Empresa de Tiago Cedraz agiu em 182 ações no TCU, presidido por seu pai

TCU_Tiago_Cedraz01

O advogado Tiago Cedraz, filho do ministro do TCU Aroldo Cedraz.

Rubens Valente, via Folha online em 25/10/2015

Levantamento feito pelo Tribunal de Contas da União, ao qual a Folha teve acesso, revela que advogados do escritório de Tiago Cedraz atuam ou atuaram em 182 ações no mesmo tribunal presidido pelo pai do advogado, o ministro do TCU Aroldo Cedraz.

Pela legislação em vigor, não há regra que impeça Tiago ou seu escritório de atuarem no tribunal. A sua atividade é objeto de apuração interna na corte.

Tiago passou a ser alvo de investigação na Operação Lava-Jato a partir do depoimento do empreiteiro Ricardo Ribeiro Pessoa, da UTC, que o citou em acordo de delação premiada. O empreiteiro disse ter pago R$50 mil mensais ao advogado para receber informações do TCU.

Em junho, Cedraz solicitou ao STF (Supremo Tribunal Federal) acesso ao depoimento, mas teve o pedido negado pelo ministro Teori Zavascki.

A relação de processos do escritório no tribunal – entregue pelo TCU ao Congresso Nacional há duas semanas a partir de requerimento do deputado federal Arnaldo Jordy (PPS/PA) – inclui os nomes das pessoas e empresas interessadas nas ações em que o escritório de Tiago atuou, mas não esclarece os clientes exatos do filho do ministro.

Do total de processos ligados aos advogados do escritório de Cedraz, 114 eram TCEs, ou tomadas de contas especiais, procedimentos pelos quais o TCU apura responsabilidade por danos à administração pública federal, a fim de obter ressarcimento. Outros 14 foram relatórios de auditoria –o restante, processos de natureza diversa.

Tiago Cedraz também atua ou atuou em cerca de 165 processos no STF (Supremo Tribunal Federal), incluindo investigações federais sobre o ex-deputado federal Luiz Argôlo (SD/BA), preso pela Lava-Jato sob acusação de corrupção e ligado ao doleiro Alberto Youssef. Tiago também defende o deputado federal Paulo Pereira da Silva (SD/SP), o Paulinho da Força.

Argolo contratou Cedraz como seu advogado em abril de 2014, um mês após a deflagração da Lava-Jato, em um inquérito que apurou suposto crime eleitoral. Em outubro do mesmo ano, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu o arquivamento da investigação sob alegação de “inexistência de indícios concretos de materialidade e autoria delitivas”.

No STJ (Superior Tribunal de Justiça), Tiago Cedraz atua para a hidrelétrica binacional Itaipu, controlada pelo governo federal. Conforme a Folha revelou em março passado, pela primeira vez desde que a hidrelétrica foi inaugurada, em 1982, o TCU decidiu iniciar uma fiscalização “efetiva e direta” sobre as contas da companhia.

Em julho, Itaipu confirmou um contrato de R$46 mil mensais com o escritório de Tiago, mas afirmou que ele não atua no TCU em nenhum caso de interesse da hidrelétrica.

No STJ, Tiago também defendeu o banqueiro Daniel Dantas no processo que culminou, em 2011, na decisão do tribunal de anular a Operação Satiagraha, deflagrada em 2008. Ele também atua no STJ em uma série de processos relacionados à Prefeitura de Salvador (BA).

Leia também:
O estranho caso das “ameaças” a Augusto Nardes, do TCU
PF deflagra nova fase da Operação Zelotes
Ministro do TCU é acusado de receber verba desviada
Bob Fernandes: Faltou quórum na Câmara, mas sobram farsantes, podridão, velhacaria…
Quatro ministros do Tribunal de Contas são citados em investigações
Guilherme Boulos: Quem julga o TCU?
Augusto Nardes é um Gilmar Mendes piorado
Demotucanos pressionam TCU a rejeitar contas de Dilma
TCU: O ministro Augusto Nardes violou a lei, é óbvio. Mas desde quando a lei vale para todos?
Sonegação bilionária: Ministro do TCU, Augusto Nardes, foi pego na Operação Zelotes
Dilma comprova no TCU que não houve violação da Lei de Responsabilidade Fiscal
Ricardo Melo: TCU, Tribunal Criminoso da União
Ministro do TCU admite pressão para rejeitar contas de Dilma
Filho de ministro do TCU envolvido na Lava-Jato é o todo-poderoso do Solidariedade
TCU: Ministro que ameaça rejeitar as contas de Dilma é denunciado por receber propina
Ministro do TCU é acusado de receber verba desviada
A “imparcialidade” do procurador do TCU que pediu a rejeição das contas de Dilma
“Petrolão”: Tucanos lideram lista da Odebrecht… Mas não vem ao caso

Uma resposta to “Empresa de Tiago Cedraz agiu em 182 ações no TCU, presidido por seu pai”

  1. Magda Santos Says:

    É OUTRO DO GRUPO BONITINHO MAS ORDINÁRIO!!

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: