Hospício Brasil: Carlos Marun chama Ciro de débil mental, propõe tribunal acima do STF, anistia a caixa 2 e SUS pago

O Limpinho reproduz textos em que Carlos Marun, secretário de Governo e cão de guarda dançante de Temer, propõe pautas absurdas que só poderia sair de um “expoente” do tal centrão golpista.

MARUN PROPÕE TRIBUNAL ACIMA DO STF, ANISTIA A CAIXA 2 E SUS PAGO
Via Brasil 247 em 23/7/2018

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, vai se tornando um articulador informal de duas candidaturas: a de Alckmin e a de Meirelles – que a rigor, representam o mesmo projeto. Marun operou, juntamente com Temer, para bloquear o apoio do centrão a Ciro Gomes (PDT) e, agora, para manter as aparências partidárias, formula estratégias para Meirelles. Ele propõe uma corte acima do STF (Superior Tribunal Federal), a anistia ao caixa 2 e a cobrança de mensalidade no SUS (Sistema Único de Saúde).

Em mensagem encaminhada a Meirelles e a deputados do MDB, Marun afirma que o partido “tem um ótimo candidato” e “liberdade” para estabelecer um programa “que não seja refém das mazelas de um presidencialismo de coalizão”.

Segundo o ministro, responsável pela articulação política do governo Michel Temer, esse sistema – praticado pelo presidente, inclusive – tem a “tendência de transformar-se em um balcão de negócios”. “Vamos desburocratizar as eleições, mas punir realmente o uso de dinheiro ilegal nos pleitos. Podemos propor uma forma de leniência para o caixa 2 já praticado e o criminalizarmos para o futuro”, diz o texto do ministro.

E segue: “Vamos propor mandatos para o STF, revogar a Lei da Bengala, votar a Lei do Abuso de Autoridade, e criarmos uma Corte Constitucional que possa dirimir conflitos entre as decisões do STF e a Constituição Federal”.

O ministro ainda afirma que a candidatura do MDB deve propor a manutenção do Bolsa Família – principal bandeira dos governos do PT –, mas que a gratuidade absoluta no atendimento pelo sistema público de saúde deve ser restrito apenas “para aqueles que são realmente carentes”. Nos outros casos, defende Marun, é preciso cobrar um valor mínimo.

Leia mais aqui.

***

MARUN TENTA SE EXPLICAR APÓS CHAMAR CIRO GOMES DE “DÉBIL MENTAL”
Via Folha on-line em 22/7/2018

Depois de chamar o candidato à Presidência da República pelo PDT, Ciro Gomes, de “débil mental” em um grupo de WhatsApp, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, divulgou nota na noite de domingo [22/7] afirmando que não teria usado a expressão se soubesse que ela viria a público.

Segundo o ministro, a mensagem a parlamentares do MDB e ao pré-candidato do partido, Henrique Meirelles, tratava de posições pessoais que ele deseja discutir com o partido.

“Admito que se soubesse que as mesmas se tornariam públicas não teria utilizado o termo ‘débil mental’ em relação ao Sr. Ciro Gomes, por reconhecer que, independentemente de minhas posições pessoais, um candidato a presidente da República deve ser publicamente tratado com o maior respeito”, afirmou Marun.

A nota de Marun não comenta outros trechos polêmicos da mensagem. Entre outras propostas, o ministro de Michel Temer defendeu uma forma de “leniência” ao caixa dois praticado em eleições passadas e a fixação de mandato para ministros do STF (Supremo Tribunal Federal).

Marun sugeriu a criação de uma corte constitucional para “dirimir conflitos” entre o STF e a Constituição, um conselho superior para controle externo das polícias e ainda avançou sobre a área social, ao recomendar o fim da gratuidade total aos pacientes no SUS (Sistema Único de Saúde).

***

JUCÁ DESAUTORIZA MARUN E DIZ QUE POSICIONAMENTOS DELE SÃO DE “CUNHO PESSOAL”
Lido no DCM em 23/7/2018

O presidente nacional do MDB, senador Romero Jucá (RR), usou as redes sociais para afirmar que as opiniões do ministro Carlos Marun (Secretaria de Governo) distribuída em mensagem a parlamentares do partido não representa o posicionamento oficial da legenda e são de “cunho pessoal”.

No domingo [22/7], Marun enviou um texto a lideranças propondo uma forma de “leniência” ao caixa 2 praticado em eleições passadas e recomendou o fim da gratuidade total aos pacientes no Sistema Único de Saúde (SUS). Além disso, Marun afirmou que o governo vetou o apoio do Centrão a Ciro Gomes (PDT), chamando o presidenciável pedetista de “débil mental”.

[…]

No Twitter, Jucá desautorizou Marun ao dizer que os posicionamentos defendidos pelo ministro não são do partido. “O ministro Marun é um membro ilustre do nosso partido, mas as suas posições são de cunho pessoal e não representam o posicionamento do MDB. A nossa proposta para as eleições é clara”, escreveu o senador.

O presidente da legenda reforçou que os documentos “Ponte para o Futuro”, elaborado em 2015, e “Travessia Social”, de 2016, definem as bases de propostas do partido e, no período eleitoral, o pré-candidato à Presidência Henrique Meirelles é o porta-voz dos posicionamentos do MDB.

***

“MDB É MUITO ECLÉTICO”, DIZ TEMER SOBRE FRASES POLÊMICAS DE MARUN
Via Jornal GGN em 24/7/2018

Michel_Temer818_Marun_Padilha.jpg

O presidente Michel Temer minimizou na terça-feira [24/7] a mensagem do ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, no qual chama o pré-candidato Ciro Gomes (PDT) de “débil mental”, que defende uma “leniência” ao caixa dois já praticado, a criação de uma Corte superior ao STF para “dirimir conflitos” com a Constituição e o mandato para ministros do Supremo.

“O PMDB é um partido muito eclético. Vocês sabem disso. E cada um tem as suas opiniões”, respondeu Michel Temer, durante encontro da cúpula da Aliança do Pacífico no México, ao lado do presidente chileno Sebastián Piñera.

“Vamos propor mandatos para o STF, revogar a Lei da Bengala, votar a Lei do Abuso de Autoridade, e criar uma Corte Constitucional que possa dirimir conflitos entre as decisões do STF e a Constituição Federal. Vamos propor um Conselho Superior para as Polícias, para que não prospere o Estado Policialesco e as ações dos maus policiais tenha controle externo”, havia dito Marun, em grupo de WhatsApp do MDB.

O ministro e um dos braços direitos de Temer também sugeriu que o SUS seja pago. Alvo da Operação Registro Espúrio, Carlos Marun caracterizou a “leniência ao caixa dois” como uma forma para “desburocratizar as eleições”.

O grupo de WhatsApp a quem Marun publicou suas ideias, no domingo [22/7] inclui parlamentares do MDB e o próprio candidato do partido escolhido por Temer para disputar as eleições presidenciais, Henrique Meirelles.

“O Marun, como emedebista antigo, mandou na verdade uma mensagem por zap [sic] por um grupo de contatos. Ele até brincou ontem [segunda] que, se ele soubesse que viria a público, teria dito outras palavras em relação a um pré-candidato à Presidência da República”, comentou o mandatário Michel Temer, fazendo referência ao comentário de Marun sobre Ciro, chamando-o de “débil mental”.

“Mas o PMDB é assim, é um partido em que todos têm a sua opinião, e o Marun expressou a sua”, completou Temer, minimizando as ideias de Marun.

Leia também
Carlos Marun, braço direito de Temer, fraudava pareceres do Ministério do Trabalho, diz PF
Carlos Marun, da tropa de choque de Temer, é acusado de desvio de R$16,6 milhões
Câmara samba em nossa cara e salva Temer mais uma vez

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: