Festival Lula Livre repercute em sites do mundo inteiro

Apesar do pouco destaque e cobertura tendenciosa da mídia brasileira, jornais de todo o mundo divulgaram o sucesso do festival pela liberdade de Lula.

Via Portal do PT em 30/7/2018

O Festival Lula Livre terminou o sábado [28/7] em primeiro lugar nos assuntos mais comentados no Twitter do Brasil, e apesar de receber pouco destaque na mídia hegemônica brasileira, que fez uma cobertura exígua e tendenciosa, foi tema de matérias publicadas em jornais de todo o mundo.

A agência estadunidense Associated Press (AP) publicou uma matéria intitulada “Celebridades brasileiras realizam show Lula Livre no Rio”, onde afirma que, apesar de preso, Lula segue como o mais popular político brasileiro e lidera com folga as pesquisas eleitorais do país.

“A imagem de Da Silva podia ser vista em toda parte: em camisas, bandanas e máscaras, enquanto sua imagem animada dançava nas telas ao lado do palco. Entre os sets, seus apoiadores começaram a gritar ‘Lula Livre!’, enquanto os organizadores incentivavam a gritar alto o suficiente para que Lula ouvisse da cidade de Curitiba”, destacou o texto da AP.

A reportagem foi reproduzida em importantes jornais como The New York Times, Washington Post, o site do canal de TV alemã ZDF e muitos outros veículos, como Arizona Daily Sun, St. Louis Post Dispatch, Journal Gazette & Times-Courier, a rádio KRMG de Oklahoma, entre outros.

A agência francesa AFP também publicou texto, destacando os milhares de pessoas no festival e a liderança de Lula em todas as pesquisas eleitorais. “Os gigantes da música brasileira Gilberto Gil e Chico Buarque se apresentaram no sábado, no Rio de Janeiro, no Festival Lula Livre, organizado para exigir a libertação dos ex-presidente brasileiro preso desde abril”.

O texto foi reproduzido por veículos como Libération e L’Express da frança, a RTL Info da Bélgica, Cote-d-ivore.net da Costa do Marfim.

A revista alemã De Spiegel também publicou uma matéria em seu site, destacando a presença de 80 mil pessoas no festival e relembrando o novo golpe jurídico ocorrido no início de julho, quando Sérgio Moro, articulado com os desembargadores Carlos Thompson Flores e João Pedro Gebran, impediram que se cumprisse a decisão de Rogério Favreto, para que Lula fosse libertado após um habeas corpus.

***

FESTIVAL LULA LIVRE NO THE WASHINGTON POST
Via Jornal GGN em 30/7/2018

O jornal The Washington Post, ao contrário da grande mídia brasileira, publicou extensa matéria sobre o Festival Lula Livre, ocorrido no Rio, no sábado, 28. A publicação informa aos seus leitores que alguns dos músicos mais populares do Brasil pediram pela liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. E também que dezenas de milhares de pessoas estiveram nos Arcos da Lapa.

O jornal informa que a condenação do ex-presidente de esquerda Lula foi por uma sentença politicamente motivada. E que o Festival, no icônico Arcos da Lapa, apresentava nomes familiares no Brasil, como Chico Buarque e outros músicos latino-americanos.

“A imagem de Da Silva podia ser vista em toda parte: em camisas, bandanas e máscaras, enquanto sua imagem animada dançava nas telas ao lado do palco. Entre os sets, os torcedores irromperam em gritos de “Free Lula!”. Enquanto os organizadores os incentivavam a gritar alto o suficiente para que Lula os ouvisse na cidade de Curitiba”, diz a publicação.

O post informa que Lula, outros políticos e líderes empresariais foram condenados na chamada investigação Lava-Jato (Car Wash). E que a sentença de Lula dividiu as pessoas no maior país da América Latina, de um lado os que defendem uma vitória contra a corrupção, e de outro os argumentos de que isso equivale a uma caça às bruxas contra partidos de esquerda e políticos.

The Washington Post, em matéria de Beatrice Christofaro, da AP, informa ainda que Lula continua sendo um dos políticos mais populares do Brasil e que, atualmente, lidera as pesquisas para a disputa presidencial de outubro. A publicação entrevistou presentes no concerto e a estudante Tayna Sena, de 22 anos, disse que “as elites estão com medo porque, mesmo quando ele está na prisão, pois ele pode obter mais apoio do que qualquer outro político.”

Segundo o jornal, é improvável que ele entre na votação, embora isso não o tenha impedido, e aos seus defensores, de fazer campanha. E cita a Lei de Ficha Limpa e seus impedimentos.

Os partidários de Lula, diz o jornal, incluindo grandes nomes da cena artística brasileira, continuam determinados a colocar seu nome na cédula. A grande aceitação do nome de Lula se dá pela nostalgia dos programas sociais e da economia em expansão conseguidos em seus mandatos. E os partidários protagonizam protestos, assinam petições ou organizam concertos.

“No Brasil, há uma tradição de muitos artistas famosos apoiando causas esquerdistas”, disse Ricardo Cravo Albin, um dos mais importantes musicólogos do Brasil, ao jornal. Segundo Albin, Chico desempenha um papel crucial do apoio de Lula na comunidade artística.

“A liderança de Chico Buarque é inegável. Ele é um dos artistas mais respeitados do país “, explicou Cravo Albin ao The Washington Post.

A ÍNTEGRA DO FESTIVAL LULA LIVRE PELA TVT

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: