Miliciano que pode ter respostas sobre morte de Marielle se entrega à polícia

Enquanto isso, Adriano Nóbrega, chefe do Escritório do Crime que tem ligação com a família Bolsonaro, segue desaparecido.

Via Jornal GGN em 25/5/2019

Acusado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro de integrar uma das maiores milícias do Estado, Jorge Alberto Moreth, mais conhecido como Beto-Bomba, se entregou à Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) da Polícia Civil na noite de sexta [25/5].

Beto-Bomba é apontado como ex-presidente da Associação de Moradores de Rio das Pedras e um dos líderes da milícia que comanda a região. Ele estava foragido desde a Operação Intocáveis, deflagrada em janeiro deste ano.

A Associação é usada como “quartel-general dos milicianos, para legalização de imóveis ilegais, seja como presidente ou tesoureiro”.

Ainda há ações em andamento em busca de outros membros da quadrilha, incluindo o ex-capitão do Bope Adriano Magalhães da Nóbrega, que está foragido. Adriano teve esposa e mãe contratadas pelo gabinete de Flávio Bolsonaro ao longo de quase 10 anos. Além disso, foi homenageada pelo hoje senador duas vezes.

Os investigadores acreditam que através de Moreth, a Polícia Civil pode conseguir informações sobre “o grupo de pistoleiros ligado à organização criminosa” que teria mandado matar a ex-vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: