CIA, Geisel e Elio Gaspari: Mais um mito cai por terra

Mauro Lopes em 11/5/2018

Com a revelação de que Geisel autorizou pessoalmente o assassinato de opositores da ditadura, cai por terra o mito Elio Gaspari.

Incensado por boa parte da imprensa como “gênio”, Gaspari construiu em seus quatro livros sobre Ernesto Geisel a ficção de que o general-presidente seria um déspota esclarecido que teria combatido a “linha dura” conduzido o país com firmeza e clarividência de volta à democracia. Era cascata. Para ficar no jargão, em vez de um furo, Gaspari produziu uma das maiores barrigas do jornalismo brasileiro.

Depois de mais de 15 anos de pesquisas e os quatro livros, Gaspari deixou passar o mais importante e enrolou seus leitores com uma peça… de ficção – como, de meu ponto de vista, faz com regularidade em sua coluna, desde sempre.

O texto da CIA que agora vem à luz é de fazer vomitar. E ainda há quem queira esse tempo de volta.

Memorando do diretor da CIA Colby ao secretário de Estado Kissinger
Washington, 11 de abril de 1974 .
Objeto:
Decisão do Presidente do Brasil, Ernesto Geisel, de continuar a execução sumária de subversivos perigosos sob certas condições
1) [1 parágrafo (7 linhas) não desclassificado]
2) Em 30 de março de 1974, o presidente brasileiro Ernesto Geisel reuniu-se com o general Milton Tavares de Souza ( General Milton) e com o general Confúcio Danton de Paula Avelino, respectivamente os chefes de saída e chegada do Centro de Inteligência do Exército (CIE). Também esteve presente o general João Baptista Figueiredo, chefe do Serviço Nacional de Inteligência (SNI).
3) O General Milton, que fez a maior parte da conversa, delineou o trabalho da CIE contra o alvo subversivo interno durante a administração do ex-presidente Emilio Garrastazu Médici . Ele enfatizou que o Brasil não pode ignorar a ameaça subversiva e terrorista, e disse que métodos extra-legais devem continuar a ser empregados contra subversivos perigosos. A este respeito, o General Milton disse que cerca de 104 pessoas nesta categoria foram sumariamente executadas pela CIE durante o ano passado, aproximadamente. Figueiredo apoiou essa política e insistiu em sua continuidade.
4) O presidente, que comentou sobre a gravidade e os aspectos potencialmente prejudiciais desta política, disse que queria refletir sobre o assunto durante o fim de semana antes de chegar a qualquer decisão sobre [Página 279]se ele deve continuar. Em 1º de abril, o presidente Geisel disse ao general Figueiredo que a política deveria continuar, mas que muito cuidado deveria ser tomado para assegurar que apenas subversivos perigosos fossem executados. O Presidente e o General Figueiredo concordou que, quando a CIE prender uma pessoa que possa se enquadrar nessa categoria, o chefe da CIE consultará o General Figueiredo, cuja aprovação deve ser dada antes que a pessoa seja executada. O Presidente e o General Figueiredo também concordaram que a CIE deve dedicar quase todo o seu esforço à subversão interna, e que o esforço geral da CIE será coordenado pelo General Figueiredo .
5) [1 parágrafo (12½ linhas) não desclassificado]
6) Uma cópia deste memorando será disponibilizada ao Secretário de Estado Adjunto para Assuntos Interamericanos. [1½ linhas não desclassificadas] Nenhuma distribuição adicional está sendo feita.

PS.: Quem trabalhou com Gaspari na Veja e não era seu puxa-saco nem está comprometido com um cantinho na imprensa golpista pode dar um depoimento sobre quem é o ex-mito, suas relações com uma das “crias” do general Golbery do Couto e Silva, o coronel Heitor Aquino Ferreira, que circulava com desenvoltura pela redação da revista –e a maneira como ele tratava os jornalistas.

***

Palmério Dória sobre Elio Gaspari: “Exaltou Geisel, que aparece agora em documentos da CIA apenas como facínora”.
Via DCM em 11/5/2018

Leia também:
Coletânea de textos: O que você precisa saber para não ter saudade da ditadura civil-militar
CIA, Globo, ditadores e genocidas
Jornalista diz que, com o documento da CIA, livros de Elio Gaspari se tornaram caso para o Procon
Documento da CIA relata que cúpula do governo militar brasileiro autorizou execuções
Há um Brasil doente que tem saudade das execuções de opositores na ditadura
Documentos indicam que Roberto Marinho foi um dos principais articuladores da ditadura militar no Brasil
A Globo e a ditadura militar, segundo Walter Clark
Conheça dez histórias de corrupção durante a ditadura militar
Vídeo: “Donos da Globo são filhotes do Império”, afirma Hugo Chavez
O poder corrupto da TV Globo

Uma resposta to “CIA, Geisel e Elio Gaspari: Mais um mito cai por terra”

  1. heloizahelenapiasblog Says:

    agora os nomes estão começando aparecer, virão mais coisas, poius ainda há muitos relatos a serem revelados q devem estar escondidos nos portões das ditaduras, agora sabem pq Veja está acabada,ou acabaram com ela de x. ________________________________________

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: