Lula “só” tem a força do povo

Fernando Brito, via Tijolaço em 1º/10/2017

A força do povo, é “só” isso com que Lula conta.

Excitadíssimos com a “certeza” de que Lula será excluído das eleições, os diretores do Datafolha se dedicam a analisar espólios eleitorais do ex-presidente.

Dona Maria Maluf produziu o filho Paulo, mas também produziu uma das melhores frases da política: não se depena a galinha ainda viva.

Sem dados mais detalhados, o datafolhistas dizem que Lula está praticamente circunscrito aos pobres: “dos 36 pontos que Lula chega a ter no 1º turno, 16 vêm dos que têm menor renda no Sudeste e Sul, enquanto 14 vêm dos pobres do Nordeste e 3 dos estratos correspondentes do Norte e Centro-Oeste”.

Estes 36 “pontos” pobres são 36% dos brasileiros. Os “apenas” 3 pontos que dizem que Lula alcança entre os que têm renda superior a 5 salários mínimos são, entretanto, um quinto dos 15% de peso – é, só 15 entre cada 100 brasileiros pertencem a famílias com renda superior a R$4.686.

Os resultados de 2° turno e a queda brutal no índice de rejeição que atribuem ao ex-presidente (agora em 40%, o que, no clima passional que se criou quanto a ele importa, também, pelos 60% que não o rejeitam) impõem a conclusão óbvia de que a destruição judicial de Lula não funcionou.

Respingou, agora já em manchas evidentes, até no “santo” Sérgio Moro, porque o carrasco já “perde” na praça pública para aquele que se prepara para degolar.

Ele é, não importa se o tornem réu a oitava, a nona ou a décima vez, o franco favorito em eleições livres, de onde não seja excluído à força. Nunca vi mais personificada a frase pitoresca de Leonel Brizola: “Eu sou igual a pão de ló, quanto mais me batem, mais eu cresço”.

E tão óbvio quanto, é que eleições sem Lula vão arrancar qualquer conteúdo de legitimidade da disputa e, caso aconteçam, vão produzir um presidente que, das duas, uma: será um fantasma amaldiçoado ou uma mera projeção do ex-presidente, ambas situações terríveis, porquanto falsas.

Os datafolhistas, porém têm alguma razão. Lula não tem senão a força do povo. Tudo o mais – o dinheiro, o Santo Ofício da Justiça, a mídia, as “instituições”, a politicalha do Congresso – é contra ele.

E, no entanto, lidera com o dobro de intenções de voto dos factoides que contra ele se produziram: Bolsonaro, o brucutu; Marina, a ressentida; Dória, o filhinho de papai e até seu colega de poodle Álvaro Dias.

É que a força do povo é imensa e inacreditavelmente resistente a tudo o que se faz para desacreditá-la, tachando-a de “populismo”, irracional impulso de massas cegas pelo fanatismo.

Cegas, nada, estão vendo o que muita gente letrada e culta não consegue enxergar: que não há nada que impeça mais este país de crescer, desenvolver-se, ser digno e feliz que esta crosta que nos asfixia, em nome de um “mercado” onde o que se vende e retalha impiedosamente é a vida humana e o direito do Brasil a tornar-se uma Nação.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: