Ministério da Saúde só desembolsou 10% do que tem disponível para ações contra o coronavírus

Cemitério Público Nossa Senhora Aparecida, em Manaus. Foto: Alex Pazuello/Fotos Públicas.

Para o economista Francisco Funcia, da Cofin, “o que chama escandalosamente a atenção é que, no meio de uma crise inédita, não haja planejamento adequado para realizar gastos urgentes”.

Mônica Bergamo em 6/6/2020

Ministério da Saúde só conseguiu desembolsar até agora cerca de 10% do total de que tem disponível para ações como compra de respiradores, equipamentos de proteção e insumos para o enfrentamento da covid-19. De R$10,3 bilhões no caixa, só R$1 bilhões foi pago. Outros R$1,8 bilhão já foram contratados, mas ainda não pagos.

CAIXA
O dinheiro faz parte de uma verba de R$34,5 bilhões destinada ao Ministério da Saúde exclusivamente para o combate à epidemia.

NA PONTA
Além dos R$10,3 bilhões de execução direta, há R$24 bilhões que a pasta deve transferir para estados e municípios. Destes, só R$7,8 bilhões foram pagos.

TABUADA
Os dados são da Cofin, a comissão do Conselho Nacional de Saúde, vinculado ao ministério, que acompanha a execução do orçamento.

ESCÂNDALO
“O que chama escandalosamente a atenção é que, no meio de uma crise inédita, não haja planejamento adequado para realizar gastos urgentes. As contratações já deveriam estar sendo executadas e os equipamentos, entregues ou em vias de chegar ao destino”, diz o economista Francisco Funcia, da Cofin.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: