Quais gabinetes, ministro?: Barroso diz que STF tem “gabinete distribuindo senha para soltar corrupto”

BARROSO DIZ QUE EMPREGOU TOM EXCESSIVAMENTE ÁCIDO EM CRÍTICA AO STF
Em entrevista, ministro afirmou que tem gabinete no tribunal distribuindo senha para soltar corrupto.
Via Blog do Jota em 22/9/2018

O ministro Luís Roberto Barroso divulgou nota na quarta-feira [26/9] para afirmar que empregou um tom excessivamente ácido em crítica sobre atuação do Supremo Tribunal Federal.

Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, o ministro afirmou que “no Supremo, você tem gabinete distribuindo senha para soltar corrupto. Sem qualquer forma de direito e numa espécie de ação entre amigos”.

Questionado sobre a qual gabinete se referia, Roberto Barroso permaneceu em silêncio e sorriu. O ministro disse ainda à reportagem “que tem gabinetes”. “Quando a Justiça desvia dos amigos do poder, ela legitima o discurso de que as punições são uma perseguição”, completou.

Na nota, Roberto Barroso explica que fez uma avaliação da corrupção no país. “Em entrevista à jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, fiz uma análise severa da extensão e profundidade da corrupção no Brasil e uma crítica à própria atuação do Supremo Tribunal Federal na matéria. Todavia, o tom excessivamente ácido que empreguei não corresponde à minha visão geral do Tribunal. Há posições divergentes em relação às diferentes questões e todas merecem respeito e consideração”.

Na manhã de quarta, após a publicação, o presidente do STF, Dias Toffoli, telefonou para Roberto Barroso e conversou sobre as declarações do colega.

Na entrevista ao jornal, o ministro reafirmou que a corrupção no país é sistêmica e aliança entre “corruptos, elitistas e progressistas” para que o combate a ela seja interrompido.

“A coisa mais importante que há no Brasil hoje é essa imensa demanda da sociedade por integridade, idealismo e patriotismo. É essa a energia que empurra a história e muda paradigmas. A corrupção foi produto de um pacto oligárquico celebrado entre parte da classe política, parte da classe empresarial e parte da burocracia estatal. Precisamos substituí-lo por um pacto de integridade”.

“O nível de contágio da corrupção uniu essas pessoas numa aliança entre corruptos, elitistas e progressistas. Eu não vou citar nomes porque não posso. Mas eu considero que esta é a última missão da nossa geração. Nós derrotamos a ditadura, a hiperinflação, obtivemos vitórias expressivas contra a pobreza extrema. A nossa última missão é empurrar a corrupção para a margem da história. E depois nós podemos sair do caminho”, disse o ministro.

***

BARROSO: O IMPEACHMENT FEZ MAL PARA O BRASIL
Via Brasil 247 em 26/9/2018

Na esteira das recentes declarações do novo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Luís Roberto Barroso pega carona e reitera o óbvio: que se deve respeitar a democracia e o resultado das eleições. Embora protocolar, Barroso vai além e faz duas declarações políticas: diz que os dois governos Lula foram bons para o Brasil e que o impeachment de Dilma Rousseff fez mal para o Brasil. O ministro ainda diz que a corrupção no país é sistêmica e que tem vergonha de acordar todos os dias e ver o Brasil na 96ª posição no ranking internacional da percepção da corrupção.

Em entrevista à jornalista Mônica Bergamo do jornal Folha de S.Paulo, Barroso dá a sua opinião sobre avanços e retrocessos recentes do Brasil: “Eu tenho um olhar positivo e construtivo de uma maneira geral. Portanto, eu acho que, nesses 30 anos da Constituição, há conquistas relevantes a serem celebradas: a estabilidade institucional e monetária e uma expressiva inclusão social.

Além disso, nós tivemos avanços muito importantes em direitos fundamentais, das mulheres – na conquista da liberdade sexual, igualdade na sociedade conjugal, avanço no mercado de trabalho e na luta contra a violência doméstica.

“Houve também vitórias em favor dos afrodescendentes, da comunidade LGBT, na dramática situação dos transgêneros, que passaram a poder fazer a cirurgia de redesignação de sexo no SUS e a adotar seu nome social no registro civil”.

Sobre a corrupção, Barroso diz: “Foi uma corrupção estrutural, sistêmica e programada de arrecadação e de distribuição de recursos públicos com um nível de contágio muito impressionante. A sociedade, felizmente, num determinado momento, começou a reagir. E deixou de aceitar o inaceitável. […] A corrupção foi produto de um pacto oligárquico celebrado entre parte da classe política, parte da classe empresarial e parte da burocracia estatal. Precisamos substituí-lo por um pacto de integridade”.

Barroso fala também sobre a colocação do Brasil no ranking da corrupção: “O Brasil é o 96º colocado no índice de percepção de corrupção da Transparência Internacional. Eu acordo todos os dias envergonhado com esse número”.

Sobre os governos Lula, o ministro do STF diz: “Não sou analista político. Mas os dois primeiros governos de Lula foram momentos venturosos do Brasil, com crescimento econômico, inclusão social e aumento de renda. Eu não sou analista econômico tampouco para dizer quando chegou a conta desse período. Mas as pessoas associam a esse período uma fase positiva de sua vida”.

Sobre a violência, Barroso acrescenta: “Eu destacaria ainda a questão da violência. São 63 mil homicídios por ano no Brasil, um genocídio de jovens que precisa entrar no radar da sociedade brasileira.

Quando o assunto é impeachment, Barroso manifesta, em tom de lamento, que o processo interrompeu o curso natural da democracia brasileira: “A minha visão é que [com o impeachment] se interrompeu artificialmente um ciclo que deveria ter tido o seu curso natural. Se ele se completasse, teria acabado naturalmente e talvez o quadro fosse outro”.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: