Gabinete de Bolsonaro em Brasília atestou frequência de 40 horas semanais a filha de Queiroz que era personal trainer no RJ

Filha de Queiroz utilizava teletransporte?

Gabinete de Bolsonaro na Câmara não registrou nenhuma falta ou licença de Nathalia Queiroz. Ela trabalhava como personal trainer no Rio de Janeiro durante o período em que era assessora.

Via Congresso em Foco em 14/1/2019

O gabinete de Jair Bolsonaro (PSL) na Câmara dos Deputados atestou, durante quase dois anos, que a ex-assessora parlamentar Nathália Queiroz, filha de Fabrício Queiroz, cumpria 40 horas semanais durante o período em que trabalhou para o então deputado federal.

A confirmação foi obtida pela rádio CBN por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI). No fim do ano passado, diversas reportagens mostraram que Nathália, na época em que era lotada no gabinete de Bolsonaro em Brasília, atuava como personal trainer no Rio de Janeiro em horário comercial. Nathália apagou sua conta no Instagram, onde registrava fotos e vídeos com seus alunos – entre eles atrizes famosas – em praias e academias.

De acordo com os registros da Câmara obtidos pela CBN, ela não teve nenhuma falta sem justificativa e não tirou nenhuma licença durante os quase dois anos em que trabalhou no gabinete de Bolsonaro. As presenças foram atestadas mensalmente pelo gabinete do então deputado.

A lei determina que ela deveria cumprir 40 horas por semana, equivalente a oito horas diárias de segunda a sexta. Ela não precisaria cumprir a carga horária em Brasília, mas deveria trabalhar com atividades ligadas ao mandato de Bolsonaro como deputado.

As presenças precisam ser confirmadas pelo parlamentar, mas a função pode ser atribuída a outro funcionário. No ano passado, quando foi questionado sobre a frequência de Nathalia, Bolsonaro disse que a pergunta deveria ser feita ao chefe de gabinete.

Caso Queiroz
Nathália é filha de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) citado em um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) por “movimentação atípica” de R$1,2 milhão. Nathália também é mencionada no relatório e teria repassado R$84 mil ao pai.

Seu salário como funcionária de Jair Bolsonaro era de R$10 mil mensais, além de benefícios.

Queiroz já faltou quatro vezes a depoimentos marcados pelo Ministério Público do Rio de Janeiro. Nathália, sua mãe e uma irmã também não compareceram para prestar esclarecimentos ao MP. As faltas da família foram atribuídas aos problemas de saúde dele.

No sábado (12), um vídeo gravado por Nathália no hospital Albert Einstein, um dos mais renomados hospitais do país, viralizou na internet. Segundo a defesa do ex-assessor, ele submetido no dia 1º, data da posse do presidente Jair Bolsonaro, a um procedimento cirúrgico devido a um tumor no Hospital Albert Einstein, um dos mais caros do país, em São Paulo

No vídeo que circulou, o ex-assessor aparece dançando no hospital, em meio a gargalhadas, ao lado de uma filha e da mulher. “Agora é vídeo, pai!”, diz a jovem. “Pega teu amigo, pega teu amigo!”, prossegue. No início, ele repete o sinal com o polegar e o indicador feito pelo presidente Jair Bolsonaro em referência a uma arma.

Após a repercussão, o ex-assessor disse estar “revoltado” com os comentários. Segundo Queiroz, o vídeo registrou “cinco segundos” de alegria que ele queria dar à família na noite de réveillon. “Estão dizendo que nesse vídeo eu estava comemorando o meu não comparecimento ao Ministério Público. É muita maldade”, reclamou. “Foram cinco segundos que quis dar de alegria a uma tristeza que tomava conta dentro da enfermaria em que eu me encontrava”, explicou.

Ouça a íntegra da reportagem da CBN

***

2 Respostas to “Gabinete de Bolsonaro em Brasília atestou frequência de 40 horas semanais a filha de Queiroz que era personal trainer no RJ”

  1. Newde Caruso Says:

    “Foram cinco segundos que quis dar de alegria a uma tristeza que tomava conta dentro da enfermaria em que eu me encontrava”

    Enfermaria?
    E desde qdo um hospital permitiria uma comemoração daquelas dentro de uma enfermaria?

    Judeus estão há anos tentando livrar-se da pecha de que ‘fazem tudo por dinheiro” e o Hospital Albert Einstein vem ratificar o personagem interpretado pelo saudoso Marcos Plonka, o “Samuel Blaustein”, típico comerciante judeu ávido por bons negócios cujo bordão era “Fazemos qualquer negócio”.

  2. Moacyr medeiros alves Says:

    É muito blá-blá-blá; mas ações verdadeiramente eficientes para conter essa putaria desenfreada de que estamos sendo vítimas eu não vejo nenhuma.
    Eles, com Supremo e tudo, estão gozando com as nossas caras!
    Isto aqui é mesmo uma republiqueta de bananas!

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: