Carlos Lupi, presidente do PDT: Tabata votou com Bolsonaro contra o trabalhador e vai para a direita

Carlos Lupi afirma que a origem dos problemas com a deputada é o fato de que ela não leu o estatuto do partido, onde consta que a defesa do trabalhador é um princípio básico.

Via Revista Fórum em 15/10/2019

O presidente do PDT, Carlos Lupi, disse em entrevista na terça-feira [15/10] à coluna de Chico Alves, do UOL, que não ficou surpreso com a revelação da deputada Tabata Amaral em pleno Roda Viva de que iria pedir desligamento do partido, sem avisar à legenda. Lupi disse que a deputada votou contra o trabalhador na Reforma da Previdência e que tem que assumir que está indo para a direita.

“A deputada votou com Bolsonaro contra o trabalhador, tem que assumir que está indo para direita e não consegue explicar isso. Oitenta por cento da reforma da Previdência é em cima de quem ganha até R$3 mil. Esse é o fato”, disse.

O dirigente do PDT também afirma que a origem dos problemas com a deputada é o fato de que ela não leu o estatuto do partido, onde consta que a defesa do trabalhador é um princípio básico da legenda. Ele diz ainda que a preocupação de Tabata é apenas manter o mandato.

“Nunca poderíamos votar em uma reforma da Previdência que penaliza somente os trabalhadores que ganham até três salários mínimos”, afirma. Para ele, Tabata está distante há tempos e quer se passar de vítima.

“Eu não nasci ontem, nasci anteontem. Ela é muito bem assessorada, tem gente muito forte e poderosa atrás dela, recebe orientação de advogados renomados, para que se faça de discriminada, vítima”, completou.

***

TABATA AMARAL DIZ QUE VAI À JUSTIÇA PARA SAIR DO PDT SEM PERDER MANDATO
Deputada federal foi uma das dissidentes do partido na votação da Previdência.
Via Folha em 15/10/2019

A deputada federal Tabata Amaral disse na segunda-feira [14/10] que entrará com ação na Justiça Eleitoral para tentar sair do PDT sem perder seu mandato.

A declaração foi dada em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura.

Segundo Tabata, além dela, outros seis deputados dissidentes na votação da reforma da Previdência, do PDT e do PSB, também deverão mover ações judiciais individuais com a mesma intenção – para deixarem as siglas sem que sejam enquadrados por infidelidade partidária.

A deputada disse que “não há diálogo com o PDT”, que o partido “não foi leal” e que alguns parlamentares se sentiram alvo de uma exposição partidária “completamente desproporcional”.

“O PDT deixou de ser meu partido. Não atuo mais como vice-líder, os projetos que eu tinha em São Paulo foram cancelados. Eu estava construindo esse partido. Tudo isso foi cancelado”, afirmou.

Assim como Tabata, outros 18 deputados considerados infiéis pelo PDT e pelo PSB sofreram punições por terem descumprido o fechamento de questão na votação da Previdência – eles votaram a favor da reforma, enquanto seus partidos eram contrários.

[…]

Uma resposta to “Carlos Lupi, presidente do PDT: Tabata votou com Bolsonaro contra o trabalhador e vai para a direita”

  1. Magda ferreira santos Says:

    ESTA MESMO NA HORA DE MANDAR A DONDOCA PARA O LUGAR DELA!!

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: