“Aproveito a impopularidade para tomar medidas impopulares”: A última barbaridade de Temer

michel_temer325_aroeira

TEMER SÓ É MENOS OCO, CÍNICO E IDIOTA QUE A IMPRENSA BRASILEIRA
Fernando Brito, via Tijolaço em 22/12/2016

Como eu mereço algum castigo por meus pecados, assisto neste momento a GloboNews, depois de passar o dia lendo os sites dos grandes jornais.

Não dá para contar a quantidade de barbaridades primárias que escuto.

Por exemplo, que a flexibilização das leis trabalhistas iria aumentar o emprego, quando é justamente o contrário, óbvio, porque o empresário que hoje tem de ter dois empregados para cobrir o funcionamento de seu estabelecimento poderá ter apenas um.

E nem uma palavra dos jornalistas sobre Michel Temer ter dito que sua “suposta” (suposta?) impopularidade o ajuda a implementas as “reformas”, como se um presidente sem diálogo com a população, incapaz de ir até a velórios, pudesse convencer o povo brasileiro.

Não pode, claro e cada vez menos poderá impor, com a cumplicidade de deputados e senadores tão desmoralizados quanto os que temos.

Sobre o tema, que abordei de passagem hoje, mais cedo, Paulo Nogueira, no Diário do Centro do Mundo, publica um texto demolidor, para presidente e jornalistas, que reproduzo abaixo:

“APROVEITO A IMPOPULARIDADE PARA TOMAR MEDIDAS IMPOPULARES”: A ÚLTIMA BARBARIDADE DE TEMER
Temer ainda teve tempo, no finalzinho de 2016, para proferir uma frase destinada à antologia das obtusidades.

Sequer original ele foi. Tomou a sentença do publicitário Nizan Guanaes.

“Um governo com popularidade extraordinária não poderia tomar medidas impopulares”, disse ele nesta quinta num encontro com jornalistas.

“Estou aproveitando a suposta impopularidade para
tomar medidas impopulares”.

Ele se referia à reforma na legislação trabalhista e às mudanças na Previdência.

O mais pitoresco foi o uso do adjetivo suposto com o qual Temer se referiu ao apoio da sociedade a seu governo.

Suposta impopularidade?

Um momento: alguém tem dúvida disso? Temer vem batendo sucessivos recordes de rejeição. Cada pesquisa é pior que a anterior.

Não foi tudo.

Numa inversão monumental, ele conseguiu dizer que um governo popular não conseguiria aprovar medidas impopulares.

Desde quando?

É exatamente o contrário.

Administrações populares – sobretudo em seus primeiros meses – são as mais talhadas para passar medidas impopulares.

Como cientista político, aspas, Temer revelou-se uma tragédia ao proferir uma barbaridade daquelas.

Para completar o circo, nenhum dos jornalistas presentes o questionou sobre a abstrusa tese que ele fabricou.

É como se eles, a exemplo do que ocorreu no infame Roda Viva, estivessem dizendo a Temer: “Tamos juntos, presidente!”

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: