Vexame ambulante: ONU desmente supostos prêmios de ministros de Temer

premio_farsa02_direitos_humanos

Via Jornal GGN em 16/2/2017

Há quase sete anos, José Serra (PSDB), atual ministro de Relações Exteriores do governo Michel Temer, foi enganado ou fez enganar sobre ser homenageado com um prêmio da ONU sobre sua atuação frente às políticas públicas de saúde no Brasil. O reconhecimento era, entretanto, de uma ONG que não representava as Nações Unidas. Agora, mais uma ministra de Temer divulga em sua bibliografia um título da ONU que também não existe.

A desembargadora aposentada Luislinda Valois foi nomeada para o recém Ministério dos Direitos Humanos. Em nota divulgada, o Palácio do Planalto ressaltou que a nova ministra tinha o “título de embaixadora da paz da ONU em 2012”.

A Folha de S.Paulo foi verificar junto às Nações Unidas se a informação era verdadeira. Em resposta, a ONU teve que desmentir a informação, completando ainda que o posto de “embaixadora da paz” da organização sequer existe.

Na verdade, a homenagem foi de uma ONG chamada UPF, que significa Federação para a Paz Universal. É apenas uma das mais de três mil entidades que prestam serviços de consultoria não ainda para a ONU, mas para um dos braços econômicos e social das Nações Unidas, a Ecosuc.

“Nenhuma instituição ou empresa está formal ou legalmente autorizada a representar ou a falar em nome das Nações Unidas, ou de qualquer Departamento do Secretariado da ONU”, disse a Organização, em resposta.

Não é a primeira vez ou o primeiro caso. Em 2009, o tucano José Serra saiu alardeando nas redes sociais que, a caminho da Suíça, estava cansado, mas ainda precisava preparar seu discurso para receber a homenagem da ONU.

Á época, assim como agora fez o Planalto, o governo de São Paulo divulgava em seu portal a notícia oficial: “Serra recebe homenagem na sede da ONU, em Genebra“. O release foi repercutido nos grandes jornais e imprensa, destacando o título recebido pelo então governado do Estado, José Serra.

premio_farsa03_serra

Mais uma vez, a própria ONU foi obrigada a desmentir a publicidade. O escritório da ONU no Brasil escreveu uma nota de esclarecimento, informando que a homenagem era de uma Organização da Família, que era ONG, e mais uma das 3 mil associadas ao Conselho Econômico e Social das Nações Unidas.

“A World Family Organization (WFO) não é uma entidade da Organização das Nações Unidas. Trata-se de uma Organização Não Governamental (ONG) associada ao Conselho Econômico e Social da ONU […] As ONGs associadas não representam a ONU nem podem, em qualquer hipótese, falar em nome da Organização”, desmentiu.

Soube-se que era apenas uma entidade que fazia serviços voluntário para a ONU. E, ainda, não seria nem preciso ir à Suíça para receber o prêmio, porque a fundadora era uma médica brasileira e a sede fica em Curitiba, no Paraná, Brasil.

O “discurso” formulado pelo então governador de São Paulo foi feito dentro de uma sala da ONU. Outras duas homenageadas na mesma ocasião – uma princesa do Kuwait e a ex-primeira-dama do Reino Unido – nem se deram o trabalho de comparecer ao local para receber o prêmio.

O enaltecimento divulgado pelo Planalto, agora, em 2017, pode ser assim descrito: o mesmo prêmio recebido pela nova ministra de Temer foi concedido também à banda baiana de forró Flor Serena, ao ex-candidato a prefeito João Bico (PSDC/SP) e a outros líderes religiosos.

***

VEXAME AMBULANTE
Leandro Fortes em 15/2/2017

Luislinda Valois, a nossa Gandhi golpista, aquela que chora quando vê cartazes com “Fora Temer”, INVENTOU um título das Nações Unidas para colocar no currículo.

Ela é a ministra de Direitos Humanos que não fala sobre direitos humanos, porque acha que isso é um assunto de outras esferas de governo.

O tal título de “embaixadora da paz”, que ela alega ser da ONU, foi uma homenagem da seita do Reverendo Moon, um dos maiores picaretas religiosos da História, morto em 2012.

Além de Luislinda, Moon prestou a mesma homenagem ao ex-candidato a prefeito de São Paulo João Bico, do PSDC, e à banda baiana de forró Flor Serena.

É esse, o nível.

P.S.: O texto da reportagem da Folha de S.Paulo não diz, mas consta de um quadro anexo, no pé da matéria: a primeira-dama de São Paulo, Malu Alckmin, também recebeu a mesma homenagem do Reverendo Moon!

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: