“Se ele errou, lamento como pai”: Bolsonaro joga o filho aos leões

Entrevista de Jair Bolsonaro na Bloomberg.

Fernando Brito, via Tijolaço em 23/1/2019

Demorou, mas aconteceu.

Em Davos, Jair Bolsonaro disse a agência Bloomberg que “se por acaso ele [Flávio Bolsonaro] errou, e isso for provado, eu lamento como pai, mas ele terá que pagar o preço por essas ações que não podemos aceitar.”

Para os xiitas do bolsonarismo, que viam as denúncias como uma conspirata contra a “Família Bolsonaro” e para os que estão reunindo uma montanha de fatos sobre as transações obscuras e ligações suspeitas do “Filho 01” isso equivale a lançar Flávio ao mar.

Se o pai diz que “ele terá que pagar o preço por essas ações que não podemos aceitar”, quem lhe dará um “desconto”.

O “pequeno problema” é que Fabrício Queiroz não era ligado apenas a Flávio, mas a Jair. E bem antes de se ligar ao filho presidencial.

Tão ligado que, confessadamente, o hoje presidente lhe fazia favores financeiros de emprestar R$40 mil, parcialmente pagos por cheques depositados na conta da agora “primeira-dama”.

Será dificílimo pretender blindar-se dos próprios filhos que, aliás, são seus rebentos políticos, também: nenhum deles tinha luz própria e fizeram carreira não pelo prenome, mas pelo sobrenome e pauta selvagem do pai.

Ontem [22/1], na Folha, Rainier Bragon antecipava essa incapacidade de descolar-se da história, no artigo “Bolsonaro tem tudo a ver com o Fláviogate, só não vê quem não quer”.

É plausível Bolsonaro emprestar R$40 mil a um sujeito que movimentava milhões, segundo o Coaf? É plausível que esse milionário fizesse o suposto reembolso não de uma vez, mas em uma espécie de carnê das Casas Bahia (dez parcelas)? É plausível o presidente não ter mostrado sequer um extratozinho bancário do suposto empréstimo? É plausível o pagamento ter ido para a mulher sob o argumento de que o marido, que recebia mensalmente R$33,7 mil na conta, não ter tempo de movimentar dinheiro? É plausível Bolsonaro não saber o que a filha de Queiroz fazia em seu gabinete? E, em não sabendo, não procurar se informar nem divulgar?

Não, e é bom já ir trocando de apelido.

“Mito” não é mais plausível.

***

CRISE COM FILHO 01 SOBE DE PATAMAR
Helena Chagas em 22/1/2019

Não foi um bom dia para o Planalto. O discurso do presidente Jair Bolsonaro no Fórum de Davos frustrou as expectativas que haviam sido jogadas lá em cima pelo mercado e pela mídia (quem mandou?). Foi considerado curto e raso. Curiosamente, porém, este foi o menor problema. Por aqui, a temperatura do caso Queiroz – que está virando caso Flávio – voltou a subir com a revelação de que a mãe e a mulher de um ex-PM acusado de chefiar forças da milícia ilegal do Rio trabalharam no gabinete de Flávio, o filho 01 de Bolsonaro. A crise subiu de patamar.

Nunca antes na história desse país viu-se desgaste semelhante no entorno presidencial apenas 22 dias depois da posse. Ainda que a ala militar do governo venha a ser bem sucedida na estratégia de isolar o presidente e o governo dos vazamentos e revelações que aparecem diariamente, colocando Flávio em situação cada vez mais vexatória, vai ficar difícil blindar totalmente o próprio Bolsonaro.

Filho é filho, e ninguém de fora consegue cortar esse tipo de laço. No caso específico, trata-se de um filho político, nascido e criado sob a sombra do pai, com quem partilhava eleitores, discurso político e assessores, como a filha de Fabrício Queiroz que trabalhou também para Bolsonaro. Fabrício, investigado por movimentação suspeita em sua conta – os R$1,2 milhão apontados antes agora já seriam R$7 milhões – assumiu também a responsabilidade pela contratação da família do miliciano.

A esta altura, porém, não faz tanta diferença assim saber de quem foi a ideia de contratá-las, já que elas trabalharam no gabinete do hoje senador eleito na Alerj, onde o ex-PM Adriano Magalhães da Nobrega chegou, nos bons tempos, a ser condecorado e homenageado por iniciativa de Flávio Bolsonaro. A crise parece longe de acabar.

***

Uma resposta to ““Se ele errou, lamento como pai”: Bolsonaro joga o filho aos leões”

  1. Magda Santos Says:

    QUEM MANDOU EDUCAR OS FILHAS, OPS, FILHOS COMO PRÍNCIPES REGENTES, E DONOS DO MUNDO? AGORA ARROCHA!

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: