Só não temos “apagão” porque agora “estocamos vento”

Fernando Brito, via Tijolaço em 23/9/2017

A burrice extrema só se alcança com a pretensão.

Uma das “zoações” dos coxinhas (zoação, como se sabe, é o “espirituoso” desta camada que despreza o pensamento e bate palmas para os deboches sobre a suposta incultura alheia, incapaz de ver a própria) em relação a Dilma Rousseff é a tal história de “estocar vento”.

Lamento informar aos guapos rapazes e lindas moças que a Dona Dilma estava certíssima e vocês só não estão enfrentando agora um apagão por causa do “vento estocado”, sob a forma de água, nos reservatórios do Sistema Elétrico Nacional.

Não? Vejam os números.

Primeiro, olhem o gráfico que a Folha – afinal despertada para o problema que há dias já se apontava aqui – mostra para comparar os níveis de reserva de água nas barragens geradoras de eletricidade.

É só olhar a curvas e ver que a coisa está quase chegando ao patamar de 2014, soleira do caos elétrico, e dos níveis do “apagão” de Fernando Henrique, o caos em si.

Quase chegando, mas já teria passado se o governo Dilma Rousseff não tivesse ampliado fortemente o investimento em geração eólica, espetando torres pelo país afora.

Há três meses são elas que estão ainda “segurando a peteca” dos reservatórios assolados pela estiagem de mais de 100 dias.

No dia 22 de setembro de 2014, as usinas hidroelétricas geraram – e para gerar deixam sair água aos montes! – 43 mil Megawatt médios. As eólicas, ainda engatinhando, 1,2 MWmed, o que era 1,5% dos 70 mil MWmed consumidos.

Quinta-feira, dia 21 de setembro deste ano, as eólicas produziram 7 mil Mwmed, equivalentes a 10,5% dos 66,2 mil MWmed da carga total de energia do país. Com essa pequena redução de demanda (basicamente, a crise) de – 4 mil MWmed e com a energia eólica, as hidrelétricas puderam fechar um pouquinhos as comportas, guardar água e gerar apenas 35 mil MWmed, 20% menos que há três anos, gastando, obvio, cerca de 20% menos da vazão das represas.

No Nordeste, no dia 21/9, 59,2% da energia foi gerada pelas eólicas.

Aquela água guardada, tolinhos, é o vento que gerou energia.

Estocadinho ali, para você poder usar seu ar condicionado, o seu computador, poder assistir o festival de luzes do Rock in Rio etc. etc. etc.

Então, só por um minutinho, pare de “zoar” e pense.

Dói um pouquinho no início, mas depois faz bem à saúde.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: