Ocultação de cadáveres

Bernardo Mello Franco em 14/8/2020

O general Eduardo Pazuello resolveu tratar a Organização Mundial da Saúde como seu chefe trata os grupos de zap. Ontem o ministro interino participou de videoconferência com todos os países que integram a entidade. Ao falar da pandemia, omitiu as mais de 105 mil mortes já registradas no Brasil.

Pazuello se limitou a dizer que o país contabiliza 2,3 milhões de sobreviventes da covid. “Estamos entre os líderes mundiais em pacientes recuperados”, festejou. Ele acrescentou que o número “evidencia o acerto das ações do governo”. Faltou lembrar que o Brasil ocupa o segundo lugar no ranking de mortos e infectados. Só fica atrás dos EUA, que também menosprezaram a doença.

Na reunião, o general declarou que o governo tem “compromisso inequívoco com a transparência de dados” sobre a pandemia. Imagine se não tivesse. Na gestão dele, houve uma operação para maquiar números e esconder cadáveres. O ministério atrasou boletins e deixou de informar o total de mortos. Foi obrigado a voltar atrás por ordem do Supremo Tribunal Federal.

Pazuello é entusiasta do “placar da vida”, uma marquetagem inventada para camuflar a extensão e a gravidade da pandemia. No dia em que o Brasil ultrapassou a marca de mil mortes em 24 horas, o governo lançou uma contagem de “brasileiros salvos”. Isso equivale a divulgar, no dia de um acidente aéreo, o número de aviões que deixaram de cair.

O bolsonarismo não desiste de se eximir da sua responsabilidade pela tragédia. No sábado, o Planalto distribuiu relatório que vincula as mortes pela covid a governadores e prefeitos de oposição. Ontem o presidente declarou que as vítimas poderiam estar vivas se tivessem tomado cloroquina. É como dizer que os pacientes só morreram por não acreditar num charlatão.

***

O ministro João Otávio de Noronha chamou de “analfabetos” os críticos da libertação de Fabrício Queiroz.

Seria interessante saber se pensa o mesmo do colega Felix Fischer, que revogou sua liminar e mandou o amigo do presidente de volta para o xadrez.

REDES SOCIAIS

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: