“Se for necessário, eu mudo para Curitiba”, diz Lula em recado a Moro

Amanda Miranda, via Blog do Jamildo em 27/4/2017

Réu na Operação Lava-Jato, o ex-presidente Lula (PT) chamou 87 testemunhas para depor em um dos processos. O juiz Sérgio Moro, responsável pelo caso, exigiu a presença dele em todas as oitivas, mas admitiu depois que pode rever a decisão. Depois disso, o petista criticou o magistrado em entrevista ao SBT exibida na quarta-feira, dia 26/4, e afirmou que essa é uma “proposta de barganha” para que ele reduza o número de pessoas, o que negou que vá fazer.

“Para mim não tem problema. Se for necessário, eu mudo para Curitiba, fico lá o tempo necessário para esperar o julgamento. Mas a gente não vai abrir mão de uma testemunha que nós julgamos necessária para esclarecer a opinião pública o que está acontecendo no País”, disse Lula. O ex-presidente ainda frisou que não caberia a Moro julgar a quantidade de pessoas ouvidas, e sim a qualidade dos depoimentos.

O petista acusou Moro de informar primeiro o andamento dos processos à imprensa, não à defesa. “O juiz subordinou o sucesso da operação à criminalização das pessoas na opinião pública pela imprensa. Primeiro a imprensa sabe, execra as pessoas pela opinião pública e depois facilita o trabalho de condenação das pessoas”, disse.

“O grande problema da Lava-Jato é que eles se subordinaram aos meios de comunicação para obter sucesso. Eles estão reféns dos meios de comunicação e esse negócio não pode acabar com uma manchete absorvendo Lula. Então resolveram fazer esse show de pirotecnia levando Odebrecht.”

Tríplex no Guarujá e sítio em Atibaia
Lula voltou a negar ser dono do apartamento no litoral de São Paulo que teria sido reformado com dinheiro de contratos da construtora OAS com a Petrobras e ironizou a acusação. “Você já foi à loja em que a sua mulher compra sapato? Ela manda descer 40 sapatos, bota no pé e no fim não quer nenhum e sai. Como fica o dono da loja? P*** da vida com a sua mulher. Se ela não comprou, o sapato não e dela. Se eu não comprei, não e meu. Se eu não paguei, não é meu”, disse.

O petista afirma que não há provas de que seria o dono do apartamento, ao contrário do que defende o Ministério Público Federal (MPF). “Se a OAS dá o tal do apartamento como garantia em vários empréstimos, o apartamento não pode ser meu. Se eles (os procuradores que o acusaram) mentiram e não têm como sair da mentira, é problema deles, não é meu.”

Lula disse que não frequentou eventos com empresários enquanto esteve na presidência. “Depois que eu deixei a presidência, eu tinha direito de fazer o que eu bem entender. Tinha direito de ir na praia, na fazenda, porque eu não era mais homem público. Eu era um ex-presidente e ex é que nem jarro chinês, não vale nada.”

Uma resposta to ““Se for necessário, eu mudo para Curitiba”, diz Lula em recado a Moro”

  1. magda f santos (@magdafsantos) Says:

    Este é nosso estadista que não se acovarda diante deste juizeco tosco e mal formado!

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: