Comparação entre as propostas econômicas de Haddad e do Bozo para governar o Brasil

Marcos Doniseti, via Guerrilheiros do entardecer em 23/9/2018

Em 2013 o Brasil tinha um salário mínimo de R$678. E naquele ano 82% dos brasileiros ganhavam até 5 salários mínimos mensais. E a proposta de Bolsonaro de adotar uma alíquota única de Imposto será péssima para essa camada da população.

1) Bolsonaro é deputado federal há 28 anos e nunca fez nada de relevante no Congresso Nacional. Durante esse período ele foi de vários partidos, incluindo o PP de Maluf, do qual foi parlamentar por muitos anos.

2) Bolsonaro também apoia o governo Temer desde o início, tendo ajudado o mesmo a virar Presidente da República, sendo que votou a favor de todos os projetos importantes que Temer enviou ao Congresso Nacional, incluindo:
– Reforma Trabalhista;
– Terceirização generalizada;
– Entrega do pré-sal para o capital estrangeiro;
– Congelamento dos investimentos sociais por 20 anos (incluindo Saúde, Educação e Segurança).

Aliás, gostaria que algum eleitor dele me explicasse como é que a Saúde, a Educação e a Segurança irão melhorar se os investimentos nestes setores ficarão congelados por 20 anos.

E agora o candidato Bolsonaro também quer cobrar a mesma alíquota (20%) de Imposto de Renda de quem ganha salário mínimo e de quem ganha R$50 milhões.

3) Tal proposta irá empobrecer ainda mais os pobres e irá beneficiar os milionários, que hoje pagam alíquota máxima de 27,5% de Imposto de Renda e, com a proposta de Bolsonaro, passarão a pagar apenas 20%. Os milionários irão lucrar milhões com isso.

A taxa de desemprego (média anual) subiu fortemente durante o governo FHC (de 5,2% para 12,2%) e voltou a despencar nos governos Lula e Dilma (de 12,2% para 4,8%).

Então, está explicado porque os Grandes Capitalistas apoiam Bolsonaro. Afinal, eles serão os maiores beneficiados com as propostas do candidato do PSL, partido que faz parte da base de apoio do governo Temer;

4) Agora, só falta explicar porque os mais pobres, que serão imensamente prejudicados pelo seu governo, fazem o mesmo, querendo votar em um candidato que defende tais ideias que lhes são imensamente prejudiciais.

Atualmente, quem ganha até 2 salários mínimos não paga Imposto de Renda. Está isento. Quem ganha entre 2 e 3 salários mínimos paga uma alíquota 7,5%. E quem recebe entre 3 e 4 salários mínimos paga 15%.

Com essa proposta de Bolsonaro sendo adotada, todas estas pessoas (que são 90% dos trabalhadores brasileiros) passarão a pagar 20% de Imposto de Renda caso o Bolsonaro vença a eleição.

Portanto, as propostas de Bolsonaro irão empobrecer ainda mais a imensa maioria da população (90% do total, pelo menos), o que irá gerar aumento da fome, do desemprego, da miséria e da criminalidade em todo o país;

5) Enquanto isso, Haddad defende isenção total de Imposto de Renda para quem ganha até 5 salários mínimos, o que dá quase R$5.000 mensais (salário mínimo atual é de R$954).

Tal medida irá beneficiar cerca de 90% da população, pelo menos.

Evolução do salário mínimo no Brasil entre 1940 e 2016. Notem que as épocas em que ele teve seu maior poder de compra foi em dois momentos históricos em que o Brasil teve governos de linha Trabalhista (Vargas, JK, Jango; 1951-1964) ou Social-Democrata (Lula-Dilma; 2003-2015). Enquanto isso, durante a Ditadura Militar (1964-1985) ou em períodos de governos da Direita Neoliberal (Dutra, 1946-1950; Collor-FHC, 1990-2002) o poder de compra dele desmoronou. Deve ter sido mera coincidência, né?

Desta maneira, o poder de compra da população irá aumentar, pois as pessoas terão mais dinheiro para consumir, o que irá movimentar a economia.

Daí, teremos mais consumo, mais produção, mais empregos, mais salários, fazendo a economia crescer novamente. A pobreza, a fome, o desemprego e a criminalidade irão diminuir.

E com a economia voltando a crescer, as empresas e os governos (federal, estaduais e municipais) terão mais recursos para fazer investimentos.

Com a volta do crescimento econômico, puxado pelo aumento do poder de compra da população, as empresas irão faturar e lucrar mais e, desta maneira, voltarão a investir, o que irá gerar mais crescimento econômico (e mais consumo, empregos, salários, produção etc.).

Enquanto isso, com a volta do crescimento, o governo arrecadará mais impostos e terá mais recursos para voltar a investir em Educação, Saúde, Moradia, Segurança, Transporte Coletivo, Saneamento Básico.

Desta maneira é que o país sairá da crise e não aumentando a tributação sobre os mais pobres, como defende o Bolsonaro.

Haddad presidente!

Haddad é 13!

Evolução da Dívida Externa do Brasil em comparação com as reservas internacionais e os créditos que o país tem a receber. Entre 1995 e 2006 o Brasil foi devedor. Foi apenas a partir de 2007, no governo Lula, que o Brasil se tornou Credor Externo Líquido, possuindo reservas internacionais e créditos que superam o valor da Dívida Externa, condição que permanece até agora.

Referências
Haddad diz que irá dar isenção de IR para quem ganha 5 salários mínimos
A luta pelo salário mínimo no Brasil
Bolsonaro confirma que irá adotar alíquota única de 20% para o IR

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: