Fernando Haddad: “O povo vai ensinar Bolsonaro a respeitar estudantes e trabalhadores”.

Caravana Lula Livre, sob o comando do ex-ministro da Educação, chega ao município de Concórdia, no Pará.

Via Revista Fórum em 25/5/2019.

O município de Concórdia, no Pará, recepcionou, no sábado [25/5], os integrantes da Caravana Lula Livre, comandada por Fernando Haddad. Em defesa do legado de Lula, o ex-ministro da Educação percorreu a região Norte do país levando um recado de esperança e resistência ao povo brasileiro.

“O Brasil de amanhã vai ser melhor que o de hoje”, disse. O professor universitário destacou a importância de manter a luta para garantir educação pública e aposentadoria, direitos que estão sendo atacados pelo governo de Jair Bolsonaro.

“O que ele está propondo é muito grave. Um direito perdido pode levar décadas para ser reconquistado. Não dá para arriscar aquilo que o povo brasileiro conquistou”, disse no ato que encerrou a Caravana Lula Livre pela região.

Haddad acrescentou a importância de se lutar pela liberdade do ex-presidente Lula. “A Justiça não pode ser usada para fazer política. Se não tinha um jeito de derrotar Lula nas urnas, que dessem a presidência para ele, porque era isso que o povo queria e não o que eles fizeram. Eles politizaram a Justiça para tirá-lo da disputa”.

O ex-ministro relembrou, ainda, um pouco da sua história para falar sobre o que está em risco com o governo de Bolsonaro. Para Haddad, assim como seu pai lavrador e sua mãe professora fizeram de tudo para que ele tivesse acesso ao ensino superior, Lula foi “como um pai para o Brasil”. “Ele abriu as portas das universidades públicas para o filho do lavrador, o filho do trabalhador, o jovem pobre, o negro… Por isso estamos nas ruas e não vamos sair”, disse.

“Nós dizíamos uma coisa que é quase sagrada: o ser humano sonha e que oportunidade para realizar. Há duas coisas que garantem isso. A primeira é a educação e a segunda é o trabalho. Não é arma que vai resolver o problema do Brasil. Tá sobrando arma e porque tem muita arma, tem muita violência. O que queremos é ciência, tecnologia, educação. Queremos professores sendo respeitados. O povo vai ensinar Bolsonaro a ter respeito pelos estudantes e pelos trabalhadores deste país”, ressaltou Haddad.

Previdência
O ex-ministro explicou que governo Bolsonaro diz que a Previdência é deficitária, colocando os custos disso sobre o trabalhador no lugar de cobrar as dívidas dos empresários. “A reforma que precisa ser feita é cobrar do empregador para que ele pague o que deve”, completou.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: