Efeito Queiroz: Ministério Público Federal convoca Flávio Bolsonaro a depor

Fabrício Queiroz entre a filha Evelyn e Flávio Bolsonaro.

Depoimento está relacionado a declarações de Paulo Marinho, que afirma que senador foi informado sobre investigação de Fabrício Queiroz.

Via Jornal GGN em 19/6/2020

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos/RJ) foi convocado pelo Ministério Público Federal a depor na investigação sobre supostos vazamentos da Polícia Federal, relacionados à Operação Furna da Onça.

Segundo informações do jornal O Estado de S.Paulo, os advogados Ralph Hage Vianna e Christiano Fragoso também foram convocados a prestar esclarecimentos.

A investigação integra o inquérito aberto a partir das declarações feitas pelo ex-aliado dos Bolsonaro, Paulo Marinho (pré-candidato à Prefeitura do Rio de Janeiro pelo PSDB), de que o filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro soube antecipadamente da operação que mostrou as movimentações nas contas de seu ex-assessor, Fabrício Queiroz, preso na quinta-feira [18/6]) na cidade paulista de Atibaia.

De acordo com Marinho, o próprio Flávio lhe disse que um delegado da Polícia Federal entrou em contato para falar das investigações antes do primeiro turno das eleições de 2018, e informou que integrantes da Superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro iriam adiar a operação para não afetar Jair Bolsonaro (sem partido) no segundo turno das eleições.

***

A PRISÃO DE QUEIROZ É O LANCE FINAL NO DESMONTE DA ORGANIZAÇÃO BOLSONARO
Tudo isso foi possível a partir do momento em que Alexandre Moraes impediu a posse do novo delegado geral da Polícia Federal, em uma atitude de duvidosa legalidade. Mas, ali, ficou claro que todas as ameaças de Bolsonaro eram blefe.
Luis Nassif em 18/6/2020

A prisão de Fabricio Queiroz é consequência direta da tomada de posição do Supremo Tribunal Federal (STF), através das decisões do Ministro Alexandre de Moraes. Agora os demais órgãos de investigação começam a desovar seus inquéritos.

As próximas etapas são óbvias:

Terminou definitivamente a blindagem dos Bolsonaro. Com essa operação, cai a ficha de todos os bolsominios abrigados no Congresso e nas redes sociais, de que Bolsonaro não mais é o guarda-chuva protetor.

No combate a organizações criminosas, o maior desafio das forças de repressão é desmontar a lealdade entre as partes. E essa lealdade depende fundamentalmente da capacidade do chefe maior em garantir a segurança dos seus seguidores.

Com a prisão de Queiroz, haverá a debandada da tropa bolsonarista. Com o mapeamento amplo produzido pelo STF, Gaecco e, agora, a Procuradoria Geral da República, o esquema cairá como um castelo de cartas ao vento, com ampla abertura para delações premiadas.

Agora, Bolsonaro terá que mostrar todas as suas cartas. Se nada tiver a mostrar, não terá condições políticas de segurar o centrão – que é um investidor no mercado futuro da política –, nem de mobilizar os setores simpáticos nas Policiais Militares estaduais, abrindo espaço definitivo para a cassação da sua chapa pelo Tribunal Superior Eleitoral.

Não se deve esquecer do depósito efetuado por Queiroz na conta da primeira dama.

Tudo isso foi possível a partir do momento em que Alexandre Moraes impediu a posse do novo delegado geral da Polícia Federal, em uma atitude de duvidosa legalidade. Mas, ali, ficou claro que todas as ameaças de Bolsonaro eram blefe. Demonstrado isso, o Supremo, como um todo, ganhou coragem de ir à frente e ocupar os espaços de poder.

REDES SOCIAIS

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: