Após apunhalar o PSDB, Aécio crava sua faca nas costas do “amigo” Luciano Huck

Fernando Brito, via Tijolaço em 12/11/2017

Ontem [11/11], quando imaginei o que Brizola diria para Aécio Neves, saiu-me uma frase do engenheiro que Aécio Neves não levou mais que um dia para confirmar.

“Até aos teus apunhalas, como fizeste com o Tasso, que há 15 dias salvou seu mandato inútil”.

Pois não é que hoje, no Estadão, Aécio desfaz da candidatura de seu amigo Luciano Huck ao Palácio do Planalto, dizendo que é fruto da “falência da política”?

Aécio diz que “o tempo é que vai dizer se ele está ou não preparado para esta missão”, como se presidir um país de mais de 200 milhões de homens e mulheres fosse algo aberto para “experimentar” um neófito na “política falida” por gente como ele, apanhada mandando um primo – de vida descartável – apanhar malas de dinheiro com a turma do Joesley Batista.

Luciano Huck, seu apoiador fiel, que sofreu com ele a angústia de saborear a vitória que os votos populares não lhe dariam, naquele 2014, adesivo “45” ao peito, é, para Aécio, uma incógnita.

“É preciso conhecer o que ele pensa sobre as mais variadas questões que demandam a posição de um homem público”.

Não é possível saber, “seu” Aécio, o que Huck pensa como “homem público” porque ele não fala com a imprensa, não responde a perguntas e só diz o que pensa em monólogos como o de seu artigo e post no Facebook, onde diz que “não é candidato a nada”.

O senhor vê, “seu” Aécio, que o menino aprendeu direitinho com o seu exemplo: mente, dissimula, engana. Nariz de um, focinho do outro.

Mas está bem, compreendo que o senhor tenha ficado magoado com ele por ter apagado as fotos em que os dois apareciam juntos.

Mas acredite, foi mágoa de ciúme. Afinal, o senhor podia ter pedido a ele a mala de dinheiro que pediu ao Joesley.

É como na música que seu alto grau de cultura musical diz: “Pense em mim, liga pra mim, não, não liga pra ele…”

***

NÃO, AÉCIO. ENTRARAM PELA PORTA DOS FUNDOS E VÃO FICAR NO “PUXADINHO”
Fernando Brito, via Tijolaço em 11/12/2017

O ainda senador Aécio Neves, hoje [11/12], na convenção do PSDB, saiu-se com esta frase, que serve de título à matéria do Estadão: “Vamos sair do governo pela porta da frente, como entramos“.

Eu tinha acabado de escrever sobre a morte do escritor Moniz Bandeira, relembrado seu amigo Leonel Brizola e não pude deixar de sentir certa tristeza por saber que ninguém vai reagir a isto dizendo umas verdades como as que o velho gaúcho diria.

Ninguém vai falar:

Não, Aécio, tu não entraste no governo pela porta da frente, entrastes pela porta dos fundos do golpe.
Não te finjas de leão, porque o que tu és é um rato, um rato que roeu a democracia brasileira quando não aceitou tua derrota e, no minuto seguinte, em lugar de se curvar à vontade do povo brasileiro, fostes tramar para derrubar o governo.
Mas nem entrar pela porta dos fundos tu conseguirias, pois o porteiro que a te abriu foi Eduardo Cunha.
Foste tu que ajudastes a pôr em marcha a máquina de moer a política e as reputações e acabou sendo tragado por ela, embora, em matéria de reputação, tivesses pouco a ser moído.
Ainda assim, o que restou de ti fede tanto que teus amigos famosos dos salões e das noitadas – Hucks, Dórias, Ronaldinhos e assemelhados – sumiram, apagaram as fotos a teu lado e não querem teu nome lhes marcando as testas.
Tu não vais sair do governo deixando nada para trás, senão este odor, mas vai levar indicações, cargos e tudo o mais que puderes tirar de Temer como tiraste do tal Batista, dizendo que mataria até seu primo para não ser delatado.
Até aos teus apunhalas, como fizeste com o Tasso, que há quinze dias salvou seu mandato inútil.
Sairás pela porta dos fundos, a mesma por onde entrou, sais como um rato que abandona o navio do golpe, não pela porta da frente.
Porque a porta da frente chama-se democracia e só se abre para os que têm o voto e a confiança do povo.

Mas, como disse certa vez o próprio Brizola, o Congresso é um “clube amável, com vossa excelência pra cá, vossa excelência pra lá”. Não haverá um que lhe aponte o dedo e diga:

Vossa Excelência, na política, é um rato.

Leia também:
Bernardo Mello Franco: O PSDB rumo ao precipício
Tucanos dizem que Aécio foi autoritário, sem vergonha e insensato

Uma resposta to “Após apunhalar o PSDB, Aécio crava sua faca nas costas do “amigo” Luciano Huck”

  1. heloizahelenapiasblog Says:

    Luciano, como apresentador seria um péssimo Presidente, nenhum dos dois no momento est ão em condições d qq coisa. ________________________________________

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: