Se Temer é o dono do “centrão”, o “centrão” virou dono de Alckmin…

Fernando Brito, via Tijolaço em 20/7/2018

Na formatação das candidaturas e de suas alianças, ninguém duvida, estamos assistindo a um negócio.

Tomemos, portanto, esta lógica de negócios para refletir.

Michel Temer é o dono do “centrão”, porque o “centrão” é o dono do governo.

Tanto que a sua determinação de que parassem as gracinhas com Ciro Gomes foi ordem dada e executada.

Agora, o “centrão” é o dono de Geraldo Alckmin, pois é dono de très quartos de seu grande “tesouro” eleitoral, o tempo de televisão.

Um velho cartesiano feito este que escreve não esquece daquela tautologia lógica: Se A é igual a B, se B é igual a C, então A é igual a C.

Donde, como naquele tempo em que se escrevia abaixo das deduções matemáticas o CQD (de como queríamos demonstrar), pode-se concluir que Michel Temer é o dono de Geraldo Alckmin.

Passa-se à segunda propositura lógica: se Michel Temer é o dono do PMDB e Henrique Meirelles é o candidato do PMDB, logo Henrique Meirelles é candidato enquanto Michel Temer quiser que ele seja.

Pois Henrique Meirelles não é seu candidato, exceto para o papel canhestro de vestir a camiseta do “Eu sou Temer” e receber as pedradas, enquanto Geraldo de Tróia entra protegido pelo Cavalo do Centrão.

O resumo da ópera é que, agora, há um candidato de situação – Alckmin – a se apresentar junto com um candidato de simulação (ou decorativo, se preferirem): Meirelles.

E um dono de ambos: ele mesmo, Michel Temer.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: