Suíça envia documentos que reforçam propina à campanha de José Serra

Novos documentos enviados por autoridades suíças mostram depósitos de valores que seriam propina da Odebrecht em uma conta gerida pela filha de José Serra.

Via Revista Fórum em 15/8/2018

Autoridades da Suíça enviaram para a procuradoria-geral da República, no final de junho, documentos que mostram o caminho do dinheiro que investigadores suspeitam ser propina da Odebrecht paga ao senador José Serra (PSDB). Os recursos teriam sido utilizados em forma de caixa 2 para a campanha do tucano ao governo do estado em 2006.

As novas informações foram anexados a um inquérito contra Serra que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF).

Os documentos que chegaram recentemente mostram, através de evidências como e-mails, que a offshore Circle Technical Compan, empresa conhecida como repassadora de propinas da Odebrecht, fez depósitos de 400 mil euros em uma conta na Suíça que tinha entre os administradores Verônica Serra, filha de José Serra.

O inquérito é baseado na delação de Pedro Novis, que já foi presidente da Odebrecht. Ele afirmou aos investigadores que foram repassados à campanha de Serra, de maneira ilegal, R$4,5 milhões.

Em nota, tanto Serra quanto a filha negaram qualquer envolvimento em repasses ilícitos.

***

“Pode isso, Arnaldo?”

DADOS DA SUÍÇA APONTAM SUPOSTO ESQUEMA ENVOLVENDO ARNALDO CEZAR COELHO E SERRA
Inquérito aberto no Supremo a partir de delação premiada de executivo da Odebrecht volta à tona com informações enviadas por autoridades suíças sobre supostas movimentações financeiras ilegais que envolvem o comentarista de futebol, seu irmão e o ex-governador José Serra (PSDB).

Via Revista Fórum em 13/8/2018

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, de acordo com o site Jota, defende o avanço das investigações contra o comentarista de futebol, Arnaldo Cezar Coelho, seu irmão, o empresário e ex-deputado federal Ronaldo Cezar Coelho (PSD/RJ), e mais duas pessoas. Todos são alvos de um inquérito que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) que envolve ainda o ex-governador de São Paulo, José Serra (PSDB).

O caso vem novamente à tona por conta do recebimento, por parte do Ministério Público Federal (MPF), de informações bancárias enviadas por autoridades suíças. Ainda não há informações sobre o que, exatamente, atinge Arnaldo Cezar Coelho e seu irmão nesse lote de informações recebido através de cooperação internacional. O MPF desconfia de movimentações financeiras ilícitas.

O inquérito foi aberto no STF a partir da delação premiada ex-diretor da Odebrecht Carlos Armando Paschoal. Ele disse ter pago ilegalmente R$23 milhões para a campanha de José Serra em 2010 e Ronaldo Cezar Coelho, irmão de Arnaldo, teria sido responsável pelo acerto de parte do valor.

O empresário alega que recebeu os recursos como pagamento do uso de um avião seu pelo PSDB.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: