A cortina de fumaça e os filhos da Veja

Lauro_Jardim03_O_Globo

A foto tipo “gostosão” na primeira página fez-me lembrar quantas vezes ouvi naquela redação que “jornalista não é notícia”. Mas mudaram os tempos e não mudei eu.

Fernando Brito, via Tijolaço em 11/10/2015

Ex-Veja, Lauro Jardim estreia hoje [11/10] em O Globo com uma nota daquele tipo bem comum à revista do “produzam a notícia que estou fechando a edição”.

Diz que o ministro Teori Zavascki , na conveniente sexta-feira [9/10], dia do “pescoção” – como nós chamamos nos jornais o “adiantamento” da edição de domingo, que roda ainda na tarde de sábado –, homologou a delação premiada de Fernando Baiano Soares, o operador de parte (ele frisa o “parte”) do PMDB em negócios escusos na Petrobras.

Conteriam uma bomba e um traque: a informação de que teria pago despesas pessoais de Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, e de que nada traria de mais grave sobre Eduardo Cunha.

Não conheço “Lulinha”, mas observo que sobre ele muito já se investigou sem que nada tenha sido encontrado. Afinal, ele já foi “dono” da Friboi, de uma mansão no interior paulista, de um jatinho… Em tese, sabe que há dez anos é visado e dificilmente iria entrar nessa achando que não teria problemas. Mas, se o fez, é maior de idade e responde por seus atos, como eu ou qualquer um responde pelos seus atos, sem que disso caiba culpa a meus filhos ou a meu pai.

Vivi, bem de perto, as maldades que se faziam contra os filhos de Leonel Brizola e, claro, também como sofriam assédio de aproveitadores, muitas vezes sem o perceber totalmente.

Sei não, mas isso tem cara de ser algo teleguiado “de fora da cadeia”, porque não faz sentido que Baiano nada tenha a dizer sobre os negócios de Cunha se partilhava – e até esteve junto, numa reunião já detalhadamente descrita pela denúncia apresentada pela Procuradoria Geral da República – com o presidente da Câmara o achaque a fornecedores da Petrobras.

De qualquer forma, a nota de Jardim não traz nenhum elemento concreto. Tanto que não foi encampada, até agora, pelo resto da “grande imprensa”, nem mesmo pela Veja, que, contra Lula, publica até fofoca de vizinho.

Imagina-se que a “delação” de Baiano os traga, a menos que seja um mero expediente para “jogar no ventilador”…

Leia também:
Filho de Lula processa Estadão por mais uma mentira
“Só conheço por fotos”, diz dono da Friboi sobre Lulinha
Lulinha entra no STF com queixa-crime contra tucano mineiro por calúnia
A lição de democracia da loja que desmentiu o boato de que é “do filho de Lula”
Friboi contrata agência para desmentir o boato que a empresa é de Lulinha
Lulinha processa prefeito de São Carlos após postagem no Facebook
Família do ex-presidente Lula vai pra cima de tucano que mentiu sobre Lulinha
Caluniador de filho de Lula na internet é executivo do instituto FHC
Empresário é condenado a pagar multa por causar danos morais ao filho de Lula
Advogados de filho de Lula denunciam seis pessoas por ataques via internet
Veja acusou o filho de Lula. E agora?
Para encerrar o assunto: As fazendas não são do Lulinha
Instituto de FHC na mira da polícia devido aos boatos contra Lulinha

Uma resposta to “A cortina de fumaça e os filhos da Veja”

  1. Marcos Ferreira Pinto Basto Says:

    Há muita história mal contada nas delações premiadas! Virou arma política nas mãos sujas dos politiqueiros. Nas minhas mãos, esse Baiano tinha que contar quem lhe pagou para fazer essa denúncia que pagou despesas do Lulinha!

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: