, dia 9, Arlita Andrade, mulher do cinegrafista da Bandeirantes, disse que autores do disparo “não têm amor” e que será difícil perdoar aqueles que “destruíram uma família”.

Via Brasil 247

Foi confirmada na segunda-feira, dia 10, a morte cerebral do cinegrafista da Bandeirantes Santiago Andrade, atingido por um rojão na cabeça enquanto fazia a cobertura de um protesto contra o aumento da passagem de ônibus no Rio, na quinta-feira, dia 6. A informação foi dada pela equipe de neurocirurgia do Hospital Municipal Souza Aguiar, onde ele estava internado no Centro de Terapia Intensiva.

O cinegrafista de 49 anos, que teve afundamento do crânio e perdeu parte da orelha esquerda, foi submetido a uma cirurgia para diminuir a pressão craniana, assim que chegou ao hospital. No sábado, dia 8, uma tomografia comprovou que a hemorragia havia sido controlada, mas o estado de saúde do cinegrafista piorou.

Santiago é o primeiro cadáver do movimento de mascarados Black Blocs, que durante manifestações populares, que muitas vezes começam de forma pacífica, destroem o patrimônio público e privado, utilizam artefatos explosivos contra a polícia e escondem seus rostos enquanto praticam esses atos. Geralmente são detidos, mas sempre soltos em seguida.

Com a morte de Santiago Andrade, como irão agir os governantes contra esse grupo, autointitulado anarquista? Haverá maior rigidez na política de segurança contra quem estiver mascarado durante um protesto? Essa é uma proposta polêmica e que deve ser cobrada para que não saiam impunes os responsáveis pela morte do cinegrafista da Band.

Leia abaixo reportagem anterior do 247 reproduzindo a entrevista da esposa de Santiago, Arlita Andrade, concedida neste domingo à TV Globo:

“Eles destruíram uma família”, diz mulher de cinegrafista

A mulher do cinegrafista da Bandeirantes atingido por um rojão na cabeça enquanto cobria protesto no Rio, Arlita Andrade, disse que é difícil perdoar “aqueles que destruíram uma família”. “Perdoar? Meu marido está indo embora, eles destruíram uma família. Uma família que era unida, muito unida mesmo”, desabafou, em entrevista à TV Globo

Segundo ela, “os médicos disseram que o estado dele é grave, disseram de manhã [no domingo] que teriam desligado os aparelhos porque estavam somente aguardando ou milagre ou a morte cerebral”. Santiago Andrade, que está internado no CTI do Hospital Souza Aguiar, no Rio de Janeiro, ajudou a criar os três filhos de Arlita e juntos tiveram uma filha. Segundo a esposa, ele fazia planos para a aposentadoria.

Sobre a entrevista de Fábio Raposo, preso após ter assumido passar o rojão para o responsável pelo disparo que acertou Santiago, ela comentou: “Eu vi ele pedindo desculpa, mas acho que o que falta neles é o amor, o amor pelas pessoas, porque a gente não faz isso. Ele disse que foi sem intenção. Que seja, mas meu marido estava trabalhando, estava mostrando uma manifestação”.

Abalada, ela fez um apelo para que as pessoas não usem mais da violência em manifestações. “Eu peço que essas pessoas não sejam violentas, que não façam isso. Isso não vai levar a nada. O nosso Brasil só vai ser mal visto, ninguém vai querer olhar depois para a nossa terra. Eu espero que esses rapazes pensem na mãe, pensem na família, que a família é tão importante. Meu marido está indo embora, podem ser outros, pode ter outra família que pode ser destruída com isso”, disse.


%d blogueiros gostam disto: