Bob Fernandes: A paralisação das rodovias e a ascensão fascista

Bob Fernandes, via TV Gazeta em 9/11/2015

Protesto paralisa rodovias em 12 estados. Ação de caminhoneiros que se anunciam “independentes” de sindicatos, contrários a aumentos nos impostos e preços de combustíveis e… pela saída de Dilma.

Via WhatsApp, mensagens outras buscam espalhar pânico. Dizem que petroleiros querem provocar desabastecimento de gasolina e gás.

No domingo, dia 8/11, o ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, foi hostilizado em um restaurante em Belo Horizonte.

Ministro responsável pela implantação do Bolsa Família nos governos Lula, de 2004 a 2010, Patrus não tem acusações de corrupção contra si.

“Petista, ladrão, safado, bolivariano”, gritaram cidadão, que diz ser empresário, e um amigo. O ministro e um amigo não deixaram pra lá, reagiram. Patrus cobrou: “Escreva, põe isso no papel para que eu possa processá-lo…”

Confrontado, o empresário recuou e confessou: “Sou ladrão, sou corrupto igual ao PT e sonego para não dar dinheiro para partido ladrão”.

Filmada e exposta nas redes sociais, a cena entra para a história como clássico do moralismo caolho e hipócrita. De gente que sonega impostos, rouba, enquanto aponta para corrupção alheia.

Na segunda vez em que foi chamado de “ladrão”, o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega não deixou pra lá. Processou, e dois tipos pediram desculpas publicamente.

Na Califórnia, outro tratou a presidente Dilma como “assassina” e “ladra”. Repetiu-se o habitual “Deixa pra lá, é só um oportunista…”

Na mesma Belo Horizonte, no velório do ex-senador José Eduardo Dutra, há um mês, vaias e panfletos pregando: “Petista bom é petista morto…”

Outra vez, “deixa pra lá, são só oportunistas…”

Há semanas, em São Paulo, Eduardo Suplicy e o prefeito ouviram berros: “[…] comunista, bolivariano, Haddad vagabundo.”

Também o vídeo dessa cena viralizou nas redes sociais. Nos dias seguintes, os registros impressos do fato. Assépticos, acríticos, já que tratavam de “bolivarianos” que devem “ir pra Cuba” etc.

Isso numa livraria chamada “Cultura”. Aquela metáfora se completou com o berreiro se dando próximo a pilhas do livro Como conversar com um fascista, de Marcia Tiburi.

Então, mais uma vez, o habitual: “Deixa pra lá, são só oportunistas”.

Sim, são oportunistas, mas é preciso lembrar: a escalada começa sempre da mesma forma. E já sabemos como termina.

2 Respostas to “Bob Fernandes: A paralisação das rodovias e a ascensão fascista”

  1. daysens Says:

    Lamentavelmente, essas pessoas estão se esquecendo o simples, o básico:somos um Estado Democrático de Direito, que possui sua Constituição, os três poderes:o Executivo; o Legislativo o Judiciário e o Povo.
    E, como Povo, temos o dever constitucional de respeitar as Leis; as Autoridades e os demais cidadãos deste País.
    E qualquer lesão aos nossos direitos, temos o Judiciário, ao qual recorrer.
    É simples assim.
    Respeitemos o nosso Brasil.Sejamos dignos Dele.

  2. pintobasto Says:

    O PT e a grande maioria de seus membros mais notórios não têm reagido a insultos e calúnias como deveriam e os abusos se multiplicaram, chegando a tipificar crimes graves, mas nem mesmo assim D.Dilma reagiu quando foi insultada em estadio de futebol. Errou! E deu nisso que nós vemos por aí, meia dúzia de mabecos vendidoscontinuam insultando membros do PT que são pessoas honestas!

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: