Em plantão, Cármen Lúcia reduz tempo de investigação contra Aécio

Em seu despacho, a ministra disse que “a vítima, o réu e a sociedade” têm direito a processo “sem procrastinação”.

Via Jornal GGN em 14/7/2018

No plantão do recesso judicial, a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, é responsável por julgar e despachar casos que sejam considerados urgentes. Entre os processos, a ministra decidiu analisar o inquérito do senador Aécio Neves (PSDB/MG) e diminuir o prazo solicitado pelos investigadores para concluir a apuração contra o tucano.

Nesta semana, Cármen concedeu apenas a metade tempo solicitado pela Procuradoria Geral da República (PGR) e pela Polícia Federal (PF) para que as investigações contra o senador na Operação Lava-Jato sejam finalizadas. Ao invés de 60 dias, a ministra permitiu apenas 30, em plenas férias do Judiciário.

A apuração tem como base as delações da Odebrecht que acusam o senador tucano de receber R$30 milhões da empreiteira para influenciar o andamento de projetos das usinas de Santo Antônio e Jirau no Rio Madeira. Além da Odebrecht, a Andrade Gutierrez também teria repassado outros R$20 milhões ao parlamentar, totalizando R$50 milhões em vantagens indevidas.

De acordo com Cármen Lúcia, o motivo para reduzir pela metade o tempo de investigação é “evitar dilações processuais indevidas”. “O direito ao processo penal sem procrastinação é da vítima, do réu e da sociedade. Pelo exposto, para evitar dilações processuais indevidas, defiro o prazo de 30 dias para a conclusão das investigações”, despachou a ministra.

A PGR afirmou que diversos indícios contra o tucano foram juntados ao inquérito, incluindo documentos, registros de entrada e saídas das empresas, movimentações financeiras e os depoimentos da Andrade Gutierrez, além dos executivos da Odebrecht.

Mas a PGR Raquel Dodge afirmou que “ainda restam diligências pendentes, o que justifica a necessidade de prorrogação de prazo para a conclusão desta investigação”. O que foi negado pela presidente do STF e plantonista da Corte nas férias. A decisão foi assinada na quarta-feira [11/7] por Cármen Lúcia e publicada no sistema do Supremo Tribunal online na sexta-feira [13/7].

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: