Lista da Odebrecht revela tucanos envolvidos em corrupção desde a década de 80

Odebrecht09

Benildes Rodrigues, via PT na Câmara em 18/9/2015

O envolvimento da empreiteira Odebrecht em esquemas de corrupção, envolvendo políticos e manipulação de recursos públicos, remonta às décadas de 1970 e 1980. A grave denúncia foi feita pelo deputado Jorge Solla (PT/BA) à CPI da Petrobras, na quinta-feira, dia 17/9, com base em farta documentação recebida pelo parlamentar de ex-funcionários da empresa. Entre os documentos constam recibos, ordens de pagamentos e registros de movimentações financeiras beneficiando agentes públicos que intermediaram as fraudes em contratos públicos.

“É uma verdadeira lista de obras públicas que sangraram o dinheiro da corrupção que alimentou políticos – governadores, deputados, senadores, ministros e dirigentes dos partidos – que, até hoje, devem estar usufruindo disso e se dizendo arautos da moralidade”, afirmou Jorge Solla.

O deputado frisou que a documentação contém identificação dos agentes públicos que receberam propina e que cada “parceiro” da empresa tinha um apelido que era usado nos registros dos pagamentos. Solla ressaltou que a lista quebra o “mito” de que não existia corrupção durante o regime militar encerrado em 1985. “Para aqueles que falam da ditadura como um tempo que não havia corrupção, essa é mais uma prova que os esquemas envolvendo grandes construtoras no Brasil, no exterior e o poder público ocorreram nas décadas de 70, 80, 90 e continua nos dias atuais”, lamenta o parlamentar.

Tucanos
O deputado Antonio Imbassahy (PSDB/BA), vice-presidente da CPI da Petrobras, figura na lista da Odebrecht com o apelido de “Almofadinha”. O tucano ocupou cargo na direção na Companhia de Eletricidade da Bahia (Coelba) e presidiu o Conselho do Vale do Paraguaçu, estatal que contratou a Odebrecht para construir a barragem Pedra do Cavalo, localizada a 120km da capital baiana e inaugurada em 1985.

Outro tucano graúdo que aparece na lista é o ex-senador Arthur Virgílio (PSDB/AM) e atual prefeito de Manaus, célebre por ter dito, em discurso no plenário do Senado, que daria uma “surra” no presidente Lula, ameaça à qual se somou ACM Neto (DEM), então deputado do PFL e hoje prefeito da capital baiana.

Segundo Jorge Solla, os documentos comprovam que parte dos pagamentos de propina aos agentes públicos, mesmo as obras no Brasil, seguiam a cotação do “dólar black”, que era comercializado ilegalmente no chamado “mercado negro”. O deputado disse ainda que os pagamentos eram feitos por ordem bancária e o banco autorizado para fazer a operação era o falido banco Econômico, que possuía fortes vínculos com o então PFL. O Econômico, acrescentou Solla, possuía uma agência dentro da sede da Odebrecht em Salvador.

Jorge Solla entregou todos os documentos originais ao coordenador da Policia Fazendária da Polícia Federal, Bráulio Cesar Galloni. Ao receber o material, o delegado informou que o material será anexado aos autos da operação Lava-Jato. O parlamentar vai sugerir à CPI que solicite o compartilhamento das informações que a PF venha a apurar a partir desses documentos. Apesar disso, Solla não acredita em punição dos envolvidos.

“Entregamos toda a documentação à Policia Federal para que tudo seja apurado. Claro que, provavelmente, todos esses crimes estão prescritos, e esses criminosos não terão nenhuma penalidade. É mais uma denúncia vai ficar impune, como ocorreu com a lista de Furnas e a da Camargo Correia. Esta lista da Odebrecht pode seguir pelo mesmo caminho”, avalia.

“Está aí para provar a lista de Furnas, que envolveu 156 políticos, inclusive o Aécio Neves e vários deputados do PSDB e do DEM. Veio a lista da Camargo Correia com 239 obras no Brasil, tudo com recurso de corrupção repassado para agentes públicos. Agora, está aqui a Lista da Odebrecht que envolve inclusive obras no exterior (Peru e Angola), além de inúmeras obras aqui no Brasil”, complementou o parlamentar.

Solla também espera que a documentação contribua para alertar a população e mobilizar a sociedade para rejeitar o financiamento privado de campanhas eleitorais, elemento determinante da corrupção. “Não adianta dizer que é contra a corrupção e é a favor do financiamento privado de campanha eleitoral”, resumiu.

Leia também:
Novo recorde: Em agosto, produção de petróleo e gás da Petrobras cresce 3,1%
Em julho, o pré-sal bate novo recorde na produção de petróleo
Pré-sal poderia abastecer mundo inteiro por 5 anos seguidos
José Serra e a entrega do pré-sal
Resultado da Petrobras é superior ao da BP, Chevron e Exxon
Já imaginou se a Petrobras fosse a Shell?
Vamos falar de corrupção na Petrobras?
Petrobras anuncia novos recordes no pré-sal
Projeto de Serra transfere lucros do pré-sal dos brasileiros para multinacionais
Petrobras: Produção de petróleo atinge 3 milhões de barris e atrai R$8 bi para o Brasil
Lista com nomes, telefones e e-mails dos senadores que votaram contra nossa Petrobras
Roberto Requião demole todos os argumentos dos entreguistas da Petrobras
Antonio Lassance: O lobby das petroleiras que se transformou em projeto de lei
Recordar é viver: Serra prometeu entregar o pré-sal aos norte-americanos
Projeto de Serra, o lesa-pátria: Ministro da Educação faz vídeo contra mudança no pré-sal
José Serra é recebido com protestos em Macaé
Seis motivos para manter a Petrobras como operadora única do pré-sal
Dilma rechaça vendilhões da pátria: Regime de partilha continua
Janio de Freitas: A Petrobras e o bom negócio
OsAntiPira: Petrobras tem lucro de R$5,33 bilhões no 1º trimestre
Produção no pré-sal ultrapassa 800 mil barris por dia e bate recorde
Petrobras: Novos poços do pré-sal têm influenciado queda de custo
Procurador “decreta” o fim da exploração do pré-sal
Petrobras, no caminho da retomada
Mauro Santayana: A disputa pelo pré-sal
Norte-americanos “não estão nem aí” para crise, diz assessor da Petrobras
Ato em favor da Petrobras: Entenda como a mídia corporativa tenta manipular você
Lula afirma que ataque à Petrobras quer derrubar partilha na exploração do pré-sal
A Petrobras é do povo brasileiro: Não se aceita nem corrupção, nem entreguismo
No Senado, presidente da Petrobras avalia que as perdas da empresa podem ser menores
Na surdina, José Serra apresenta projeto que desobriga Petrobras de participar do pré-sal
“Pagamento de propina na Petrobras transcende o PT e o PSDB.”
O tamanho da crise da Petrobras
Trabalhadores da Petrobras propõem “reestatização” e criticam papel da mídia
FHC ao FMI: “CEF, BB e Petrobras estão à venda.”
Petrobras vai investir US$236,7 bilhões nos próximos cinco anos
Petrobras responde à turma da Petrobrax
PSDB debate Petrobras: É o partido da piada pronta
PSDB, da Petrobrax, ensina como gerir Petrobras
Petrobras cala a boca do PIG nativo e internacional
Stanley Burburinho: Entenda o motivo de a mídia golpista atacar a Petrobrax, quer dizer, Petrobras
Petrobras: Dilma terá de pagar dívida de R$4,7 bilhões deixada por FHC
Se cuida, Dudu: Brasil investiga Pasadena, mas refinaria de Pernambuco é problema maior
Antonio Lassance: Quem tem medo de uma CPI ampla?
Valor Econômico mistura números e eleva prejuízo de Pasadena para US$2 bilhões
Petrobras assinala recordes em refinaria e de extração no pré-sal
Petrobras: 42 milhões nada, Astra pagou quase US$500 milhões por Pasadena
Memória curta da oposição disfarça falta de propostas
Negócio mais polêmico da Petrobras vem da era FHC
Ano a ano, os estragos que FHC fez na Petrobras
Para ler, divulgar e guardar: O legado de FHC e outras “obras”
O dedinho de FHC, o porto de Cuba e as hidrelétricas do Aécio
O contra-ataque do governo na CPI da Petrobras
Recordar é viver: Justiça mira gestão da Petrobras na era FHC
A Petrobras e as tucanisses
Miguel do Rosário: Documentos comprovam que Astra pagou mais por Pasadena
Alguns esclarecimentos importantes sobre Petrobras e Pasadena
A Petrobras incomoda
A Petrobras é o alvo do ódio, mas fingem que a defendem
Lobos e cordeiros nos ataques especulativos à Petrobras
Janio de Freitas: O mistério do futuro
O jogo pesado: Tirar a Petrobras de campo
Sérgio Gabrielli explica a senadores detalhes da compra da refinaria nos EUA
A história de Pasadena que a “grande mídia” não contou e o vídeo não editado pela Globo
Ata confirma versão de Dilma sobre Pasadena
Petrobras lança US$8,5 bilhões em bônus e demanda supera US$22 bilhões
Petrobras bate rivais em todos os indicadores
Petrobras bate novo recorde de produção no pré-sal
Petrobras valia US$15,4 bilhões em 2003. Hoje vale R$214,6 bilhões. O que a mídia noticia
Faz algum sentido tratar a Petrobras como uma empresa quebrada?
Banco ataca e depois “enche o carrinho” de Petrobras
Mídia golpista e PSDB noticiam: Petrobras tem “32% de chances de falir”. É? Então a Vale tem 59%
“Consultores” da Folha criam o inédito: Maior campo do mundo é “problema para a Petrobras
Lucro menor da Petrobras tem nome: investimento gigante
Petrobras 60 anos, com meta de dobrar produção
Lula critica “bisbilhotice” de Obama sobre Dilma e a Petrobras
Petrobras tem lucro de 40% mais que o “previsto”
“Bomba” da Época difamando a Petrobras é desmentida em 24 horas
Um recorde após outro: E a Petrobras está em crise?
Petrobras bate rivais em todos os indicadores
Petrobras bate novo recorde de produção no pré-sal
Transpetro alcança marca de 10 navios lançado ao mar
Dilma diz que leilão do Campo de Libra é “passaporte para o futuro”
Os lances de Libra e o lance de 2014
Economistas que privatizaram a Vale deveriam se envergonhar de criticar Libra
Pré-sal: O discurso que Aécio não fez e engoliu
Paulo Moreira Leite: Quem perdeu no pré-sal
A redistribuição social da renda petroleira
FHC leiloou Campo de Libra por R$250 mil
Os números finais do leilão do Campo de Libra
Mídia golpista e PSDB noticiam: Petrobras tem “32% de chances de falir”. É? Então a Vale tem 59%. Que burros. Dá zero pra eles!
Dilma: “Quem quer mudar a regra do petróleo, que mostre a cara.”
Pré-sal vai gerar 87 milhões de empregos
União terá 85% de lucro com o Campo de Libra: “Isso é bem diferente de privatização”, afirma Dilma
Pré-sal: Brasil ganha R$1 trilhão no leilão do Campo de Libra, alcançando recorde mundial
Paulo Moreira Leite: A chance perdida por Gilmar Mendes no caso da Petrobras
Aécio Neves ataca tentativa governista de incluir caso Alstom em CPI da Petrobras
Privataria: Ano a ano, os estragos que FHC fez na Petrobras
Investigações aumentam ligações da gestão FHC à corrupção na Petrobras
Lei de FHC afrouxou controles na Petrobras
FHC: A plataforma P36 e a corrupção na Petrobras
Stanley Burburinho: Entenda o motivo de a mídia golpista atacar a Petrobrax, quer dizer, Petrobras
Negócio mais polêmico da Petrobras vem da era FHC
Adriano Benayon: O Brasil e a Petrobras
Para jornal O Globo, esquema de propina na Petrobras vem desde a era FHC
Entenda o motivo de a mídia golpista atacar a Petrobrax, quer dizer, Petrobras
FHC ao FMI: “CEF, Banco do Brasil e Petrobras estão à venda.”
Dupla identidade: A heroína do Fantástico e a Venina do Linkedin
O veneno da edição da entrevista de Venina
Petrobras: Graça Foster desmonta a farsa de Venina
Enquanto a Petrobras é massacrada, a Sabesp é convenientemente esquecida
Petrobras e HSBC: Não precisam explicar, só queremos entender
Tucanagem: Deputados oposicionistas da CPI da Petrobras receberam doações de empreiteiras
Senadores da oposição desistem da CPI da Petrobras e querem investigar BNDES
Luis Fernando Verissimo e o cerco à Petrobras
Dilma: Se a corrupção na Petrobras tivesse sido combatida entre 1996 e 1997, cenário atual seria diferente
Petrobras atinge novos recordes de produção de petróleo no pré-sal
Petrobras recebe maior prêmio da indústria de petróleo e gás offshore mundial
O festival de asneiras em torno dos R$88 bilhões da Petrobras

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: