Aumento salarial para STF é “imoralidade chapada”

Judiciário luta pelo indefensável auxílio-moradia.

Keneddy Alencar em 8/8/2018

Base frágil
Denúncias e inquéritos da Procuradoria Geral da República têm sido arquivados na 2ª Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) com relativa frequência. Pode ser sinal de tolerância do STF com crimes, mas também de inconsistência de acusações feitas com base apenas na palavra de delatores, sem outros elementos de prova.

Esse é o pano de fundo do pedido de arquivamento feito ontem pelo ministro Gilmar Mendes a respeito de uma acusação de repasse de R$500 mil em 2010 para a campanha do hoje

A política como ela é
O PT tem o direito de querer participar de debates presidenciais. No entanto, o partido paga pela estratégia na qual coloca Lula como candidato. Sem decisão judicial, os organizadores dos debates e os candidatos têm razão ao não querer debater com Fernando Haddad, que tem o posto de vice. Há debate de candidatos a presidentes e pode haver debates de candidatos a vice.

País machista
A campanha eleitoral tem um papel civilizatório. Ou deveria ter – sobretudo em tempos de flagrante defesa da selvageria no debate público.

Nos últimos dias, aconteceram caso rumorosos de feminicídio. Infelizmente, eles são uma triste realidade cotidiana das mulheres no Brasil, não apenas pontos fora da curva.

O feminicídio é um crime de ódio, ancorado em relações abusivas. Na maioria dos casos, começa com pequenas violências que vão se avolumando e acabam explodindo em determinado momento.

É preciso acabar com essa ideia de que não se mete a colher em briga de marido e mulher. Muitos pedidos de socorro são ignorados devido a uma cultura machista. Os homens precisam mudar seu comportamento. E a vítima nunca pode ser responsabilizada, como frequentemente acontece quando busca ajuda da polícia.

Sem noção
Os 11 ministros do STF devem discutir hoje proposta de aumento salarial de 16,38% para o Orçamento de 2019. O Supremo está em modo sindical, buscando formas de aumentar salários e de continuar a abocanhar o auxílio-moradia.

Num país em que a recessão comeu quase 8 pontos percentuais do PIB (Produto Interno Bruto), no qual doenças do século 20 voltaram a preocupar e com uma massa de desempregados, só o egoísmo de uma elite que já ganha muito bem explica a tentativa de reajustar salários no meio da enorme crise fiscal. É uma forma de subtrair dinheiro dos mais pobres.

O ministro Luiz Fux, sempre tão falante para antecipar julgamentos em relação a Lula, deveria ser o primeiro a defender o fim da sua decisão liminar, monocrática e precária que criou a farra do auxílio-moradia. Deveria também se posicionar contra aumento salarial nesta hora.

Afinal, trata-se de uma imoralidade chapada com efeito cascata danoso para as contas públicas. A aprovação de aumento salarial agora seria um tapa na cara da sociedade.

Gente
Foi um acerto a reabertura da fronteira de Roraima com a Venezuela. A Justiça corrige um erro que agravaria uma crise humanitária que demanda socorro do Brasil.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: