6 ideias para que os super-ricos paguem a conta

Dinheiro11

Que os super-ricos paguem a conta ou como tirar a classe média da influência da direita
As classes média e média alta pagam mais IR do que os verdadeiramente ricos, com renda mensal superior a 160 salários mínimos. Em 2013, dos 72 mil super-ricos brasileiros, 52 mil receberam lucros e dividendos – rendimentos isentos. Dois terços do que eles ganham sequer é taxado.

Reginaldo Moraes, via Brasil Debate em 8/9/2015

Faz alguns anos, a Receita Federal divulga os grandes números das declarações de renda. Neste ano, divulgou dados que nunca divulgara. E com isso ficamos sabendo, número por número, coisas estarrecedoras que só podíamos deduzir, observando o comportamento de nossos ricaços. Veja alguns destaques:

Quantas pessoas físicas fazem declaração?
Quase 27 milhões.

Qual é o “andar de baixo”?
Os 13,5 milhões que ganham até 5 salários mínimos. Se deixassem de pagar IR, a perda seria de mais ou menos 1% do total arrecadado pela receita. Só. E gastariam esse dinheiro, provavelmente, em alimento, roupa, escola, algum “luxo popular”.

Quais são os andares de cima?
São três andares:

1) Os que ganham entre 20 e 40 salários mínimos. Correspondem a mais ou menos 1% da população economicamente ativa. Podem ter algum luxo, pelos padrões brasileiros. Mas pagam bastante imposto.

2) Tem um andar mais alto. Os que ganham entre 40 e 160 salários mínimos representam mais ou menos 0,5% da população ativa. Já sobra algum para comprar deputados (ou juízes).

3) E tem um andar “de cobertura”, o andar da diretoria, da chefia. A nata. A faixa dos que estão acima dos 160 salários mínimos por mês. São 71.440 pessoas, que absorveram R$298 bilhões em 2013, o que correspondia a 14% da renda total das declarações. A renda anual média individual desse grupo foi de mais de R$4 milhões. Eles representam apenas 0,05% da população economicamente ativa e 0,3% dos declarantes do Imposto de Renda. Esse estrato possui um patrimônio de R$1,2 trilhão, 22,7% de toda a riqueza declarada por todos os contribuintes em bens e ativos financeiros. Pode estar certo de que são estes que decidem quem deve ter campanha financiada. Podem comprar candidatos e, também, claro, sentenças de juízes.

Quem sustenta o circo? Quem mais paga IR?
A faixa que mais paga é a do declarante com renda entre 20 e 40 salários mínimos, que se pode chamar de classe média ou classe média alta.

Quem escapa do leão?
O topo da pirâmide, o grupo que tem renda mensal superior a 160 salários mínimos (R$126 mil). As classes média e média alta pagam mais IR do que os verdadeiramente ricos.

Em 2013, desses 72 mil super-ricos brasileiros, 52 mil receberam lucros e dividendos – rendimentos isentos. Dois terços do que eles ganham sequer é taxado. São vacinados contra imposto. Tudo na lei, acredite. A maior parte do rendimento desses ricos é classificada como não tributado ou com tributação exclusiva, isto é tributado apenas com o percentual da fonte, como os rendimentos de aplicações financeiras.

Em 2013, do total de rendimentos desses ricaços, apenas 35% foram tributados pelo Imposto de Renda Pessoa Física. Na faixa dos que recebem de 3 a 5 salários, por exemplo, mais de 90% da renda foi alvo de pagamento de imposto. Em resumo: a lei decidiu que salário do trabalhador paga imposto, lucro do bilionário não paga.

O que isso exige da ação política?
Quando a classe trabalhadora e suas organizações se enfraquecem, burocratizam ou recuam, deixam a ideologia e os sentimentos da classe média sob o comando da classe capitalista. Mais ainda, da sua ala mais reacionária. Pior ainda: a direita conquista até mesmo o coração dos trabalhadores que são tentados a se imaginar como “classe média”.

Na história do século 20, o resultado disso foi a experiência do fascismo, em suas múltiplas formas e aparições. Nos últimos anos, os bilionários brasileiros e seus cães de guarda na mídia perceberam que podiam conquistar o ressentimento da classe média para jogá-la contra os pobres, os nordestinos, os negros, tudo, enfim, que se aproximasse dos grupos sociais que fossem alvo de políticas compensatórias, de redistribuição. E contra governos e partidos que tomassem essa causa.

E a esquerda, de certo modo, assistiu a essa conquista ideológica sem ter resposta. Uma resposta política: a criação de movimentos reformadores que fizessem o movimento inverso, isto é, colocassem essa classe média contra os altos andares da riqueza. Nós não soubemos fazer isso. Talvez pior: acho que nem tentamos fazer isso.

Aparece agora essa urgente necessidade e a providência divina, travestida de Receita Federal, nos traz uma nova chance.

Já sabíamos que os brasileiros mais pobres pagam mais impostos, diretos e indiretos, do que os brasileiros mais ricos. Sabemos que todos pagamos imposto sobre propriedade territorial urbana – o famoso IPTU. E conhecemos o estardalhaço que surge quando se fala em taxar mais os imóveis em bairros mais ricos.

Mas sabemos coisa pior: grandes proprietários de imóveis rurais não pagam quase nada. Sobre isso não tem estardalhaço. É assim: se você, membro da “classe média empreendedora” passeante da Avenida Paulista, tem uma loja, oficina ou restaurante de self service, paga um belo IPTU. Se você fosse um grande proprietário rural (como os bancos e as empresas de comunicação), seu mar de terras com uma dúzia de vacas não pagaria ITR. Ah, sim, teria crédito barato.

Tudo isso já é mais ou menos sabido e merece reforma. Mas ainda mais chocante é o que se chama de “imposto progressivo sobre a renda”, que agora sabemos que é ainda menos progressivo do que imaginávamos.

Faz algum tempo escrevi um artigo dizendo que a Receita Federal deveria concentrar sua fiscalização na última faixa dos declarantes pessoa física, responsável por 90% do IR. Se o resto simplesmente deixar de pagar não vai fazer tanta diferença. Além disso, a faixa mais alta é aquela que menos recolhe na fonte e a que mais tem “rendimentos não tributáveis” e de “tributação exclusiva”, isto é, rendimentos derivados de investimentos, não de pagamento do trabalho.

Fui injusto ou impreciso, moderado demais. A Receita e os legisladores podem economizar mais tempo do que eu supunha. Basta que prestem atenção em 100 mil contribuintes, do total de 26 milhões. Essa é a mina. Se conseguir que eles paguem o que devem e se conseguir que eles percam as isenções escandalosas que têm, posso apostar que teremos mais dinheiro do que os ajustes desastrados e recessivos do senhor ministro da Fazenda.

O que isso significa para o que chamamos de esquerda – partidos, sindicatos, movimentos sociais? Sugiro pensar em um movimento unificado com uma bandeira simples: que esses 100 mil ricaços paguem mais impostos e que deem sua “contribuição solidária” para reduzir a carga fiscal de quem trabalha. É preciso traduzir essa ideia numa palavra de ordem clara, curta e precisa, mobilizadora. E traduzi-la numa proposta simples e clara de reforma, cobrada do governo e do Congresso. A ideia é simples: isenção para os pobres, redução para a classe média, mais impostos para os ricaços.

Talvez essa seja uma boa ideia para fazer com que a “classe média” que atira nos pobres passe a pensar melhor em quem deve ser o alvo da ira santa. Afinal, milhares e milhares de pagadores de impostos foram para as ruas, raivosos, em agosto, enquanto os nababos que de fato os comandam ficavam em seus retiros bebendo champanhe subsidiada.

Os passeadores da Avenida Paulista são figurantes da peça, eles não sabem das coisas – os roteiristas e produtores nem deram as caras.

Em que rumo os partidos e movimentos populares devem exigir mudanças?
1)
É justo e perfeitamente possível isentar todo aquele que ganha até 10 salários mínimos. Não abala a arrecadação se cobrar um pouco mais dos de cima.

2) É necessário e legítimo criar faixas mais pesadas para os andares mais altos. Mas não é suficiente.

3) É preciso mudar as regras que permitem isenção e desconto para lucros e dividendos.

4) É preciso e é legítimo mudar as regras para os pagamentos disfarçados, não tributáveis, em “benefícios indiretos”. A regra tem sido um meio de burlar a taxação.

5) É preciso e é legítimo mudar as regras de imposto sobre a propriedade territorial. A classe média estrila com o IPTU. Mas deveria é exigir cobrança do ITR.

6) É preciso ter um imposto sobre heranças. Com isenção para pequenos valores e tabela progressiva.

Leia também:
Flávio Dino: Imposto sobre grandes fortunas renderia R$14 bilhões aos cofres públicos
É hora de retirar as isenções que FHC deu aos ricos
Suiçalão: Prestes a ser pego, ocultador de capital no exterior pediu anistia
Sonegação bilionária: Ministro do TCU, Augusto Nardes, foi pego na Operação Zelotes
Receita Federal inicia operação de cobrança de R$20,6 bi devido por grandes contribuintes
Por não ter nenhum petista, a “grande mídia” esconde Operação Zelotes
Conheça os super-ricos e saiba como você financia a fortuna deles
Sonegadores fiscais: Distraído, Ronaldo Caiado diz a quem representa
CPI do HSBC ouve delator do caso SwissLeaks e propõe prorrogar trabalhos
“Imposto sobre grandes fortunas renderia R$100 bilhões por ano.”
Pesquisa indica que patrimônio dos ricos tem crescido mais que o PIB
R$200 bilhões: Fortuna de ricos brasileiros é protegida do IR da pessoa física
Países ricos bloqueiam, de novo, luta contra evasão fiscal
HSBC, o paraíso da fraude
CPI do HSBC decide blindar empresários que mantêm recursos não declarados no exterior
Leandro Fortes: McDia sonega Esperança
Comparando as crises de 1998 e 2015
Para a “grande mídia”, crime de sonegação não é notícia
Os documentos da sonegação da Globo
Lula mostrou o Darf. Quem falta mostrar?
Fiscos investigam 50 escolas de São Paulo por sonegação de impostos
Como o HSBC “ajudou” milionários a sonegar impostos
HSBC anuncia que pretende encerrar atividades de sua lavanderia no Brasil e na Turquia
Sonegadores protegem sonegadores: Como a mídia enterrou o caso Swissleaks
Por que não taxar os ricos? Ora, porque isso é “proibido”
Empresários que apoiaram o golpe de 64 construíram grandes fortunas
Imposto sobre grandes fortunas tem apoio de 59,8% dos deputados
Corrupção é escândalo, sonegação é detalhe
Sonegação dos ricos rouba R$200 bilhões em cinco meses
Leão vai pra cima dos sonegadores do futebol
Sonegação no país alcança a marca de R$415 bilhões no ano
Sonegação de imposto em São Paulo chega a R$132 bilhões por ano
Ricos brasileiros têm 4ª maior fortuna do mundo em paraísos fiscais
Saiba como os ricos evitam impostos
Empresários brasileiros sonegam 10% do PIB
Sonegação no Brasil é 20 vezes maior que gasto com Bolsa Família
Paul Krugman e Banco Mundial avaliam o Brasil apesar da sonegação
No Brasil, rico é menos taxado do que na maioria do G20
Cadê os indignados?: Sonegação de impostos no Brasil supera orçamentos de Educação e Saúde
Edir Macedo é o pastor mais rico do Brasil com uma fortuna de US$950 milhões
Álvaro Dias, o Tio Patinhas do Paraná, há anos omite sua fortuna
Os 400 mais ricos do mundo aumentaram fortuna em US$92 bilhões em 2014
Forbes: A famiglia Marinho tem fortuna de R$52 bilhões
Governo responde editorial do Financial Times sobre economia brasileira
Luciano Martins Costa: O inexorável peso dos fatos
Desigualdade social: 124 pessoas concentram 12,3% do PIB brasileiro
Sonegação dos ricos é 25 vezes maior que corrupção nos países em desenvolvimento
Sonegômetro vai calcular quanto o país deixa de arrecadar com sonegação de impostos
O PIG se cala: A importância didática do sonegômetro
Ali Kamel processa blogueiro que denunciou sonegação de impostos da Globo
Estarrecedor: Por sonegação, Receita Federal notificou a Globo 776 vezes em dois anos
Rede Globo sonega milhões de reais em impostos
Áecio Neves é denunciado por ocultar patrimônio e sonegar imposto
Rede Globo sonega milhões de reais em impostos
Mexeu com o Itaú, mexeu com a Marina: Banco é autuado por sonegar R$18,7 milhões
Áecio Neves é denunciado por ocultar patrimônio e sonegar imposto
O caso de sonegação da Globo e o escândalo HSBC
PF confirma abertura de inquérito contra sonegação da Globo
Estarrecedor: Por sonegação, Receita Federal notificou a Globo 776 vezes em dois anos
Rede Globo tem os bens bloqueados pela Justiça
Ex-funcionária da Receita que sumiu com processos contra TV Globo é condenada à prisão
Tributação dos ricos: O debate interditado
De onde surgiu a fortuna do ministro Toffoli do STF?
PF desmonta mais um esquemão gigante de sonegação
Governo federal aumenta taxação sobre lucro de instituições financeiras
Manipulação da cotação do real pode deixar Lava-Jato “no chinelo”. E o BC, vai agir?
Cotação do real sofreu manipulação em esquema internacional
O homem que “inventou” a atual instabilidade econômica
Operação Zelotes: O abafa começou. Como evitar?
Suiçalão: A mídia golpista está envolvida até o pescoço
Suiçalão: Revelações sobre um sistema de fraude fiscal internacional
Pela intervenção do Banco Central no HSBC Brasil
Paulo Pimenta: “Caso HSBC pode ser maior esquema já detectado de corrupção do mundo.”
Informante do caso HSBC diz que ainda há “um milhão” de dados por vir
SwissLeaks o caramba! O nome do negócio é Suiçalão do HSBC
Suiçalão: Jornal cede a pressões, abafa as denúncias e colunista pede demissão
Paraná: Suiçalão desvenda transação nebulosa entre Bamerindus e HSBC no governo do PSDB
HSBC e Beto Richa: Mídia esconde o que não lhe interessa
Suiçalão: Aécio lidera doações de donos de contas secretas do HSBC
Petrobras e HSBC: Não precisam explicar, só queremos entender
Bancos pagam menos impostos que os assalariados
Suiçalão: Quem são os brasileiros com contas secretas no HSBC?
Quem nos governa?
Suiçalão: Governo federal vai pedir lista de brasileiros com conta no HSBC da Suíça
Suiçalão: Cinco perguntas para o HSBC, um banco fora de controle
Suiçalão: Amaury Jr., autor de A Privataria Tucana, deixa o ICIJ devido à cobertura tendenciosa das contas do HSBC
HSBC pagará quase US$2 bilhões aos EUA por lavagem de dinheiro
O relatório do Senado norte-americano sobre o Suiçalão
Paraísos fiscais, o preço que as democracias pagam
Por que 8 mil contas de brasileiros em paraíso fiscal não são notícia no JN?
Itaú e Bradesco deixam de pagar R$200 milhões em impostos com operações em paraíso fiscal
Trensalão: Executivo da Siemens foi instruído a destruir papéis de conta em paraíso fiscal
Sonegação: Ricos brasileiros têm a 4ª maior fortuna do mundo em paraísos fiscais
Império britânico comanda offshores e paraísos fiscais do planeta
Muito mais que bucólicos são os paraísos fiscais
Repórteres de todo o mundo se juntam para expor contas secretas dos paraísos fiscais
Estarrecedor: Por sonegação, Receita Federal notificou Globo 776 vezes em dois anos
Chipre: Um paraíso fiscal que virou pesadelo para toda Europa
O caso de sonegação da Globo e o escândalo HSBC
Série do DCM sobre a sonegação da Globo, 1ª parte: “Injusto é pagar imposto no Brasil.”
Série do DCM sobre a sonegação da Globo, 2ª parte: Como o processo sumiu da Receita e sobreviveu no submundo do crime
Série do DCM sobre a sonegação da Globo, 3ª parte: A história da funcionária da Receita que sumiu com o processo
Vídeo: O documentário sobre o escândalo de sonegação da Globo
Vazou tudo: Sonegação da Rede Globo está na web
A sonegação da Globo, o Ministério Público e a PEC 37
Em 2014, sonegação deve atingir R$500 bilhões no Brasil
Sonegação no Brasil supera orçamentos da Educação e Saúde
Sonegação dos ricos é 25 vezes maior que a corrupção nos países em desenvolvimento
Sonegação de impostos em São Paulo chega a R$132 bilhões por ano
Bastou Zelotes chegar para a zelite achar ideias de Moro “perigosas”
Evasão fiscal anual no Brasil “equivale a 18 copas do mundo”
Operação Zelotes envolve bancos, grandes empresas e afiliada da Globo
Operação Zelotes: Procurador diz que Justiça dificulta investigações
O plano terrorista de Aécio e Armínio
Abaixo intermediários: Armínio “Gordon” Fraga para presidente
Como Armínio Fraga acabou com a economia brasileira em 2002
Cynara Menezes: 10 perguntas que queria fazer para Armínio Fraga, mas ele não quis responder
Armínio Fraga, o guru de Aécio, quer acabar com o BNDES, CEF e Banco do Brasil
Os bons tempos de Armínio Fraga, o “futuro” ministro de Aécio
Um escândalo chamado Armínio Fraga
Operação Zelotes envolve bancos, grandes empresas e afiliada da Globo
Operação Zelotes: Procurador diz que Justiça dificulta investigações
Folha de S.Paulo ataca quem investiga a Operação Zelotes
Réus graúdos levam Zelotes para longe dos holofotes
Não precisa desenhar: Divisão dos impostos entre os governos federal e estadual

3 Respostas to “6 ideias para que os super-ricos paguem a conta”

  1. Vera Sueli Urbine Miranda Says:

    Quanto mais os ricos são ricos, menos impostos pagam, e a classe média diz que não vai sustentar os pobres, é so acordar, brigar para mudar as regras do IR, que o IR vai ser cobrado do excesso, não do assalariado. mesmo que o salário seja alto, Vamos ler e lutar! Agricultura familiar, nada de isentar grandes donos de fazendas, cobrar ITR, porque ainda podem conseguir crédito a juros tão baratos, que podem tirar o empréstimos para poupar mais ainda. Ningúem pode ser tão rico, não às custas da maioria da população.
    Vou repassar o quanto puder! Que o congresso passe a trabalhar para o povo ! Mudem as regras do IR para servir a população! O congresso deve trabalhar para o povo! e povo é classe média e classe pobre!

  2. Vera Sueli Urbine Miranda Says:

    Não terminei: Aí a outra pessoa arrenda a terra que tem, ó terras produtivas são isentas de IR, Daí, quem só tinha o salário pagava IR, a outra pessoa, sabe-se lá porque trabalhava, nunca pagou IR, sempre isenta.

  3. Vera Sueli Urbine Miranda Says:

    De repente IR, salários iguais, mas….a outra pessoa tem terras

Os comentários sem assinatura não serão publicados.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: