Bernardo Mello Franco: O delegado que morreu pela boca

Bernardo Mello Franco em 28/2/2018

No primeiro dia, ele já disse a que veio. Minutos depois de assumir o comando da Polícia Federal, Fernando Segóvia saiu em defesa do chefe. Ele sugeriu que as investigações contra Michel Temer não teriam reunido provas suficientes para denunciá-lo.

“Uma única mala talvez não desse toda a materialidade criminosa de que a gente necessitaria”, disse. O delegado se referia a um flagrante de corrupção explícita: a entrega de R$500 mil a Rodrigo Rocha Loures, ex-assessor do presidente.

Segóvia ascendeu na polícia com a ajuda da política. Sua nomeação teve as digitais de José Sarney, Eliseu Padilha e Augusto Nardes. Em comum, todos enrolados em delações da Lava-Jato.

Os padrinhos não tiveram motivo para se arrepender. Sob nova direção, a PF reduziu o ritmo de operações contra aliados do governo. A temporada de sustos ficou para trás. Figurões em apuros, como Aécio Neves, sumiram discretamente do noticiário de escândalos.

Em dezembro, Segóvia passou a agir de forma mais ostensiva. Trocou o chefe da delegacia de Santos, que apura a ligação do presidente com suspeitas de favorecimento no decreto dos portos. Foi recompensado com convites para frequentar o Planalto.

No início deste mês, o diretor da PF exagerou na dose. Em entrevista à Reuters, ele disse que não havia indício de crime no inquérito dos portos. Ainda ameaçou retaliar o delegado do caso, que fez perguntas incômodas ao presidente.

As declarações deram início a um motim na polícia. O ministro Luís Roberto Barroso intimou Segóvia a se explicar no Supremo. A procuradora Raquel Dodge deu o último tiro na segunda-feira, sugerindo seu afastamento do cargo.

Ontem, o delegado puxou aplausos para o novo ministro da Segurança Pública, que passou a comandar a PF. Não adiantou nada, porque Raul Jungmann já havia acertado a sua substituição. Segóvia se esforçou para estancar a sangria, mas acabou morrendo pela boca.

Uma resposta to “Bernardo Mello Franco: O delegado que morreu pela boca”

  1. heloizahelenapiasblog Says:

    spo pode acontecer algo assim,os crimes estõao gritando p uma solução,mas tem a turma do deixa disso e as coisas ficam p de baixo dos panos, muitos tem interesse (pr´0prio) em n desvendar as alguras do Temer q n são poucas, ele sabe q está totalmente errado, mas sempre aparecerá um pucha tapete p esculhambar o q d certo estão fazedmo, tem sim q investigar tudo e por as coisas em pratos limpos. ________________________________________

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: