Austeridade golpista: Temer aumenta verba publicitária da “grande mídia” e perdoa multa bilionária de empresas

michel_temer319_holofotes

PAÍS QUEBRADO? AUMENTO DE 3.000% EM VERBA PARA MÍDIA AMIGA E PERDÃO DE R$900 BILHÕES DE DÍVIDAS DE GRANDES EMPRESAS
Via Falando verdades em 9/12/2016

Uma pergunta que devemos nos fazer: como pode Temer e o PSDB falarem que o Brasil está quebrado diante do aumento absurdo de verbas para a mídia amiga e do desconto bilionário de dívidas de grandes empresas?

TEMER E MEIRELLES ACERTAM NOVO REFIS PARA PERDOAR DÍVIDA DE EMPRESAS
O presidente Michel Temer e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, conversaram ontem [5/12] e decidiram que é mesmo necessário aprovar rapidamente um programa de socorro a empresas endividadas.

Essa ajuda será incluída no pacotinho de medidas microeconômicas que estava programado para ser divulgado ainda nesta semana – antes de o STF ter decidido remover Renan Calheiros da presidência do Senado.

O programa de perdão de parte de dívidas tributárias e previdenciárias será adotado em troca de o devedor retomar o pagamento de parcelas mensais de seus débitos.

Apenas os chamados grandes devedores – cerca de 13 mil pessoas e empresas – têm dívidas que somam R$900 bilhões em impostos.

O novo Refis (programa de recuperação fiscal) é uma fórmula usada no Brasil de maneira recorrente. Já houve 27 parcelamentos de dívidas com desconto desde 2000.

Os líderes partidários na Câmara já assinaram, há um mês, um requerimento para que o novo Refis possa tramitar em regime de urgência.

Perdão de 90% das multas
O projeto tem como relator o deputado Alfredo Kaefer (PSL/PR). Propõe parcelar as dívidas de empresas em até 240 prestações. Haverá corte de 90% das multas, juros e encargos. Poderão ser incluídas dívidas contraídas até 30 de junho de 2016.

A Receita Federal se posiciona contra a adoção do Refis. Mas houve uma forte pressão nos últimos dias por parte de empresários e setores políticos que apoiam o governo de Michel Temer. Acham que é necessário oferecer algum oxigênio para os negócios endividados.

***

Além do perdão bilionário das dívidas das empresas, o aumento de dinheiro público de alguns jornais chega a mais de 3.000%.

O GOLPE SERÁ TELEVISIONADO
Reconcentração de verbas publicitárias na mídia tradicional, perseguição às vozes dissonantes, desmonte da tevê pública… Temer paga a conta
Sérgio Lirio, via CartaCapital em 28/10/2016

“Uma luz no fim do túnel”, decreta o editorial de O Estado de S.Paulo da terça-feira, dia 11/12, dia seguinte à aprovação na Câmara dos Deputados da emenda constitucional que limita os gastos em saúde e educação.

“Piso para o futuro”, proclamava o editorial da Folha de S.Paulo do dia anterior, em defesa da mesma emenda.

“Pós-impeachment destrava negócios e atrai estrangeiros”, comemora a manchete da sexta-feira, dia 14/12, do Valor Econômico.

“Gasolina deve cair mais e ajudar na redução de juros”, prevê O Globo em sua manchete do sábado, dia 15/12.

O esforço dos meios de comunicação tradicionais para emular um ambiente positivo na política e na economia é perceptível a olhos nus, basta trafegar pelas páginas de jornais ou dedicar algum tempo ao noticiário na tevê e no rádio.

É possível, no entanto, demonstrá-lo de maneira mais cabal. Um levantamento do site Manchetômetro, sistema de monitoramento das notícias publicadas nos principais diários do Brasil gerenciado pelo Laboratório de Mídia e Esfera Pública, ligado à Universidade do Estado do Rio de Janeiro, transformou em gráfico a inflexão da cobertura dos temas econômicos após o impeachment de Dilma Rousseff

midia_publicidade01_temer

Conforme se vê à página 23, as menções negativas despencaram a partir de abril deste ano, após atingir picos entre agosto de 2015 e fevereiro último, auge da campanha em favor da deposição da presidenta eleita.

Outros dois gráficos complementam a interpretação do comportamento da mídia: predominam no caso de Michel Temer as citações interpretadas pelo laboratório como neutras, enquanto no caso de Dilma Rousseff as referências negativas superam em muito aquelas positivas ou neutras. Da mesma forma, o pico acontece no período mais intenso da operação para removê-la da Presidência da República.

Uma resposta to “Austeridade golpista: Temer aumenta verba publicitária da “grande mídia” e perdoa multa bilionária de empresas”

  1. Lucy Roitman Says:

    Recebo os seus posts tem vindo com incorrecoes de data 13.12 foi terça feira e 15.12 quinta – no decorrer do texto . Um pouco mais de atenção se faz necessária. Lucy

    Enviado do meu iPhone

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: