PT quer a suspeição do ministro Luiz Fux no caso Lula

Via Coluna do Estadão em 3/8/2018

Advogados eleitorais do PT não descartam ingressar na Justiça questionando o presidente do TSE, Luiz Fux, por ter antecipado sua posição a favor da inelegibilidade do ex-presidente Lula. A preocupação não é com o julgamento na Corte Eleitoral. O mandato dele termina no dia 14 e quem vai conduzir o caso é a ministra Rosa Weber. Mas a discussão sobre a candidatura deve chegar ao Supremo. É nesse momento que a defesa vai bater o martelo sobre um eventual pedido de suspeição por declarações de Fux que podem indicar um prejulgamento.

O que ele disse.
Fux já afirmou nos autos que a inelegibilidade de Lula é “chapada”. Também declarou em entrevista, sem citá-lo nominalmente, que político ficha-suja não pode forçar candidatura. Ontem, o ministro disse que não vai comentar o assunto.

Mira.
Michel Temer se referiu ontem [2/8], na convenção do MDB, a adversários como “pigmeus” e “uns pobres coitados” de maneira genérica, mas o discurso tinha um alvo: Ciro Gomes.

Gota d’água.
A indireta do presidente é uma resposta aos frequentes ataques que recebe de Ciro Gomes. Na quarta, o candidato do PDT chamou Temer de “ladrão”. Em outras ocasiões, já disse que ele é “quadrilheiro” e “grande canalha”.

Cadê?
O ministro Carlos Marun alfinetou o senador Renan Calheiros (MDB/AL) por ter desistido de discursar contra a candidatura de Henrique Meirelles na convenção do MDB: “Acho que cheguei atrasado, pois não vi o Renan discursar”.

Fui.
Renan fugiu do palanque após ser alertado de que seria recebido aos gritos de petista e traidor.

Novos planos.
O acerto entre Geraldo Alckmin e Ana Amélia representa mais uma baixa na campanha de Jair Bolsonaro. Luis Carlos Heinze (PP/RS), que daria palanque ao militar, deve abrir mão de sua candidatura ao governo.

Linha de tiro.
A atuação do ministro Torquato Jardim (Justiça) é alvo de críticas no Congresso. Pelo menos um deputado já levou a insatisfação ao ministro Carlos Marun. Ele confirma, mas nega intenção de troca neste momento.

Um pé dentro…
Fiadores da candidatura de Geraldo Alckmin ao Planalto, DEM e PP continuam indicando nomes para assumir cargos no governo Temer. O Diário Oficial da União de hoje traz a nomeação de Henrique Sartori (DEM/MS) para a secretaria executiva do Ministério da Educação.

… outro fora.
O PP também vai preencher uma diretoria da ANS. O partido indicou Davidson Tolentino, mas ele pediu para ser substituído. O presidente da sigla, Ciro Nogueira, disse à Coluna que vai apresentar outro nome ao governo.

CLICK.
Antes de fechar com Henrique Meirelles (MDB), Marcelo Aro, presidente do PHS, foi assediado por Geraldo Alckmin, que o visitou em Belo Horizonte no sábado.

Polêmico.
No documento em que apresenta os critérios de divisão do fundo eleitoral ao TSE, o Podemos transfere plenos poderes à presidente Renata Abreu, a quem caberá, posteriormente e sem prazo, distribuir os valores.

Em cima da hora.
Dos 35 partidos, 13 ainda não apresentaram os critérios para divisão dos recursos.

Sem troca.
O advogado Fernando Neisser atua desde o início na equipe que defende o registro da candidatura de Lula. Eugênio Aragão é o coordenador-geral.

PRONTO, FALEI!
Romero Jucá, senador (RR) e presidente nacional do MDB: “Os partidos que quiserem sobreviver vão ter que deixar de fazer conchavos”, em convenção na qual o MDB aprovou a candidatura de Henrique Meirelles à Presidência.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: