Em nota, FGV informa que Decotelli não deu aulas lá e Bolsonaro deve trocar nome ainda hoje

Bolsonaro ficou irritado ao saber de mais uma incoerência no currículo do indicado.

Via Revista Fórum em 30/6/2020

A Fundação Getulio Vargas (FGV) informa através de nota que Carlos Alberto Decotelli, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido-RJ) para o cargo de ministro da Educação, não foi pesquisador ou professor da instituição.

A revelação pode fazer com que Decotelli deixe o governo ainda na terça-feira [30/6].

Bolsonaro ficou irritado ao saber de mais uma incoerência no currículo do indicado, que já teve doutorado e pós-doutorado questionados por universidades estrangeiras e é acusado de plágio no mestrado. A intenção é que ele faça uma carta de demissão, enquanto procura nomes para substituí-lo.

Segundo o Estadão apurou, Decotelli já perdeu o apoio do grupo militar que o indicou ao governo.

Veja a nota da FGV na íntegra:

“A FGV se encontra em regime de trabalho remoto, com aulas presenciais suspensas inclusive, desde março de 2020, por força do isolamento imposto pela pandemia do Coronavírus, seguindo determinação das autoridades constituídas, federal, estadual e municipal, em razão do estado de emergência de saúde.

O Prof. Decotelli cursou mestrado na FGV, concluído em 2008. Assim, qualquer informação a respeito demandará acesso a arquivos físicos da época pelos respectivos orientadores responsáveis, o que só poderá se dar após o retorno destes a atuação presencial, eis que todos pertencentes ao chamado grupo de risco.

Quanto aos cursos de doutorado e pós-doutorado, realizados com outras instituições educacionais, cabe a estas prestar eventuais esclarecimentos e não à FGV, para quem o Prof. Decotelli atuou apenas nos cursos de educação continuada, nos programas de formação de executivos e não como professor de qualquer das escolas da Fundação.

Da mesma forma, não foi pesquisador da FGV, tampouco teve pesquisa financiada pela instituição.”

Leia também
Decotelli entrou sem concurso na Marinha e também mentiu em currículo militar
Carla Zambelli apaga postagem em que elogiava currículo de Decotelli, o novo ministro da Educação
Devido às inúmeras mentiras no currículo, Bolsonaro adia posse do ministro da Educação
Ministro da Educação ensina a primeira lição: Maquiar currículo funciona
Além de mentir sobre doutorado, ministro da Educação copiou trechos de outras teses em seu mestrado
Mais um militar: Novo ministro da Educação vem da Marinha
Quem são os ministros de Bolsonaro que mentiram no currículo
Universidade alemã avisa que o ministro da Educação não obteve pós-doc na instituição

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: