O “amigo” de Lula: Lista Bertin-Bumlai traz Cunha, Temer, Aloysio e Caiado

Jose_Carlos_Bumlai06_Temer_Caiado_Aloysio

Via Brasil 247 em 11/12/2015

A Polícia Federal encontrou, em São Paulo, há três semanas, uma agenda de Natalino Bertin, parceiro de negócios do pecuarista José Carlos Bumlai, os nomes de alguns de políticos associados a valores doados na eleição de 2010. Aparecem o vice-presidente Michel Temer (PMDB), o presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB), e os senadores Aloysio Nunes (PSDB) e Ronaldo Caiado (DEM).

Os investigadores ainda irão analisar as informações para descobrir se os recursos foram, de fato, repassados aos políticos. O passo seguinte será descobrir se as doações foram registradas na Justiça Eleitoral ou se foram realizadas por meio de caixa dois. Na maioria das anotações, o empresário registra “valores combinados” com os políticos, parcelas pagas e as respectivas datas em que cada valor foi entregue, e ainda especifica se o dinheiro foi pago “em reais”.

Um dos primeiros nomes a surgir na agenda do dono do Grupo Bertin é o do vice-presidente Michel Temer (PMDB), que teria recebido R$2 milhões na campanha de 2010. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), é citado como beneficiário de R$1 milhão. Os senadores Aloysio Nunes Ferreira (PSDB) e Ronaldo Caiado (DEM) são citados como beneficiários de R$500 mil cada um. A senadora gaúcha Ana Amélia Lemos (PP) teria recebido R$100 mil.

Jose_Carlos_Bumlai07_Temer_Caiado_Aloysio

Clique na imagem para ampliá-la.

A lista de políticos é extensa, chegando a quase 30 nomes de candidatos dos mais diferentes estados, entre deputados estaduais e federais, candidatos a governos estaduais e, claro, candidatos à Câmara e ao Senado. ministtro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Edinho Silva teria recebido R$650 mil; Nelson Trad Filho, prefeito de Campo Grande, é citado como beneficiário de R$500 mil. Candidato ao Senado por São Paulo, em 2010, o cantor Netinho teria recebido R$500 mil; o ex-deputado Candido Vaccarezza, aparece com R$600 mil.

Os investigadores da Operação Lava-Jato apreenderam o material durante a operação “Passe Livre”, que levou para a prisão o pecuarista José Carlos Bumlai.

Os políticos citados apresentaram versões divergentes sobre as anotações de Natalino Bertin. Edinho Silva negou ter recebido qualquer recurso do empresário. “O Grupo Bertin nunca foi doador de minhas campanhas a prefeito de Araraquara ou deputado estadual; tampouco foi doador do PT estadual paulista, quando da minha gestão como presidente”.

O senador Aloysio Nunes afirma que não recebeu dinheiro de campanha do Grupo Bertin, de empresas relacionadas ou do Natalino Bertin nas eleições de 2010. A senadora Ana Amélia confirma que recebeu a doação.

O vice-presidente, Michel Temer, confirmou o recebimento de R$1,5 milhão em três parcelas de R$500 mil, o que confere com parte das anotações de Natalino Bertin. Foi o próprio vice que pediu a Natalino Bertin a doação, posteriormente declarada na prestação de contas do Diretório Nacional do PMDB. Eduardo Cunha também confirmou ter recebido a doação do empresário.

Leia também:
Coletânea de textos: FHC, o vendilhão da Pátria
Finalmente, a Folha “descobre” que petrolão começou com FHC
Coletânea de textos: O nome é Petrobras e não Petrobrax, estúpido!
Governo FHC: Na Petrobras, Delcídio deu mais prejuízo que compra de Pasadena
Delcídio recebeu propina quando era diretor da Petrobras no governo FHC
Delcídio é um elo da corrupção histórica na Petrobras
Alerta geral: Cadê o Preciado?
Áudio de Delcídio: Dinheiro da Alstom e “cunhado” de Serra comandam o delator Baiano
Mídia esconde verdadeiras “relações perigosas” de Bumlai
Polícia Federal: Áudio cita “japonês bonzinho” que vende vazamentos para mídia
Padrinho, eleitor e financiador de Aécio, na mídia André Esteves vira “amigo de Lula”
Dono do BTG pagou R$45 milhões a Eduardo Cunha para alterar MP dos bancos
Citado por Delcídio, Gilmar diz que conversa com todos sobre pedidos de liberdade
J. Carlos de Assis: Depois da divulgação seletiva, agora as investigações seletivas
Recordando: “Renan indicou Cerveró para diretoria da Petrobras”, diz Delcídio
Saiba quem é o banqueiro André Esteves, o padrinho de Aécio
Enfim, um tucano preso. Motivo? Se filiou ao PT!
Novas gravações de Delcídio causam ira suprema de ministros do STF
Preso na Lava-Jato: André Esteves, padrinho de casamento de Aécio, pagou lua de mel ao afilhado em Nova Iorque
Vazamento seletivo: Relator da Lava-Jato estoura a caixa preta de Sérgio Moro
O banqueiro-bandido André Esteves, dono do BTG Pactual e padrinho de Aécio, queria o controle da CEF e do BB
Delcídio, o petista mais tucano do que muito tucano, se gabava de ter ajudado a condenar Dirceu e Genoíno
Denúncia contra Eduardo Cunha pode ligar Lava-Jato à privataria tucana

Uma resposta to “O “amigo” de Lula: Lista Bertin-Bumlai traz Cunha, Temer, Aloysio e Caiado”

  1. pintobasto Says:

    Quanta doação a políticos! E quem doa dinheiro aos políticos, faz isso para o bem do Povo e da Nação? Aí está politicalha para nos mostrar a bandalheira reinante e quem mais fica prejudicado neste história toda: O Povo!

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: