A impressionante ficha corrida de João Dória

Eduardo Hegenberg, via Jornal GGN em 17/10/2017

João Dória não esconde de ninguém que irá deixar no ano que vem o posto de garoto-propaganda da Prefeitura (já que o cargo de prefeito jamais assumiu) para disputar a Presidência da República. Ambição à qual devemos expressar o nosso mais sincero respeito. Afinal, é preciso admitir, João Dória atende com distinção os requisitos para a posição: seu currículo é de causar inveja aos mais gabaritados sanguessugas do Planalto. Um natural sucessor ao presidente Michel Temer, sem nada a dever em matéria de sobreposição do público com o privado, associação com os piores estratos da elite empresarial e arsenal infalível de manobras para abafar as ilegalidades.

Para que não haja dúvidas sobre esta avaliação, confira esta impressionante “ficha corrida” que Dória já acumulou em poucos meses de atenção da Justiça e da imprensa, e que já faz dele um dos mais genuínos representantes da “velha política” da qual finge se diferenciar.

1) Em 1988, quando deixou a presidência da Embratur em cargo nomeado por José Sarney, foi acusado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) de vários desvios de verbas e intimado a devolver os valores aos cofres públicos (clique aqui e aqui).
2) Comprou uma “empresa de prateleira” do escritório Mossack Fonseca, no paraíso fiscal das Ilhas Virgens Britânicas, para adquirir um apartamento em Miami, em revelação dos Panama Papers (clique aqui).
3) Para se tornar o candidato à prefeitura pelo PSDB comprou votos e ofereceu benefícios a filiados nas prévias, de acordo com líderes do partido (clique aqui).
4) Com Geraldo Alckmin, cometeu abuso de poder e usou da máquina pública do Estado para obter vantagens ilegais nas eleições, conforme acusação do Ministério Público (clique aqui).
5) Recebeu cheque de R$20 mil de empresa investigada pela Lava-Jato, em suposta venda de quadro (clique aqui).
6) Em gravação da Polícia Federal, na Operação Boi Barrica, aparece dialogando com filho de José Sarney a respeito de indicação de cargo para diretoria na Eletrobras (clique aqui).
7) Em 2014 fez uma doação pessoal de R$50 mil para Rocha Loures, o famoso homem da mala da JBS (clique aqui).
8) Omitiu e subvalorizou diversos bens em sua declaração à Receita Federal – que assim chegou a “apenas” R$179,6 milhões (clique aqui).
9) Entre 2014 e 2015 recebeu R$1,5 milhão em anúncios sobrevalorizados da Gestão Alckmin (clique aqui).
10) Já foi condenado em duas instâncias na Justiça do Trabalho por não pagar horas extras, salários, adicional noturno e verbas rescisórias a seus seguranças, que chegavam a se submeter a jornadas ilegais de 16 horas seguidas (clique aqui).
11) Acumulou por 15 anos uma dívida com a Prefeitura que chegou a R$90 mil por recusar-se a pagar o IPTU de sua mansão nos Jardins, e quitou o valor apenas depois que o caso veio a público (clique aqui e aqui).
12) Obteve em 2012 um favorecimento suspeito da Oi para instalação de antena em condomínio de luxo em Trancoso, onde tem uma casa, em revelação do Ministério Público (clique aqui).
13) Cercou um terreno de uso público para anexar à sua mansão em Campos do Jordão e se recusou a devolver mesmo depois que a Justiça determinou a reintegração de posse para a Prefeitura (clique aqui).
14) Fraudou em sua gestão a concorrência para o patrocínio do carnaval de 2017 na cidade, como demonstram áudios divulgados pelo Ministério Público (clique aqui).
15) Promoveu em sua gestão parceria da prefeitura para que empresas ganhassem milhões em isenções fiscais doando remédios perto do vencimento para a população (clique aqui).
16) Intercedeu em benefício da esposa junto a chefe de agência no governo Dilma. Posteriormente Bia Dória obteve R$702 mil da Lei Rouanet para pagar exposição em Miami e livro sobre a própria obra (clique aqui e aqui).
17) Para presidir a SP Negócios, órgão público do município responsável por parcerias e investimentos privados na cidade, nomeou o presidente de sua empresa (Lide), Juan Quirós, réu em ações trabalhistas e dono de uma dívida de R$60 milhões, que tem seus bens bloqueados pela Justiça por não cumprimento de contrato (clique aqui).
18) Para liderar a principal subprefeitura, a regional da Sé, nomeou Eduardo Odloak, condenado em duas instâncias por improbidade administrativa (clique aqui).
19) Escolheu para liderar a Secretaria dos Transportes um réu em duas ações na Justiça por fraudes em licitações e contratos de trens do Metrô. Para a Secretaria da Saúde, nomeou investigado no Ministério Público por improbidade administrativa em transações com o Hospital das Clínicas, a Santa Casa e o Hospital do Servidor (clique aqui).
20) Contrariando orientações de sua equipe de transição, assim que assumiu o mandato de prefeito ordenou o rebaixamento do órgão da Prefeitura responsável por fiscalizar a corrupção, a Controladoria Geral do Município (CGM), a um mero departamento (clique aqui).
21) Após a descoberta da máfia da Cidade Limpa, envolvendo seis subprefeitos e três secretários nomeados por ele, em vez de afastar os envolvidos demitiu a responsável pela investigação (clique aqui, aqui e aqui).
22) Demitiu Gilberto Natalini, secretário do Meio Ambiente, depois que ele denunciou à Controladoria Geral uma máfia para fraudar licenças ambientais na cidade (clique aqui).

Bônus
Sua gestão inflou dados aqui (clique aqui), ali (clique aqui) e acolá (clique aqui), maquiou dados oficiais sobre o aumento de mortes nas marginais (clique aqui, aqui e aqui) e escondeu reclamações da população (clique aqui).

Dória já forjou apoio de celebridade (clique aqui) e de especialista (clique aqui) a seus programas e adulterou documento para não se responsabilizar por trabalho escravo (clique aqui). Já recebeu em suas empresas mais de R$10 milhões de governos tucanos (clique aqui).

Mas quando recebe críticas, ele põe seus advogados para intimidar com ameaças (clique aqui).

3 Respostas to “A impressionante ficha corrida de João Dória”

  1. COPACABANA EM FOCO Says:

    Um curriculum vasto de fazer inveja até ao falecido Al Capone.

  2. heloizahelenapiasblog Says:

    Nossa é de aplaudir este currículo do Dória, nossa quantas qualidades ele tem e recebeu, e fez algumas doações de valores, que exemplo BOM p um futuro candidato a presidência. este sim é o melhor de todos. VERGONHA INTERNACIONAL, é um ser abominável,um ser indigno de gerir até casa de shows,onde pessoas fazem de tudo pela sobrevivência. decepção, n tenho, sermpre acreditem q n ewziste político nenhum no mundo com ficha limpa.
    ________________________________

  3. Jorlando Durante Says:

    E a Dila é a culpada?

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: