O país do agronegócio é cada vez mais o país dos latifúndios

latifundio02_agronegocio

Clique na imagem para ampliá-la.

Fernando Brito, via Tijolaço em 1º/12/2016

A ONG britânica Oxfam divulgou hoje [1º/12] um relatório sobre a concentração de terras na América Latina e, especialmente, no Brasil.

O resultado é escandaloso e estarrecedor para os que dizem que o Brasil caminhava para ser “uma república comunista”.

No Brasil, 45% de toda a área agrícola correspondem a propriedades maiores que mil hectares, que são apenas 0,9% dos estabelecimentos rurais.

Já propriedades com menos de 10 hectares representam cerca de 47% do total do país, mas só representam 2,3% da área rural nacional.

E a área de grandes fazendas se reduziu, como resultado da ação dos perigosos “bolivarianos”, ávidos por tomar a propriedade?

Ao contrário, aumentaram, enquanto todos os demais – médios, pequenos e minifúndios – se reduziu, entre 2003 e 2010.

E justamente os grandes são os maiores devedores de impostos: a arte lá em cima mostra o quadro das dívidas com a União destes grandes proprietários. Do relatório da Oxfam:

De acordo com a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN), em 2015, 18.602 pessoas físicas e jurídicas possuíam dívidas de mais de R$10 milhões com a União. Juntas, essas dívidas somavam R$1,2 trilhões. Entre os devedores, 4.013 pessoas físicas e jurídicas, também detentoras de terras, possuíam dívida acima de R$50 milhões – totalizando mais de R$906 bilhões em impostos devidos.
Segundo informações do Incra, dos 4.013 devedores com dívidas acima de R$50 milhões cada, 729 declararam possuir 4.057 imóveis rurais. A dívida total apenas deste grupo de pessoas, físicas e jurídicas, era de aproximadamente R$200 bilhões. Juntas, as terras pertencentes a este grupo abrangem mais de 6,5 milhões de hectares, segundo informações
cadastradas no Sistema Nacional de Cadastro Rural (SNCR). De acordo com estimativas do próprio Incra, apenas com essas terras, em números brutos, seria possível assentar 214.827 famílias (considerando tamanho médio do lote de 30,58 ha/família assentada). Ou seja, com as terras que estão em nome dos maiores devedores da União seria possível atender
todas as 120 mil famílias que estavam acampadas em 2015, demandando reforma agrária no Brasil.

E é o Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra, o MST, o culpado pela insegurança da agropecuária brasileira.

O Brasil é, infelizmente, o país onde os fatos não vêm ao caso.

Uma resposta to “O país do agronegócio é cada vez mais o país dos latifúndios”

  1. Jésus Araújo Says:

    Se não houver uma mudança – e as elites no poder não querem mudanças, a não ser na legislação trabalhista, na lei das aposentadorias, que futuro pode esperar nosso povo?

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: