Promotoria move ação contra gestão Alckmin e Sabesp por improbidade

Alckmin_Agua44_Represa_Taiacupeba

Represa Taiaçupeba, do sistema Alto Tietê, em Suzano. Foto de Rubens Cavallari / Folhapress.

Fabrício Lobel, via Folha online em 14/12/2015

A gestão Geraldo Alckmin (PSDB) e a Sabesp, empresa paulista de saneamento, são alvos de uma ação do Ministério Público Estadual por improbidade administrativa. A irregularidade, segundo a Promotoria, está na renovação das regras de captação de água do sistema Alto Tietê, no início da crise hídrica que ainda castiga a Grande São Paulo.

Em fevereiro de 2014, a Sabesp pediu ao Departamento de Águas e Energia Elétrica de São Paulo (Daee) autorização para aumentar a captação do sistema Alto Tietê de 10 mil litros de água por segundo para 15 mil litros de água. O Daee é o departamento do governo do Estado responsável por autorizar a captação de água em São Paulo.

A decisão foi tomada para que o sistema Alto Tietê, que é o segundo maior reservatório da Grande São Paulo, pudesse ser a primeira represa a socorrer o agonizante Cantareira (maior reservatório da região metropolitana). Meses após a autorização, o Alto Tietê passou a perder água em ritmo acelerado, chegando a preocupar fortemente a própria Sabesp e o governo do Estado.

O principal argumento da Sabesp para conseguir o aumento da captação no Alto Tietê foi o de que a última represa do sistema teria a capacidade de armazenar 78 bilhões de litros de água. No entanto, segundo a Promotoria, esse volume citado pela Sabesp como uma vantagem nunca foi atingido.

A ação questiona ainda a veracidade desse volume. Os promotores acreditam que a real capacidade da represa é menos de 30% do anunciado pela Sabesp.

Segundo os promotores, após investigações, “verificou-se que todos os envolvidos [na autorização] sabiam que o Sistema Produtor do Alto Tietê não tinha condições técnicas capazes de suportar a captação de 15 mil litros de água por segundo”.

Outra falha da autorização indicada pela ação é de que a medida não foi apreciada pelo Comitê de Bacia do Alto Tietê, órgão responsável pela gestão coordenada da bacia. Segundo o texto, o fato do Daee ter pulado essa fase da autorização “fulmina todo o processo de renovação da outorga do Sistema Produtor Alto Tietê de nulidade por afronta ao princípio da publicidade”.

Além da Sabesp e do Daee, são citados nominalmente três funcionários da estatal e outros seis do departamento.

A ação foi movida por promotores do meio ambiente e da fazenda pública. Além do pagamento de multas, a ação pede o afastamento das pessoas envolvidas na autorização.

Alto Tietê
O sistema Alto Tietê é formado por um conjunto de cinco represas que ficam entre os municípios de Salesópolis e Suzano. A água retirada do Alto tietê abastece cerca de 4,5 milhões de habitantes, principalmente na porção leste da Grande São Paulo, incluindo grande parte da zona leste da capital paulista.

A principal aposta do governo do Estado e da Sabesp para recuperar o Alto Tietê é transferir 4 mil litros de água por segundo da cheia represa do Rio Grande (que abastece o ABC Paulista). A obra foi anunciada em janeiro deste ano e prometida para maio, pelo governador Geraldo Alckmin. A obra, no entanto, só começou a funcionar plenamente na sexta-feira, dia 11/12.

Outro lado
Por meio de nota, o Daee disse que a ampliação do limite de captação do sistema Alto Tietê seguiu todos os trâmites legais. O departamento disse que demonstrará isso ao Ministério Público e ao Judiciário, “se for o caso”.

O Daee diz ainda que autorização foi baseada em “estudos técnicos de hidrologia, afluência, entre outros indicadores do setor”. Segundo o departamento, esses estudos comprovam que, em regimes hidrológicos normais, a produção máxima de 15 m3/s é totalmente compatível com a capacidade do sistema Alto Tietê.

ALCKMIN, O MELHOR GESTOR HÍDRICO
A obscura ameaça de privatização das águas
R$29 milhões: Obra da Sabesp recém-inaugurada por Alckmin, não tem água para ser captada
Gambiarra hídrica para evitar rodízio de água em São Paulo precisará ser refeita
Sabesp se nega a informar o quanto arrecada com conta de água
Alckmin, o melhor gestor hídrico: Sabesp quer sigilo de 15 anos para seus documentos
Alckmin, o melhor gestor hídrico, fornece água com metais pesados e agrotóxicos
Alckmin, o melhor gestor hídrico: Obra da Sabesp tem vazamento no dia da inauguração
Alckmin, o melhor gestor hídrico: Mancha de poluição no Rio Tietê dobra em um ano
Nasa proíbe tucanos de irem para Marte
Se Alckmin pode receber prêmio de gestor hídrico, Bolsonaro deve receber o Nobel da Paz
Não é piada: Mesmo com São Paulo sem água, Alckmin ganhará prêmio de gestão hídrica
Não é culpa de São Pedro: Tribunal de Contas acusa PSDB pela falta d’água em São Paulo
Receita da Sabesp com multa na conta da água bate recorde em julho
Gestão tucana: Grande São Paulo teria 51% mais água se Alckmin tivesse agido antes
São Paulo: Nem todos pagarão mais caro pela água
Após reajuste nas contas de água, lucro da Sabesp sobe 11,5%
Em 2009, Serra foi alertado para a crise hídrica de 2015. E não fez nada
Documento acusa Alckmin de criar “falsa impressão” ao tentar atenuar desabastecimento de água
Choque tucano de gestão: Alckmin afirma que “ninguém ficou sem água” em São Paulo
Choque tucano de gestão: Sabesp cobra mais de escola pública do que de vips
E se faltar água em São Paulo?
Racionamento de água e a sina do PSDB
Alckmin compromete abastecimento de São Paulo pelos próximos cinco anos
Alckmin torra R$87 milhões em propaganda inútil da Sabesp
Seca: Procuradores acusam Alckmin de provocar colapso no Sistema Cantareira
José Serra deflagra operação Sabesp
Vídeo: Da crise hídrica à crise democrática
Alckmin diz que plano de contingência contra racionamento é “papelório inútil”
No auge da crise hídrica e durante a campanha eleitoral, Sabesp triplicou gastos com publicidade
Gestão tucana: Caos social por falta de água em São Paulo
ONU considera crise hídrica em SP uma violação aos direitos humanos
Depois de destinar R$4,3 bilhões a acionistas, Alckmin quer aumentar preço da água
Gestão tucana: Se o Tietê estivesse despoluído, ele poderia salvar São Paulo da crise hídrica
Sabesp é generosa com acionistas, mas não com investimentos em infraestrutura
Memória seletiva: Folha diz que alerta para crise hídrica desde 2001. De uma hora pra outra esqueceu
Vladimir Safatle: A crise da água e a transferência de responsabilidades
Diretor da Sabesp: “Saiam de São Paulo porque aqui não vai ter água.”
Enquanto a Petrobras é massacrada, a Sabesp é convenientemente esquecida
Lógica financeira da Sabesp marginaliza tratamento de esgoto e limpeza de rios
Geraldo Alckmin provoca diarreia em São Paulo
Escolas fechadas, fuga da cidade, caminhões-pipa: O cenário possível de São Paulo sem água
A fina flor da demagogia barata
Folha, 12/10/2003: São Paulo só atende demanda por água até 2010
Se o rodízio de 24 horas fosse feito em 2014, haveria economia de 12,3% do Cantareira
Está chegando o dia: Rio Tietê perderá o cheiro ruim até 2015, diz governo
Agora é oficial: Ministério Público aponta responsabilidade de Alckmin na crise da água
Alckmin pode não ter solução para a água, mas já tem estratégia de mídia
Estelionato eleitoral: Cronologia das pérolas ditas por Alckmin durante a crise hídrica
São Paulo: Por trás da falta d’água, privatização e ganância
Sabesp ignorou regra que reduziria risco de falta de água em São Paulo
Em 2013, devido à falta de manutenção nas tubulações, Sabesp desperdiçou uma Cantareira
“Oh, happy days”: A festa da Sabesp em Nova Iorque e a falta de água em São Paulo
Alguém precisa acordar Alckmin
Os 10 mitos sobre a crise hídrica
Os tucanos já gastaram US$3,6 bilhões para limpar o Tietê, mas o rio continua poluído
O que sai no jornal ou “o racionamento dos fatos”
Para entender a escassez de água
Sabesp se nega a publicar contratos de empresas que mais consomem água
Luciano Martins Costa: A ordem é preservar Alckmin e criminalizar a população
Empresas começam a deixar São Paulo pela falta d’água
Falta luz? Nos últimos anos, Eletropaulo cortou investimentos
Sabesp: Do Cantareira para a Bolsa de Nova Iorque
Em São Paulo, 360 quilômetros de Metro: Era a previsão de 1968
Secretário de Alckmin diz que reclamações sobre falta d’água em São Paulo são “exibicionismo”
Catástrofe social, econômica e ambiental ronda o estado de São Paulo
É hora de Fernando Haddad coordenar a luta contra a falta de água

3 Respostas to “Promotoria move ação contra gestão Alckmin e Sabesp por improbidade”

  1. pintobasto Says:

    De fato é muito curioso que só agora acordem e notem as atrocidades dos numerosos bandidos que temos aguentado até hoje.

  2. Eliane Barroso Says:

    Por que será que todas as ações contra os que apoiam o golpe estão saindo na véspera das festas de final de ano, na véspera de todos recessos????? Tanto tempo… e só agora????

  3. pintobasto Says:

    Assunto que tem Geraldo Alckmin por trás,é acompanhado de autênticas atrocidades técnicas e administrativas. Processá-los é muito pouco! Deveriam ser confinados junto do Marcola do PCC.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: