Mais um ministro de Bolsonaro pode cair em crise motivada por ataques nas redes

Após o episódio de ataques nas redes sociais por olavistas e família de Bolsonaro, os militares do governo se movimentam para evitar a saída de Santos Cruz

Via Jornal GGN em 5/5/2019

Mais uma crise interna dentro do governo de Jair Bolsonaro: desta vez, envolvendo a Secretaria de Comunicação, o ministro general Carlos Alberto dos Santos Cruz, a negativa do mandatário sobre a regulamentação da mídia e, mais uma vez, Olavo de Carvalho. Após o episódio, os militares do governo se movimentam para evitar a saída de Santos Cruz.

Neste final de semana, umas das polêmicas que esteve envolvido o mandatário, seus filhos e Olavo de Carvalho tiveram como mira o general Santos Cruz, que comanda a Secom. O problema teve início com uma série de críticas de Olavo de Carvalho, que disparou nas redes sociais que o ministro “fofoca e difama pelas costas”.

No mesmo dia, o general respondeu, em entrevista ao site Poder 360, que Olavo era um “desocupado esquizofrênico”. O suficiente para diversos seguidores e apoiadores de Olavo, entre eles os filhos do mandatário, Carlos e Eduardo Bolsonaro, atacarem o ministro. O mote usado foi uma outra entrevista de Santos Cruz, concedida no mês passado ao Estadão, falando que era preciso “disciplinar” o uso das redes sociais e que a legislação sobre o tema deveria ser aprimorada.

“Depois de anos de um governo que tentou leis de Controle de Mídia com Franklin Martins e Marco Civil Internet com os baba-ovo, ouvir isso é de f… Cúpula estranha se forma no governo. Fiquem de olho”, acendeu o humorista Danilo Gentili, o que foi compartilhado por mais e mais seguidores.

O vereador Carlos Bolsonaro (PSC) disse que “a internet livre foi o que trouxe Bolsonaro até à Presidência” e defendeu que “numa democracia, respeitar as liberdades não significa ficar de quatro para a imprensa, mas sempre permitir que exista a liberdade das mídias!”.

Já o outro filho do mandatário, Eduardo, remeteu os ataques ao ex-presidente Lula, sobre a proposta de regulamentar a mídia, dizendo que isso seria ditadura: “toda ditadura controla os meios de comunicação sob o pretexto de ‘melhorá-los’, ‘democratizá-los’ ou de barrar fake news e crimes de ódio”, atacou.

Também entrou nos ataques o ex-juiz da Lava-Jato e ministro da Justiça de Bolsonaro, Sérgio Moro, que adotou a mesma linha de Eduardo de atacar os governos anteriores, de Lula e Dilma: “bom lembrar que não fosse a vitória eleitoral do Pr Jair Bolsonaro, estaríamos hoje sob ‘controle social’ da mídia e do Judiciário e que estava expresso no programa da oposição ‘democrática’.”

Saída ou permanência de ministro?
Diante dos ataques coordenados, partindo de Olavo de Carvalho, endossado por Gentilli, somando à família Bolsonaro e chegando até a Moro, o setor militar do governo Bolsonaro já começou a se movimentar para evitar a saída do ministro da Secretaria de Governo que comanda a Comunicação, Carlos Alberto dos Santos Cruz.

Em encontro fora da agenda oficial, Jair Bolsonaro recebeu Santos Cruz, no Palácio da Alvorada, aonde se encontraram por cerca de uma hora e meia. De acordo com o colunista Tales Faria, do Uol, ele teria deixado claro ao presidente que não quer passar pelos mesmos constrangimentos que Gustavo Bebbiano, que foi alvo duros de ataques de bolsonaristas, olavistas e de dentro do governo.

Na reunião, o mandatário teria negado que o ministro seria alvo dessa pressão interna, mas concordou em criticá-lo pela entrevista ao Estadão no mês passado, sobre a regulação da internet. Com isso, o ministro teria saído do encontro, sem saber os rumos que seriam tomados e se ele permaneceria ou não no cargo.

E foi neste mesmo domingo, logo após todo esse impasse, que o próprio presidente também fez duras críticas no Twitter contra a possibilidade de se regular os meios de comunicação: “Em meu Governo a chama da democracia será mantida sem qualquer regulamentação da mídia, aí incluída as sociais. Quem achar o contrário recomendo um estágio na Coréia do Norte ou Cuba”, publicou.

Leia também:
Villas Boas reage a Olavo de Carvalho: Os militares nunca foram tão humilhados quanto no governo Bolsonaro
Condecorado por Bolsonaro, Olavo de Carvalho chama general Santos Cruz de “apenas uma bosta engomada”

REDES SOCIAIS

Uma resposta to “Mais um ministro de Bolsonaro pode cair em crise motivada por ataques nas redes”

  1. paulobretas Says:

    Republicou isso em A Estrada Vai Além Do Que Se Vê.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: