Governo Temer expulsa milhares do Bolsa Família e não explica o porquê

Via Jornal GGN em 11/8/2017

Em meio à crise econômica e alta no desemprego, o governo Michel Temer decidiu expulsar, apenas no mês de julho, 543 mil famílias do programa de transferência condicional de renda, Bolsa Família.

A reportagem do UOL ouviu beneficiários que foram suspensos sem nenhuma justificativa, e afirmou que, procurador, o Ministério do Desenvolvimento Social também não quis explicar o motivo de tantos cortes em apenas um mês.

Em nota, o MDS disse apenas que a culpa da crise econômica e do descontrole do Bolsa Família é do governo Dilma Rousseff.

A presidente deposta, por sua vez, denunciou que a medida adotada por Temer é esdrúxula porque não gera economia significativa para a União (o saldo seria inferior a R$100 milhões). Além disso, a petista apontou que esse valor é pífio perto dos bilhões que Temer despendeu comprando deputados para se livrar da denúncia por corrupção passiva.

Há algumas semanas, o governo admitiu que tem uma fila de quase meio milhão de famílias aguardando para receber o benefício em função de desemprego. O número é semelhante ao volume de famílias que foram suspensas do programa sem aviso prévio.

O UOL visitou a cidade de Maceió, onde pouco mais de 2 mil famílias tiveram a bolsa cortada por Temer. A camareira Rosângela da Silva, 43, mãe de 3 filhos, por exemplo, perdeu os R$124 que recebia por mês “do nada”.

O governo também não informou porque expulsou Cliwleide Gomes da Silva, 38, que recebia o recurso desde o início do programa e que segue cumprindo todas as condicionalidades exigidas. “Quando fui sacar agora dia 27, saiu um papel dizendo que estava bloqueado, não tinha justificativa. Foi o maior susto porque eu sempre faço tudo certinho, trago a frequência escolar, cartões de vacina, faço recadastramento”, disse.

Maria Rosilene da Silva, 41, recebia R$209 por mês para dividir entre 5 filhos. Ela disse que o seu benefício foi suspenso em julho, também sem detalhes do porquê. “Disseram que eu não tinha mais direito”.

Para Dilma, a medida tomada por Temer é “estarrecedora” e incompatível com o momento de crise. “O governo ilegítimo vai colocar a conta do pato nas costas dos mais pobres”, declarou.

Leia a reportagem completa aqui.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: