Turma de Dallagnol não entrega originais de documentos questionados por Lula

Via Jornal GGN em 23/10/2017

Os procuradores de Curitiba não possuem os originais de documentos que a defesa de Lula questionou em um incidente de falsidade. A informação consta em uma resposta oficial encaminhada por Deltan Dallagnol ao juiz Sérgio Moro no último dia 20. Segundo o líder da força-tarefa da Lava-Jato, os originais estão em um banco de dados na Suécia, onde supostamente a Odebrecht mantém registros de pagamentos de propina.

“[…] informa o Ministério Público Federal que os documentos constantes do evento 999 da Ação Penal, como já exposto por diversas vezes, foram extraídos diretamente de cópia dos discos rígidos relacionados ao sistema ‘Drousys’, fornecidos pela Odebrecht S.A. que se encontravam armazenados em servidor localizado na Suécia – cf. Relatório Técnico n’ O11/2017-SPEA/PGR (evento lO, OUT2, destes autos) e Relatório de Análise n’ 7/2017 (evento 999. ANEX02)”, escreveu Dallagnol.

Os documentos questionados pela defesa de Lula são dois recibos bancários idênticos, porém, assinados de maneiras diferentes – um dos papéis, apresentado pelo Ministério Público, tem duas assinaturas, ao passo em que a outra versão, de Marcelo Odebrecht, possui apenas rubrica.

Moro determinou que a turma de Dallagnol informasse “se ainda existem os documentos originais, antes da digitalização e inserção no sistema de contabilidade paralela da Odebrecht. E, se positivo, para que os apresentem na Secretaria do Juízo em cinco dias”.

O incidente de falsidade de Lula contra a Lava-Jato foi apresentado antes de um pedido formal, por parte de Dallagnol, para que a defesa do ex-presidente entregasse as versões originais de comprovantes de pagamento de aluguel devido a Glaucos da Costamarques. A defesa informou a Moro que possui os originais e pediu algumas providências para entregá-las. Moro negou e determinou a apresentação no prazo de 48 horas, que já expirou.

***

MORO E DALLAGNOL PALESTRAM JUNTOS SOBRE LAVA JATO “SÓ PARA CONVIDADOS”
Via Jornal GGN em 23/10/2017

O juiz federal Sérgio Moro e o procurador da República em Curitiba Deltan Dallagnol participam na terça-feria, dia 24/10, de um fórum sobre Lava-Jato e Mãos Limpas promovido pelo Estadão, “só para convidados”. A discussão ocorrerá com a presença dos juízes italianos Piercamillo Davigo e Gherardo Colombo, diz o jornal.

“O evento é uma associação entre o Estado e o Centro de Debate de Políticas Públicas (CDPP)” e “será mediado pela jornalista Eliane Cantanhêde, colunista do Estado, e pela economista Maria Cristina Pinotti, do CDPP. Terá ainda a participação do diretor de Jornalismo do Estado, João Caminoto, e do economista Affonso Celso Pastore, do CDPP”, afirmou o diário.

Por conta do evento, Dallagnol e Moro deram entrevistas dizendo que o diferencial entre a operação Mãos Limpas e a Lava-Jato será a participação da opinião pública.

“Se houver uma contínua pressão da opinião pública, imagina-se que até nossas lideranças políticas emperradas terão que adotar uma postura reformista”, disse Moro. “O Congresso pode colocar toda a operação abaixo numa madrugada. Basta a aprovação de um projeto de anistia. Por isso, os resultados da Lava-Jato dependem primordialmente de como a sociedade vai reagir”, acrescentou o procurador.

Uma resposta to “Turma de Dallagnol não entrega originais de documentos questionados por Lula”

  1. Selma Schiedeck Says:

    Interessante. Eles”não têm originais” ou não mostram. A defesa tem prazo para entregar. Esquisito, não??

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: