Efeito Dória: Presidente do TRE/SP viaja em um terço dos dias de trabalho

Via Folha on-line em 13/11/2017

O presidente do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de São Paulo, desembargador Mário Devienne Ferraz, passou quase um terço dos dias úteis do Judiciário deste ano em viagens oficiais, que são custeadas por diárias emitidas pela corte.

De janeiro até a primeira semana de novembro, foram 63 dias úteis (mais de 30%) em que ele esteve fora da capital, aponta levantamento feito pela Folha com informações do CNJ (Conselho Nacional de Justiça) e do Diário Oficial.

Esse levantamento não levou em conta o período de recesso do Judiciário, que acontece em dezembro e janeiro – ou seja, a porcentagem pode ser considerada maior.

Neste ano, o segundo e último de Devienne à frente do tribunal, ele já viajou em mais dias úteis que os seus dois antecessores, Alceu Penteado Navarro (2012-2013) e Antônio Carlos Mathias Coltro (2014-2015), juntos.

Procurado, o presidente do TRE/SP informou à Folha que sua gestão é diferente das anteriores, porque ele acumula cargos como o de diretor da Escola Judiciária Eleitoral Paulista e de representante do Sudeste do Colégio de Dirigentes das Escolas Judiciárias Eleitorais.

Também afirma que seu trabalho está em dia tanto no TRE/SP quanto no Tribunal de Justiça, onde preside a primeira câmara criminal.

Frequentemente, Devienne viajou a capitais de mais de uma região do Brasil.

Fez isso, até agora, em seis meses diferentes este ano. Só em junho, esteve no Nordeste, Sul, Centro-Oeste e Sudeste.

Ele embarcou numa quarta, dia 7, para evento em João Pessoa (PB). Na segunda, 12, foi a solenidade em Curitiba. Voltou a São Paulo e, na segunda seguinte, 19, viajou a Brasília e emendou ida à capital de Minas. Com quatro assessores, a viagem a João Pessoa custou R$13 mil.

Em 2016, ano em que assumiu a presidência do TRE e organizou as eleições municipais no Estado, Devienne viajou em 35 dias úteis.

Desde então, até este mês, visitou metade das capitais brasileiras e duas de outros países da América Latina.

O custo das viagens varia. Uma diária do presidente custa R$700,00, mas pode ser acrescida de despesas de deslocamento. Ele também pode pedir meia diária, caso não fique o dia inteiro fora.

No caso de Devienne, sem contar os acompanhantes, foram gastos R$48 mil este ano. Com os auxiliares, o valor de janeiro a novembro sobe para mais de R$100 mil.

[…]

3 Respostas to “Efeito Dória: Presidente do TRE/SP viaja em um terço dos dias de trabalho”

  1. COPACABANA EM FOCO Says:

    Todos eles, não tem como negar que eles recebem bolsa-férias. Enquanto o cidadão trabalhador terá cortado as suas férias em três partes.

  2. Aristóteles Barros d (@AristtelesBarr1) Says:

    Além de safados, ladrões do dinheiro público, são cínicos e não valem o que comem. Pior, consideram-se semideuses/as!

  3. heloizahelenapiasblog Says:

    n fazem nada p deter uma coisa destas,eles mais viajam do q rtrabalham, nada como uma vida boa as custas do trabalhador. ________________________________________

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: