Até nisso são aproveitadores: Rocha Loures furou fila para conseguir tornozeleira

Para STF, filmagens e áudios não são provas incriminatórias.

Via Brasil 247 em 1º/7/2017

O ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB/PR) furou a fila para obter sua tornozeleira eletrônica, objeto essencial para que pudesse ser liberado da cadeia na manhã de sábado, dia 1º/7, segundo o site Metrópoles, de Brasília.

Rocha Loures foi preso em 3 de junho depois de ter sido flagrado pela Polícia Federal recebendo uma mala com R$500 mil da JBS. Os investigadores suspeitam que o destinatário do dinheiro seja Michel Temer. Na sexta-feira, o ministro Edson Fachin, do STF, decidiu pela sua libertação.

Atualmente, há uma fila de mais de 100 presos sob a jurisdição de Goiás que só não estão em liberdade assistida porque aguardam na fila a disponibilidade da tornozeleira, em falta no estado.

Leia um trecho da reportagem explicando o episódio:

Na última semana, a coordenadoria que cuida da gestão mandou deslocar de Itumbiara para Goiânia um lote de 20 aparelhos que estavam disponíveis no município devido a uma ação civil pública. Por motivos diversos, como morte de alguns apenados e a liberação de outros, os monitores estavam prontos para serem reencaminhados a outros presos de Goiás.
O lote deveria atender imediatamente aos detentos que aguardam o equipamento para terem a chance de progressão de regime. Há uma fila para a obtenção desse aparelho. Mas pelo menos uma dessas tornozeleiras foi reservada para o pé do ilustre ex-deputado que colocou a mão no dinheiro de corrupção, como delatado pelo dono da JBS, Joesley Batista.
Depois que o ministro Edson Fachin liberou Rocha Loures para cumprir prisão domiciliar, a Polícia Federal admitiu que não tinha nenhuma tornozeleira disponível. Por isso, as autoridades recorreram ao governo de Goiás. E toda a negociação se deu entre o Depen e o secretário de Segurança Pública do estado, Ricardo Balestreri. Ele assumiu o cargo em fevereiro deste ano. Antes disso, foi secretário de Segurança Nacional do Ministério da Justiça.
A determinação para que se reservasse uma tornozeleira a Loures causou mal-estar entre os técnicos do sistema penitenciário de Goiás e revolta no meio dos presos, que logo souberam da notícia.

***

STF MANDA SOLTAR ROCHA LOURES, “HOMEM DA MALA” E EX-ASSESSOR DE TEMER
Ministro Edson Fachin converte prisão preventiva em domiciliar do ex-deputado que foi pego com uma mala com R$500 mil.
Via El País Brasil em 30/6/2017

O ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin decidiu na sexta-feira, dia 30/6, converter a prisão preventiva de Rocha Loures em regime domiciliar. Ele terá que ficar recolhido em casa das 20h às 6h, além de usar uma tornozeleira eletrônica. O ex-deputado também não poderá deixar o país ou ter contato com outros investigados ou réus. Filiado ao PMDB, Loures é ex-assessor do presidente Michel Temer, e havia sido preso em 3 de junho pela Operação Lava-Jato após a delação dos irmãos Batista, da JBS. Ele aparece em um vídeo feito pela Polícia Federal carregando uma mala com R$500 mil que, de acordo com Joesley e com a denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, seria destinada a Temer. A libertação do peemedebista é a segunda derrota do Ministério Público Federal nesta sexta: horas antes o ministro Marco Aurélio Mello havia determinado que o senador afastado Aécio Neves (PSDB/MG) reassumisse seu posto.

Em Brasília existia a expectativa de que Loures pudesse firmar um acordo de colaboração premiada, o que teria potencial para abalar ainda mais o já desgastado governo Temer. Em entrevista para a revista Veja, o presidente chegou a dizer que “duvidava” que “ele faça uma delação […] e duvido que ele vá me denunciar”. Loures é investigado no mesmo inquérito que o presidente pelos crimes de corrupção passiva, organização criminosa e obstrução da Justiça, o que o beneficiou: no despacho, o ministro Fachin afirma que somente após autorização da Câmara “é que se analisará, de modo mais concreto, a situação processual do ora segregado”. Pela legislação brasileira, o presidente só pode ser processado com a autorização de ao menos dois terços dos deputados. O STF já enviou ao presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM/RJ), a denúncia contra o mandatário. Não há prazo para que ela seja analisada.

Pouco antes de ser preso, no início do mês, Loures era deputado suplente do então ministro da Justiça Osmar Serraglio. Alvo de críticas no Congresso por não controlar a Polícia Federal, Serraglio foi substituído por Torquato Jardim. Contrafeito, se recusou a assumir outro ministério, o que fez com que reassumisse seu posto na Câmara. Como consequência Loures perdeu direito a foro privilegiado e foi preso. A defesa alegou, no pedido de habeas corpus enviado ao STF, que a perda do cargo de deputado “teria feito cessar o potencial de influência sobre a instrução processual, não se justificando, portanto, a prisão preventiva”. Além disso, seus advogados alegaram que a detenção estava sendo usada para forçar Loures a firmar acordo de delação, e que ele não representaria “risco à ordem pública”, e que as condições da prisão eram “insalubres”.

Fachin afirma que manteve Loures em prisão preventiva porque “em tese, surgiram supostas ameaças diretas e indiretas à sua vida”. Mais à frente o ministro diz que “à luz das atuais circunstâncias […] se depreende mitigada a possibilidade da reiteração delitiva”.

O ministro também mencionou a decisão recente da primeira turma da Corte, que em 20 de junho decidiu colocar a irmã de Aécio Neves, Andrea Neves, e o primo do tucano, Federico Pacheco em regime domiciliar. Eles haviam sido presos por suposta participação em um esquema de pagamento de propinas de R$2 milhões envolvendo o senador tucano. O parlamentar sempre negou qualquer ilícito, e afirmou que se tratava de um empréstimo legal. Para Fachin, esse precedente permite que Loures receba o mesmo tratamento.

A saída de Rocha Loures deve ocorrer no sábado, de acordo com comunicado da Polícia Federal. Isso porque a Superintendência da Polícia Federal no Distrito Federal, onde o deputado está preso, aguarda a chegada da tornozeleira eletrônica que ele terá de usar. A previsão é que o equipamento seja recebido pela polícia no começo da manhã de sábado, dia 1º/7.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: