Quem sabe mesmo superfaturar é o Pentágono

Rogerio Maestri em 24/4/2018

Os nossos representantes do poder “judiciário” falam de boca cheia que somos subdesenvolvidos e que superfaturamos nossas obras públicas, e muitos como o DD acham que a cultura dos Pilgrims que chegaram em 1620 nos Estados Unidos da América do Norte, se manteve intacta e transmitiu durante várias gerações a eficiência de seu trabalho embalado em orações.

Pois bem, na realidade DD e outros do fantástico “judiciário” Brasileiro tem realmente razão, os nossos grandes irmãos do Norte, e principalmente a turma do Pentágono, tem pós-doutorado e superfaturamento enquanto nossos corruptos ainda estão no trabalho de conclusão de curso.

Já há vários anos vem se enrolando a história dos fantásticos caças F-35 que desde o início seria o maior projeto militar em termos de custo do mundo e com os resultados finais torna-se o maior superfaturamento da história universal.

Numa revista norte-americana especializada em armamentos saiu no dia 21 de abril deste ano, ou seja, a poucos dias atrás, uma reportagem extensa e cheia de discussões técnicas com o seguinte título:

Is the F-35 Really Worth the $1,500,000,000,000 Price Tag?”

O artigo se detém mais em restrições técnicas destes caças pelo governo norte-americano, porém a questão custo de um projeto que em seu lançamento custaria a fantástica soma de US$800 bilhões o autor deixa implícito, porém ele dá um link a outra revista técnica especializada em corrupções no governo norte-americano a POGO “Project On Government Oversight” em que o título diz tudo:

Defense Contractors Holding the Pentagon Hostage with Service Contracts”

O mais interessante é que a POGO tem uma página que dá dicas aos denunciantes como eles devem fazer denúncias sem que sejam perseguidos posteriormente a página “Report Corruption“, que já no subtítulo adverte aos possíveis denunciantes “For your protection, do not use a government, contractor or grantee phone, fax, or computer to contact POGO.”, ou seja, mande sua denúncia por carta porque o resto está grampeado.

Mas voltando ao superfaturamento, que segundo o DD não existe nas terras dos “Pilgrims”. O esquema é simples e este sim é o verdadeiro mensalão, mas do Pentágono, os fabricantes fazem armas cada vez mais sofisticadas em que a manutenção mais cara fica por conta da empresa que as fabricou, e isto durará décadas.

Para provar a verdadeiro mensalão, o do Pentágono, o autor remete a outra página em que está listado o contrato anual que deverão os licitantes cumprirem e receberem a grana “FY2018-2019 F-35 Annualized Sustainment Contract Federal Project, porém como diz neste mesmo contrato, há uma imensa série de itens que deverão ser necessariamente serem executados pelo fabricante de origem do equipamento.

Caros, superfaturados, ineficientes e ainda sem pronta entrega!
Além de preços superfaturados, ineficientes (leiam sobre os fantásticos capacetes dos F-35) grande parte das peças de reposição só podem ser entregues num período de dois anos, ou seja, 20% da fantástica frota dos fantásticos caças F-35 em 2017 ficarão dois anos no chão esperando peças de reposição da Lockheed Martin.

Se alguém ler os artigos referidos aqui no texto, verão porque os Norte-americanos não estão conseguindo ganhar mais guerras há muito tempo, pois a imensa parte daquele imenso orçamento da defesa vai para o bolso dos fabricantes e de seus funcionários civis e militares que devem ter sido devidamente corrompidos para aprovar o show de horrores.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: