Bolsa milico: Em 2016, União gastará R$3,8 bi com pensões a filhas de militares

Militares_Desfile01

Desfile cívico-militar do 7 de setembro de 2015 no centro do Rio de Janeiro. Foto de Fernando Frazão / Agência Brasil.

Via Sul21 em 4/12/2016

Somente com o pagamento de pensões vitalícias a filhas de militares e servidores das Forças Armadas, o governo federal irá gastar cerca de R$3,8 bilhões em 2016, informou nesta segunda-feira o jornal O Globo citando dados do Ministério da Defesa enviados à Comissão do Orçamento. Ao total, 185.326 pessoas usufruem do benefício concedido por Marinha, Exército e Aeronáutica, o que corresponde a 27,7% do total de pensionistas e 36,25% do efetivo de militares.

O pagamento de pensão a filhas de militares foi extinto em 2000, mas só vale para servidores que entraram nas forças a partir daquela data. Quem já estava no quadro, tem o direito de pagar um adicional de 1,5% em sua contribuição previdenciária e assim manter o benefício. Com isso, estima-se que este regime se mantenha deficitário pelo menos até 2080, quando, segundo estimativa do governo, deve chegar a R$7,5 bilhões.

O benefício também foi pago para filhas de servidores públicos não casadas até dezembro de 1992.

Leia também:
Maitê quer se livrar de Dilma, mas não dos R$13 mil que embolsa da Previdência
Bolsa Dondoca consome R$4 bilhões por ano dos cofres públicos
Maitê Proença pede que o machismo “salve o país de Dilma”
O elitismo de Maitê contra Dilma
Coletânea de textos: O que você precisa saber para não ter saudade da ditadura civil-militar

Uma resposta to “Bolsa milico: Em 2016, União gastará R$3,8 bi com pensões a filhas de militares”

  1. John Jahnes Says:

    Disso a mídia corrupta não fala nada.
    Maitê proença recebe salário igual da Dilma de pensão ilegal desde que tinha 17 anos e ainda fala mal do governo.
    A atriz Maitê Proença Gallo, 50 anos, continuará a receber pensão de R$ 24,6 mil referente à aposentadoria do seu pai, Augusto Carlos Eduardo da Rocha Monteiro Gallo, juiz e procurador de Justiça de São Paulo, que se suicidou em 1989. O desembargador Vallim Bellocchi, presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, manteve decisão liminar que permite à atriz embolsar mensalmente mais do que o teto no Judiciário paulista, que equivale ao salário dos desembargadores — R$ 21,5 mil.

    Maitê tem direito à pensão porque nunca se casou no papel. No entanto, teve uma filha e viveu 12 anos com o empresário Paulo Marinho. Ela também se amigou em 1996 com o cineasta Edgar Moura. Este relacionamento também já acabou. Pela Lei

    Ver notícia em Consultor Jurídico

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: