Para economizar, Banco Mundial quer que Temer acabe com o ensino superior gratuito

Via Estadão Conteúdo em 21/11/2017

Para cortar gastos sem prejudicar os mais pobres, o governo deveria acabar com a gratuidade do ensino superior. Essa é uma das sugestões apresentadas no relatório “Um ajuste justo – propostas para aumentar eficiência e equidade do gasto público no Brasil”, elaborado pelo Banco Mundial.

A ideia é que o governo continue subsidiando os estudantes que estão entre os 40% mais pobres do País. Porém, os de renda média e alta poderiam pagar pelo curso depois de formados. Durante a faculdade, eles acessariam algum tipo de crédito, como o Fies.

Essa proposta se baseia no fato que 65% dos estudantes das instituições de ensino superior federais estão na faixa dos 40% mais ricos da população. Como, após formadas, essas pessoas tendem a ter um aumento de renda, a suspeita dos técnicos é que a gratuidade “pode estar perpetuando a desigualdade no País”.

O Brasil tem aproximadamente 2 milhões de estudantes nas universidades e institutos federais, ao passo que nas universidades privadas são 8 milhões de estudantes. Porém, o custo médio de um aluno numa faculdade privada é de R$14 mil por ano. Nas universidades federais, esse custo salta para R$41 mil e nos institutos federais o valor é ainda maior: R$74 mil ao ano.

Esse gasto, diz o estudo, é “muito superior” ao de países como a Espanha e a Itália, por exemplo. No entanto, o valor agregado em termos de conhecimento dos estudantes não é muito diferente do das faculdades privadas. Esse critério considera o que o aluno aprendeu em comparação ao que se esperava que ele tivesse aprendido.

Os gastos do governo com ensino superior são equivalentes a 0,7% do Produto Interno Bruto (PIB) e crescem, em termos reais, 7% ao ano, acima da média mundial. “As despesas com ensino superior são, ao mesmo tempo, ineficientes e regressivas”, diz o relatório.

Uma reforma poderia economizar aproximadamente R$13 bilhões ao ano nas universidades e institutos federais. No nível estadual, a economia poderia ser de R$3 bilhões.

2 Respostas to “Para economizar, Banco Mundial quer que Temer acabe com o ensino superior gratuito”

  1. John Jahnes Says:

    UMA MENTIRA REPETIDA MUITAS VEZES, PASSA A SER CONSIDERADA COMO VERDADE NAS CABEÇAS DOS IGNORANTES QUE SÓ SEGUEM O SOM DO BERRANTE.
    PORQUE MORO E SUA TRUPE DIZEM QUE A CORRUPÇÃO NA PETROBRAS COMEÇOU COM O PT? O que eu eles faziam antes de 2003? A quem ele obedecem? Quem são seus verdadeiros patrões?
    PAULO FRANCIS TINHA RAZÃO. E AGORA?
    Presidente da Setal afirma que ‘clube’ de empresas começou em 1997
    http://www.jb.com.br/opiniao/noticias/2015/04/23/paulo-francis-tinha-razao-e-agora/
    “O jorrnalista Paulo Francis morreu subitamente porque denunciou repetidas vezes que a alta cúpula da Petrobras superou saúvas e burros.”(HEITOR CONY)
    PAULO FRANCIS: https://www.youtube.com/watch?v=7Dyh6-YSXBs&feature=youtu.be
    PEDRO BARUSCO: https://www.youtube.com/watch?v=111ATeAMCfQ&feature=youtu.be

  2. heloizahelenapiasblog Says:

    o Bco MundiAL n tem outros paises p meter o bedelho, aqui da-se o contrário os ricos estudam nas faculdades gratuitos e os pobres pagam para estudar,ha uma grande invers~çao de valores, nada de acabar com a gratuidade do ensino superior p os pobres, eles devem estudam sim; ________________________________________

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: