Magazine Luiza e Volks seguem a Coca-Cola e deixam de patrocinar o futebol da Globo

Globo_Bola_MurchaDepois da Coca-Cola, futebol da Globo é abandonado pela Volkswagen e pelo Magazine Luiza. Denúncias de corrupção na CBF e fracassos da seleção espantaram poderosos parceiros. Eles não estarão em 2016…

Cosme Rímoli em seu blog em 17/10/2015

A crise de credibilidade do futebol brasileiro atingiu em cheio a Globo. Foi muito além da queda de audiência. O drástico tombo foi de 22% nos últimos dez anos. Os fracassos seguidos da Seleção e enxurrada de denúncias de corrupção na CBF, com direito ao ex-presidente José Maria Marin, encarcerado na Suíça, pesaram. E muito.

Empresas importantíssimas não querem mais ter sua imagem aliada ao futebol deste país.

Primeiro, foi a Coca-Cola que desistiu. Depois de anos e anos, não quis mais seguir pagando para sua marca ser associada ao futebol deste país. Tirou seus R$225 milhões em 2015. Foi substituída, com dor no coração para os executivos globais, pelo Magazine Luiza.

Pois bem, um ano já deu. E o Magazine Luiza também não quis seguir. Não estará bancando o futebol da Globo em 2016. A experiência não foi nada compensadora.

Só que o golpe maior veio de outra velha parceira global: a Volkswagen. Também décadas de relacionamento íntimo não contaram. E a multinacional alemã se afasta do futebol deste país. O mercado publicitário viu estarrecido o rompimento.

A Brasil Foods entrou no lugar da Volkswagen. E as Casas Bahia substitui o Magazine Luiza. Ambev, Banco Itaú, Johnson & Johnson e a Vivo seguem com o desacreditado futebol nacional.

O acordo prevê no mínimo 90 partidas: campeonatos estaduais, Brasileiro, Copa do Brasil, Taça Libertadores da América, Copa Sul-Americana, Copa América, amistosos da Seleção e Eliminatórias da Copa do Mundo. Não estão previstas as partidas da Sul-Minas-Rio, que a Globo negocia. Podem entrar até como brinde.

Luiza_Magazine06

Não houve o retorno esperado.

Nos bastidores, causou muita decepção à emissora o abandono da Volkswagen. Assim como foi o rompimento com a Coca-Cola. Marcas importantes mundialmente. O Magazine Luiza doeu. Mas menos. Já se sabia que a empresa nacional queria testar se valia ou não a pena ficar ligada ao futebol. O teste não agradou.

Há duas vertentes. A divulgada “em off” por donos de agências importantes do mercado publicitário brasileiro. Que as cotas baixaram. Não seriam cobrados mais os mesmos R$225 milhões para cada anunciante. Haveria uma redução para R$200 milhões. Na Globo, há a garantia que os preços foram mantidos.

A emissora já deu um prêmio aos patrocinadores. Foram anunciados com respeito e alívio no Jornal Nacional, principal produto jornalístico. Com Willian Bonner deixando escapar, com voz embargada: “Foi uma demonstração de confiança no Brasil.”

Serão 90 jogos e inserções nos noticiários esportivos, que custarão cerca de R$1,3 bilhão. O que Bonner não contou é que as negociações duraram muito mais do que o ano passado. Em setembro, o mercado já sabia quem pagaria pelo futebol na Globo. Este ano, a transação acabou um mês depois. Com renúncias de marcas tradicionais que a emissora tentou segurar.

As deserções da Coca-Cola e Volkswagem, provocaram um baque. O executivo responsável pelo futebol, Marcelo Campos Pinto, tem uma missão. Cobrar mais seriedade e empenho de Marco Polo del Nero.

Os fracassos da Seleção espantam patrocinadores. Porém, as denúncias de corrupção muito mais. O efeito colateral atinge em cheio Marco Polo. A Globo já o culpa.

Os jogos do Brasil nas Eliminatórias são terças e quintas. O ideal para a emissora seriam sexta e domingo. Mas Marco Polo não estava na Suíça, na Fifa, quando foram definidos. Desde que Marin foi preso, ele não viajou mais para fora do país.

Os EUA seguem investigando denúncias de corrupção. Não é nada lucrativo seguir apoiando Marco Polo. Apesar do patrocínio bilionário, não há clima de festa na Globo. Muito pelo contrário.

Há é saudades dos bons tempos. Da Coca-Cola, da Volkswagen… Da briga de multinacionais poderosas pelo futebol.

Mas a realidade é outra.

Os fracassos da Seleção e as denúncias de corrupção pesam. E é espantoso que marcas poderosas persistam.

O medo já é 2017.

A incompetência do time de Dunga tirou o Brasil da Copa das Confederações. Serão apenas eliminatórias, amistosos e jogos internos.

Só.

Se este ano já foi difícil. É bom os executivos globais se prepararem para 2016.

As declarações de J.Hawilla, dono da Traffic ao FBI não devem ajudar. Os departamentos de marketing das grandes empresas do país, que ainda pensam no futebol, não têm como se alegrar com suas belas palavras. Elas vieram à tona nesta semana. Foram divulgadas mundialmente. E são assustadoras.

Concordei em pagar subornos por contratos da Copa América, Copa Ouro, Copa do Brasil, e pelo patrocínio da seleção brasileira. Eu usei instituições financeiras dos EUA e facilidades de transação bancária digital nos EUA para pagamento de algumas dessas propinas, bem como para pagamentos legítimos correspondentes a esses direitos.

Depois disso e até 2013, outros dirigentes do futebol vieram a mim pedir propinas para assinar ou renovar contratos. Eu concordei em pagá-los por contratos de direitos de marketing para vários torneios e outros direitos, como a Copa América, a Copa Ouro, a Copa do Brasil e para o acordo de patrocínio para a Seleção Brasileira.

Não deve ser nada estimulante vincular sua marca a esse tipo de gente. Mas, para sorte da Globo, tem gente que não concorda. Pelo menos os executivos da emissora já sabem onde não devem ir.

Não perder tempo em 2016. Nas sedes do Magazine Luiza, da Coca-Cola e da Volkswagen…

JHavilla10_Mafia

J.Havilla (1º à esq.) e a máfia da Globo e CBF.

Leia também: Marin*
Futebol: A Globo promove o apartheid e o Brasil corre o risco de “espanholização”, ter apenas dois campeões
Abril as pernas: Explicando o ataque de Veja a Romário
Repórteres da Veja saem do Facebook após serem desmascarados por Romário
A Globo, a CBF e os direitos de transmissão esportiva na tevê
Contratos entre CBF e Globo são investigados pela Polícia Federal
Copa América: Com medo de ser presos, cartolas da Conmebol não vão ao Chile
Luiz Flávio Gomes: Corrupção no futebol e cleptocracia
A CPI da CBF só poderá ser levada a sério se Romário também investigar a Globo
Copa América esconde três empresas envolvidas em investigação na Fifa
Paulo Villaça: Na Câmara dos Deputados, quem barrou a CPI da Nike/CBF?
Entre gângsteres, esquerdistas e até roqueiros: O que motiva o FBI no caso Fifa?
Sérgio Moro, o justiceiro da Globo, foi patrocinado pela CBF
Fifa/CBF: Agora falta explicar por que quem pagou menos transmitiu de forma exclusiva o futebol
São Paulo fica no Brasil?
A corrupção é na Fifa, mas a notícia é contra o PT
Janio de Freitas: Havelange e Teixeira, parlashopping e 46 tucanos desmascarados de vez
Os mistérios de Ronaldo, além da final com a França
Rabo preso: Em 2008, Marin recebeu o Colar do Mérito Institucional do Ministério Público
O dia em que o JN se despediu do parceiro Ricardo Teixeira, o homem da propina de R$73 milhões
Rede Globo mentiu sobre envolvimento da mídia no escândalo da Fifa
O péssimo exemplo de Neymar Jr.
Nike deu US$30 milhões a Hawilla no acordo com Ricardo Teixeira
Andrew Jennings, uma pedra no sapato da Fifa
Rede Globo e Nike são citadas em inquérito sobre corrupção no futebol
Novas denúncias colocam a Alemanha no escândalo da Fifa
Corrupção é coisa de país do Terceiro Mundo. É mesmo?
Quanto vale a opinião de Ronaldo?
Em troca da Copa 2006, Alemanha cedeu armamentos e propina para vários países
O sigilo total sobre Ricardo Teixeira e Rossell, ex-Barça. A grana se foi, doutores do MP.
Em ação contra Ricardo Teixeira no STF, Joaquim Barbosa pulou fora
Luciano Martins Costa: Futebol e o ninho de ratazanas
Acordo com ditadura possibilitou eleição de Havelange à Fifa
A Receita Federal tem medo de falar na Globo?
Ricardo Teixeira é o homem-bomba que a Globo não quer ver denunciado
A CBF e a cara do Brasil
Paulo Moreira Leite: A síndrome de Pelé
Fifa: Saiba por que o silêncio de Ronaldo e Pelé está ligado a J.Hawilla e aos EUA
Como os editores escolhem a capa da Veja
Por uma lei que obrigue os candidatos a usarem a logomarca de seus patrocinadores
Globo silencia sobre a corrupção em seu quintal
De dono do futebol brasileiro a delator: A ascensão e queda de J.Hawilla
Por que a Polícia Federal se sentou em cima das fraudes da CBF nestes anos todos?
Corrupção na Fifa: Quais são os negócios do réu confesso com a Globo
Como o homem que tentou eleger Marina Silva virou escudo de Del Nero na CBF
Especialista de Harvard alerta sobre interesses dos EUA em crise na Fifa
Leão vai pra cima dos sonegadores do futebol
Fifa: Globo esconde que J.Hawilla é sócio de filho de João Roberto Marinho
Golpe imperialista: EUA pedem cancelamento da Copa na Rússia e o afastamento de Blatter
Será que tem alguém que ainda quer alguma coisa padrão Fifa?
Prender Dirceu e Genoíno é fácil. Difícil, no Brasil, é prender Marin
O escândalo da Fifa “é só o começo”, diz polícia norte-americana
Recordar é viver: Marin e Aécio Neves, uma tabelinha impagável
Vídeo: A prisão de José Maria Marin e a compra de resultados no futebol
Recordar é viver: Dilma quer Marin fora da CBF
O jornalista que expôs a corrupção da CBF
Jornalista que investigou Ricardo Teixeira é condenado sem conhecer acusação
É intolerável ver Marin na abertura da Copa 2014, diz filho de Herzog
Futebol e ditadura: Filho de Vladimir Herzog cria petição online para tirar Marin da CBF
Após denúncias, Marin, presidente da CBF, garante R$100 mil por mês a Teixeira
Comissão da Verdade pode citar José Maria Marin pela morte de Herzog
José Maria Marin foi o responsável pela prisão de Herzog
CBF: Alguém explique pra Globo a diferença entre comissão e propina
CBF: A Globo está envolvida no suborno de Havelange e Ricardo Teixeira
Tremei TV Globo: João Havelange e Ricardo Teixeira recebiam propina
Depois das denúncias vindas da Suíça, a Globo vai blindar Havelange e Teixeira?
Globo não revela seus codinomes no relatório da propina a Ricardo Teixeira
Allianz Parque: O dia em que a Globo e a CBF censuraram um estádio
O caso de sonegação da Globo e o escândalo HSBC
PF confirma abertura de inquérito contra sonegação da Globo
Rede Globo sonega milhões de reais em impostos
A Globo e a ditadura militar, segundo Walter Clark
Estarrecedor: Por sonegação, Receita Federal notificou a Globo 776 vezes em dois anos
Rede Globo tem os bens bloqueados pela Justiça
Ex-funcionária da Receita que sumiu com processos contra TV Globo é condenada à prisão
Leandro Fortes: O povo não é bobo
Série do DCM sobre a sonegação da Globo, 1ª parte: “Injusto é pagar imposto no Brasil.”
Série do DCM sobre a sonegação da Globo, 2ª parte: Como o processo sumiu da Receita e sobreviveu no submundo do crime
Série do DCM sobre a sonegação da Globo, 3ª parte: A história da funcionária da Receita que sumiu com o processo
Vídeo: O documentário sobre o escândalo de sonegação da Globo
Vazou tudo: Sonegação da Rede Globo está na web
A sonegação da Globo, o Ministério Público e a PEC 37
Saiba como funcionava a empresa de fachada das Organizações Globo nas Ilhas Virgens

2 Respostas to “Magazine Luiza e Volks seguem a Coca-Cola e deixam de patrocinar o futebol da Globo”

  1. tiolulu Says:

    Se investigaram a fundo, descobrirão quem a “Vênus ex-líder de audiência” corrompeu gente da Portuguesa-SP (2013) para salvar o Flamengo do rebaixamento…

    Talvez seja o caminho mais fácil pra pegar a “Vênus decadente”, pois o golpe teve que ser arquitetado de forma improvisada e deixou vá rios furos…

    O Promotor Senise, do MP-SP, já afirmou que houve corrupção. A granse mídia empresarial omitiu a escalação irregular do atleta André Santos (Flamengo), fato que custaria a perda de quatro pontos do time carioca que, não podemos esquecer, é o carro-chefe da “Vênus desavergonhada” em termos de transmissão esportiva (vide o projeto safado de “espanholização” em curso)…

    Sendo assim, a única forma de acertar as coisas com segurança para evitar um improvável, mas possível, rebaixamento do Flamengo naquela ocasião seria que algum clube perdesse pontos e ficasse abaixo do Flamengo na classificaçào. Todos sabemos o que aconteceu, né?

    O Coronel Paúl (ver Blog do Paúl) fez minuciosa investigação e enviou o material ao MP-RJ, MP-SP, MPF e PF. Até livro a respeito ele publicou recentemente. Sugiro uma boa conversa com ele, mas com foco na “maldição sempre defenestrada pelo saudoso Leonel Brizola”, pois o Coronel Paúl é reaça e coxinha, rsrs

    A “casa marinho” pode estar mais perto de cair do que pensamos… A bala de prata para isso, quem diria, pode vir a ser a Portuguesa-SP.

  2. Edson Brasilino Says:

    Acho é pouco. Este é o preço, alto, diga-se, que a globo está pagamento também pelo impatriótico boicote que promoveu por razões políticas contra a Copa do Mundo de 2014 no Brasil.

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: