O maior adversário de Bolsonaro se chama Bolsonaro, e é por isso que ele quer fugir do debate

Joaquim de Carvalho, via DCM em 24/8/2018

O presidente do partido que abriga Bolsonaro, o PSL, confirmou que ele não quer mais participar dos debates na TV.

“Ele está de saco cheio desses debates inócuos, que não levam a nada. Não sabemos se ele vai aos outros. Tem 40, 50% de chance de não ir”, afirmou Gustavo Bebianno, segundo reportagem da Folha de S.Paulo.

“Tem uma fórmula milagrosa para tudo. Ganha quem mente mais”, acrescentou.

No último debate, na Rede TV, ele foi confrontado pela candidata Marina Silva (Rede) pelas declarações discriminatórias que profere contra as mulheres.

Bolsonaro diz que, como presidente, nada pode fazer a respeito da diferença salarial entre homens e mulheres.

Seria uma questão do mercado.

Diante de Marina, o capitão reformado do Exército balbuciou algo como “Leia Paulo”.

Na verdade, ele estava se referindo ao apóstolo a quem é atribuída a autoria de uma série de cartas publicadas na Bíblia, consideradas a base da doutrina cristã.

Paulo diz muitas coisas, algumas até contraditórias, entre uma carta e outra, mas, no que diz respeito a mulheres, Bolsonaro talvez tenha se referido ao capítulo 14 de I Coríntios:

Porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz, como em todas as igrejas dos santos.
As vossas mulheres estejam caladas nas igrejas; porque não lhes é permitido falar; mas estejam sujeitas, como também ordena a lei.
E, se querem aprender alguma coisa, interroguem em casa a seus próprios maridos; porque é vergonhoso que as mulheres falem na igreja.

Conhecendo Bolsonaro, é muito provável que tenha querido dizer isso mesmo: as mulheres não devem falar em público.

Por que citaria Paulo, no contexto de um debate sobre igualdade de gênero?

Paulo também fala sobre as mulheres em outra carta, I Timóteo:

A mulher aprenda em silêncio, com toda a sujeição.
Não permito, porém, que a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio.
Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva.
E Adão não foi enganado, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão.
Salvar-se-á, porém, dando à luz filhos, se permanecer com modéstia na fé, no amor e na santificação.

Para quem não conhece a Bíblia, estas palavras, tomadas isoladamente, fora de contexto, causam justificadamente repugnância.

Nem na maioria das igrejas estas palavras são interpretadas ao pé da letra, já que são muitas as mulheres que dirigem reuniões e pregam.

Mas, para pessoas como Bolsonaro, justificam a supremacia do homem sobre a mulher.

Bolsonaro, penso, quis dizer a Marina:

“Fique no seu lugar. Você é mulher, eu homem. Você não tem nada a me ensinar”.

Mas ele não teve coragem de dizer o que muitos que frequentam igrejas pensam.

Como havia muita gente vendo – a audiência da Rede TV –, balbuciou:

“Leia Paulo”.

Para ele, que tem uma visão estreita do mundo, debater é muito perigoso.

Se disser exatamente o que pensa, só adquire mais rejeição.

Não perde voto, porque estes 15% da população brasileira que o apoiam pensam exatamente como ele.

Não ganham eleição majoritária.

Mas dividir o mesmo território com eles é o preço que se paga na democracia.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: