Por que a mídia brasileira esconde a crise na Argentina?

O peso argentino passa por derretimento ante o dólar e outras moedas. A miséria e os saques se propagam.

Comentarista da TVT, chama atenção para o contraste, na imprensa brasileira, entre a sempre destacada crise da Venezuela e a pouco noticiada falência neoliberal no vizinho.

Via RBA em 7/9/2018

Quando quer falar de crise na América do Sul, a imprensa brasileira recorre à Venezuela, sem citar o interesse norte-americano no petróleo. Porém, destaca o comentarista político da TVT José Lopez Feijoó, sobre a crise argentina a imprensa não quer falar. “Quase não aparecem notícias sobre o que está acontecendo”, diz Feijoó.

Ele observa que o país vizinho tem um presidente eleito, Mauricio Macri, que aplica uma gestão política neoliberal elogiada pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. “E qual é o resultado da política argentina? A moeda (peso) está derretendo frente ao dólar. A pobreza está aumentando assustadoramente. O desemprego também. As famílias estão sendo jogadas na miséria”, diz. “E começam a acontecer saques em meio à destruição dos direitos da população.”

Feijoó assinala que as imagens do desespero do povo argentino não aparecem nos noticiários brasileiros. “Aqui nós vivemos uma crise muito parecida. São milhões os desempregados, os desocupados ou na economia informal, com sua renda reduzida. São milhões os inadimplentes.” Assista:

Leia também:
Envergonhada pelo apoio dado a Macri, a mídia brasileira esconde o caos na Argentina

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: