Com baixa participação, proposta da separação do Sul vence plebiscito informal

Via Folha on-line em 9/10/2017

Com participação abaixo do esperado, o plebiscito informal O Sul É o Meu País, realizado no sábado, dia 7/10, foi concluído com vitória maciça da proposta de separação dos Estados do Sul para a criação de um novo país.

Com 80,12% das urnas auditadas até as 20 horas de domingo, dia 8/10, 96,1% dos participantes votaram favoravelmente a Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná se separarem do Brasil. Os votos contrários somam 3,9%. A votação aconteceu em 900 cidades dos três Estados do Sul.

O movimento registrava a participação de 331.378 eleitores no plebiscito. A expectativa da organização é de que até o final da contagem o número chegue perto dos 500 mil, bem abaixo da meta do movimento, que era de contabilizar entre 1 milhão e 2 milhões de votantes.

O número de eleitores deve ficar abaixo também dos 616 mil registrados na primeira edição do Plebisul, em outubro do ano passado.

Apesar disso, Anidria Rocha, que é uma das lideranças do movimento, disse não estar frustrada com o resultado.

Ela argumenta que, junto com o plebiscito, o grupo coletou assinaturas para um projeto de lei de iniciativa popular que propõe uma consulta formal sobre a independência da região Sul, a ser realizada junto com as eleições do ano que vem.

Apesar de os números ainda não terem sido divulgados, ela afirmou que a proposta bateu a meta de assinaturas, o que em sua avaliação representa uma vitória para o movimento.

O movimento existe desde 1992, mas ganhou força nos últimos anos em função da deterioração das condições políticas e econômicas do país. Anidria afirmou que 80% da riqueza produzida nos três Estados “fica encastelada” em Brasília e que a região Sul poderia se tornar um país de primeiro mundo se fosse separada do Brasil.

O grupo sabe que o plebiscito não tem valor legal, já que a Constituição determina que “a República Federativa do Brasil é formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e Distrito Federal”, e a legislação proíbe qualquer tentativa de separação do território nacional.

Por isso, a meta é continuar coletando assinaturas para a realização de uma consulta formal junto com as eleições de 2018. A proposta deve ser protocolada nas Assembleias Legislativas dos três Estados até maio do ano que vem.

A líder do movimento destaca o grande “potencial econômico e humano da região” e as características da população do Sul: “Nós temos uma cultura completamente miscigenada, e um povo que fala a mesma língua. O trabalho é a língua da região Sul, assim como é a língua de outros Estados, mas tem muitos Estados que estão mais acostumados com o assistencialismo, e nós não gostamos muito disso”.

***

CAPITAL SERIA LAGES E A MOEDA SERIA O PILA, DIZ FUNDADOR DE MOVIMENTO SEPARATISTA DO SUL
Referendo sobre separação foi realizado em 960 cidades dos três Estados do Sul.
Via CGN em 5/10/2017

A equipe de voluntários que defendem a separação da região Sul do restante do Brasil dobrou de tamanho, após o conturbado referendo pela independência da Catalunha, segundo os envolvidos com o movimento.

Um dos fundadores do movimento O Sul É o Meu País, o jornalista catarinense Celso Deucher, 50 anos, prevê 32 mil pessoas ajudando a organizar o plebiscito informal – portanto, sem validade legal – marcado para o sábado, dia 7/10.

São 3 mil urnas espalhadas por 960 cidades dos três Estados do Sul. A pergunta que será respondida é: “Você quer que Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul formem um país independente?”.

“Nossa ideia é que a capital administrativa, por estar no centro do território e perto de tudo – o que seria importante para concentrar os Três Poderes, as Forças Armadas e essa coisarada toda –, seja Lages (SC)”, afirmou em entrevista ao jornalista Paulo Germano, do Grupo RBS.

O separatista também destacou qual seria a moeda adotada.

“Lançamos no mês passado, no 25º Congresso Nacional do movimento O Sul É o Meu País, o pila como nossa futura moeda. Estou falando sério. Na nota de um pila, o homenageado é Guairacá. Na de cinco pilas, Sepé Tiaraju. Na de 10 pilas, Bento Gonçalves e, na de 20 pilas, Anita Garibaldi”, afirmou.

2 Respostas to “Com baixa participação, proposta da separação do Sul vence plebiscito informal”

  1. heloizahelenapiasblog Says:

    COMO N VOTO MAIS, SOU totalmente a favor DESTA união e a saída de Brasilia, seremos um País do futuro, e muitos voltarão p nosso lado pois o progresso cresce aqui,
    ________________________________

  2. Aristóteles Barros d (@AristtelesBarr1) Says:

    Tenho orgulho de morar em uma das cidades mais prósperas do Paraná. Tenho orgulho, muito maior, de ser brasileiro! Aqui em Toledo, Estado do Paraná, ninguém fez pesquisa de coisa nenhuma, razão pela qual acho que isso é coisa de piá pançudo. Vão caçar serviço, que é melhor! De besteiras, já nos bastam as oriundas de Brasília!!

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: