Bolsonaro é o herdeiro de Geisel e Figueiredo

Alex Solnik em 11/5/2018

A gente achava, naquele tempo, que assassino era o Médici. E era. Me sequestraram em minha casa às 6 da manhã do dia 4 de setembro de 1973. Eu estava de pijama. Os meganhas, apontando metralhadoras, em roupas civis. “Hitler não completou o serviço com vocês”, me disseram. Sabiam que eu era judeu.

Me deixaram 45 dias encarcerado no DOI-Codi sem me acusar de nada. Não davam explicações. Tive a pachorra de perguntar ao Brilhante Ustra, que me conduziu ao X-5, onde fiquei “hospedado” porque me prenderam.

“Você é o hippie da AP”, respondeu ele.

“Não sou”, retruquei.

“Nós vamos provar que é”.

Não provaram nada. Nenhum dos presos – militantes de grupos armados ou desarmados contra a ditadura – me reconheceu. Eu era um estranho no ninho.

Estávamos dentro de um presídio do II Exército, comandado pelo general Milton Tavares de Souza, que voltou ao noticiário ontem.

No documento da CIA é ele quem revela ao então ditador, general Ernesto Geisel e ao seu chefe do SNI e futuro sucessor, João Figueiredo os números de oposicionistas executados em 1973: 104. Também é quem recomenda ao recém-empossado general que a política de execuções deve continuar. Geisel concorda, com uma ressalva. Executar só os perigosos, e só com autorização expressa dele ou de Figueiredo.

Naquele setembro de 1973 eu já sabia que a tortura e as execuções eram parte da política de estado. Oficiais do exército, com seus uniformes verde-oliva visitavam minha cadeia. Não era um lugar clandestino.

Mas só agora ficamos sabendo por meio da CIA que não só Médici, mas também Geisel e Figueiredo foram assassinos. Ninguém nos tinha revelado essa monstruosidade, não estava em documentos brasileiros. A CIA sabe mais sobre nós do que nós mesmos.

Não sei se episódios como esse foram registrados em documentos oficiais brasileiros e se eles foram queimados – como alegam os militares – ou se continuam escondidos, impedindo os brasileiros de conhecerem a sua própria história.

Esse foi o grande erro da redemocratização. Não mexeu nas feridas. Não mostrou todas as vísceras da ditadura, tal como a Alemanha fez em relação ao nazismo.

A anistia, que deveria perdoar somente os crimes, acabou ocultando tudo. Nós preferimos varrer as nossas mazelas para debaixo do tapete.

As novas gerações, que não sabem o que aconteceu, correm o risco de repetir, devido à ignorância, os erros do passado. Não sabem quem foi Médici, quem foi Geisel, quem foi Figueiredo, e o que fizeram a brasileiros jovens e belos.

Muitos deles não conseguem enxergar quem é Bolsonaro. E que ele é o herdeiro direto desses ditadores assassinos.

Leia também:
Coletânea de textos: O que você precisa saber para não ter saudade da ditadura civil-militar
Documento da CIA explica o silêncio de Figueiredo no caso Riocentro
CIA, Globo, ditadores e genocidas
CIA, Geisel e Elio Gaspari: Mais um mito cai por terra
Jornalista diz que, com o documento da CIA, livros de Elio Gaspari se tornaram caso para o Procon
Eles mataram garotos: 56% dos mortos na ditadura tinham menos de 30 anos
Geisel, Bolsonaro e a servidão aos EUA
Filho de Herzog pede a ministro que solicite aos EUA “liberação completa” dos arquivos da CIA sobre a ditadura
A barbárie de Geisel e os propagadores do ódio
Documento da CIA relata que cúpula do governo militar brasileiro autorizou execuções
Há um Brasil doente que tem saudade das execuções de opositores na ditadura
Documentos indicam que Roberto Marinho foi um dos principais articuladores da ditadura militar no Brasil
A Globo e a ditadura militar, segundo Walter Clark
Conheça dez histórias de corrupção durante a ditadura militar
Vídeo: “Donos da Globo são filhotes do Império”, afirma Hugo Chavez
O poder corrupto da TV Globo

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: